09 julho, 2014

A queda da seleção!


Jogador alemão apiedando-se da seleção brasileira.

Sentimos no estádio do Mineirão, no dia 08 de julho de 2014, uma  vergonha do tamanho do mundo.

Os alemães - sempre disciplinados - nos mostraram o quanto também são altivos e cavalheiros, pois em nenhum momento tripudiaram em cima do nosso retumbante fracasso. Mais do que disciplinados e altivos, os jogadores alemães se mostraram magnânimos por só terem feito sete gols em nosso time.  

Em vários momentos do jogo de ontem, a seleção alemã parecia não acreditar que tinha como adversária a seleção brasileira. Quando no primeiro terço da partida os alemães já venciam por cinco a zero - quatro desses gols em seis minutos – os alemães, em tom respeitoso, pararam de atacar. Lembraram que estavam no Brasil e que havia 200 milhões de pessoas humilhadas, e perplexas com o que assistiam.

Quando o segundo tempo da partida começou, todos viram um time alemão constrangido. Constrangido porque destruía um mito do futebol e porque via um adversário atônito que corria sem direção e sem planejamento atrás de uma bola que só admitia sair dos pés dos jogadores alemães para ser guardada dentro do gol da seleção brasileira.

A superioridade da Alemanha era tão patente, que nos vestiários os jogadores pareciam ter combinado entre si: “Vamos fazer só mais dois gols: o primeiro aos vinte e cinco minutos, e o segundo aos trinta e cinco.” E cumpriram com frieza e disciplina o combinado.

O dia 08 de julho de 2014, no Mineirão, foi o dia de uma demolição. Mais de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo testemunharam a ruína de nosso futebol. Caiu, como um castelo de cartas, a ilusão de que tínhamos nessa copa uma Seleção Brasileira.  Apagou-se, em apenas trinta minutos, o orgulho de um país, e as glórias de uma seleção, que, em 100 anos de história, conheceu derrotas amargas, mas nunca uma humilhação dessa envergadura.

Nada sobrou da derrota de ontem. Nem a dignidade.

Nenhum comentário: