14 fevereiro, 2014

O Ovo da Serpente.





Texto Final de O OVO DA SERPENTE (1977), de Ingmar Bergman. O filme vale muito a pena. Antes, porém, uma rápida sinopse. 

A história se passa na Alemanha, em 1923, governada pela República de Weimar. O país está passando por uma gravíssima crise econômica: hiperinflação, desemprego e Fome. O país, destruído pela I Guerra Mundial, humilhado pelas cláusulas do Tratado de Versalhes, vê seu tecido social esfarelar-se. O governo enfrenta a oposição de socialistas (comunistas) e de nacional-socialistas (nazistas). Em ambos, o mesmo desprezo pelos valores democráticos. O mesmo entusiasmo pela violência. O mesmo propósito de calar os adversários. Para Bergman, o ovo da serpente do nazismo foi chocado naquela Alemanha humilhada, e romperá a casca em 1933, dez anos depois, para morder a Europa. 

Fiquem com o texto final e não deixem de assistir ao filme.

Sei o que vai dizer, Abel? Deve estar se perguntando como conseguimos convencê-los a se prestarem a tais experimentos [submeter-se à tortura para experimentos científicos].  Não houve nenhuma dificuldade eu lhe asseguro.  Fazem qualquer coisa por um pouco de dinheiro e comida.

Estamos adiantados, Abel. Estamos aqui para ser sacrificados. É lógico. Em um ou dois dias, talvez amanhã de manhã, o exército da Alemanha do sul começará uma revolta comandada por um demente chamado Adolf Hitler. Será um fiasco descomunal. Herr Hitler carece de capacidade intelectual e de técnica e não sabe as forças tremendas com as que se enfrentará. Será arrasado como um grande fiasco no dia que desatar esta tormenta.

Abel, veja esta imagem: observe toda esta gente.  São incapazes de uma revolução.  Estão muito humilhados.  Muito temerosos. Muito oprimidos.  Mas em dez anos... Para então... os de 10 anos terão 20. Os de 15 anos terão 25. Eles terão herdado o ódio de seus pais, mas com a adição de seu idealismo e impaciência. Alguém se adiantará e colocará seus sentimentos sem palavras. Alguém prometerá um futuro. Alguém fará suas exigências. Alguém falará de grandeza e sacrifício. Os jovens e inexperientes brindarão seu valor e sua fé aos cansados e indecisos. E então haverá uma revolução, e nosso mundo se fundirá em sangue e fogo. Em dez anos, não mais. Eles criarão uma sociedade sem igual na história mundial. 

A antiga sociedade se baseava em ideias muito românticas sobre a bondade do homem. Muito complicado, já que as ideias não concordam com a realidade. A nova sociedade se baseará num juízo real dos potenciais e limitações do homem. O homem é uma deformidade, uma perversão da natureza. Então nossos experimentos tomam lugar. Lidamos com a forma básica e logo a moldamos. Liberamos as forças produtivas e controlamos as destrutivas. Exterminamos o inferior e aumentamos o útil.  

Algum dia poderá dizer isto a quem quer que lhe dê ouvidos. Ninguém vai acreditar em você.  Apesar de que qualquer um que fizer um mínimo esforço pode ver o que lhe espera no futuro.  É como um ovo de serpente.  Através da fina membrana, se pode distinguir um réptil já formado.

PS: O texto acima está nos últimos dez minutos de filme.

Nenhum comentário: