28 agosto, 2011

Versos num domingo de manhã...






A TRISTEZA.


A Tristeza não se define,

Não se mensura,

Nem se explica.

A Tristeza apenas dói

E dói mais

Quanto mais

Não se define,

Não se mensura

E nem se explica.


A Tristeza é a treva em pleno dia

É a vitória da covardia,

Sobre a coragem.

A Tristeza é a solidão no escuro

É uma prisão sem muros

É adiar a viagem...


A Tristeza é mais outono que inverno

O prenúncio da desolação

É como aquele carinho terno,

Que antecede a separação.

A Tristeza não se explica,

Como a dor que não é física.

07 agosto, 2011

Condenados à fome¹



No fim de julho, a ONU decretou que o Chifre da África, que inclui Etiópia, Somália, Eritréia e Djibuti, está sob estado de fome. Pra que uma declaração assim ocorra, é preciso que um quinto da população esteja sem comida e que, por dia, morram dois adultos ou quatro crianças a cada 10. 000 pessoas. Em geral, esse é o alerta que leva entidades do mundo todo a enviar alimentos, remédios e médicos para atender os necessitados. Isso não ocorrerá na Somália. Seus três milhões de habitantes que precisam de ajuda imediata ou morrerão em breve não poderão ser socorridos pela solidariedade mundial porque esse é desejo da milícia islâmica Al Shabab (em árabe, a "juventude"), que controla o sul do país.

Ligada aos sunitas da Al Qaeda e apoiada pelos libaneses xiitas do Hezbollah, a Al Shabab tem como bandeira livrar a África de qualquer influência ocidental. Em 2009, [ a milícia islâmica] baniu doações de comida e campanhas de vacinação sob o argumento de que se trata de conspiração para matar crianças. Dezenas de agentes humanitários enviados para cuidar da população local foram mortos.
O grupo impede que os habitantes dos locais nos quais exerce seu poder viajem para a capital, Mogadíscio, onde um governo frágil foi montado em junho, ou para a fronteira com outros países, onde poderiam se beneficar de alguma ajuda internacional. Todos são confinados a acampamentos precários. Os famintos que às vezes reúnem forças e tentam fugir são fuzilados imediatamente. A milícia também é acusada de desviar o curso de rios dos vilarejos como forma de extorquir os pequenos agricultores. Por causa da ação da Al Shabab, meio milhão de crianças está à beira da fome crônica, que pode levar à morte.

1- Texto extraído de matéria publicada pela revista Veja na edição 32, ano 44, de 10 de agosto de 2011.


02 agosto, 2011

Ei, meninos, por quê?




Eu tenho dois lindos filhos e todos os dias peço a Deus que os livre dos vícios e do abismo profundo. Quando os vejo ainda tão pequenos e ingênuos, olhando com ternura para todos que os rodeiam, com absoluta inocência, penso, como pai coruja e babão, que eles serão assim para sempre.

Os adolescentes com que eu lido todos os dias desde o ano 2000, também foram assim inocentes, ingênuos, puros, meigos como os meus filhos são hoje.

Em que momento esses adolescentes decidem se perder no mundo das drogas? Quando acham bacana e libertário fumar um baseado ou chegar embriagado em casa, pra onde foi a inocência e a ingenuidade? Em que momento eles a perderam? Por quê?

Sinto uma grande consternação quando me deparo com adolescentes que estão perdendo tudo: o autorrespeito, as oportunidades, o apoio dos amigos, a confiança dos pais, perdendo o próprio futuro, por causa das drogas.

Um pena mesmo.

Que Deus proteja meus meninos, Amém.

01 agosto, 2011

sonhos e esperanças...

Há muito, muito tempo mesmo, eu tive um devaneio de adolescente... Imaginei poder escrever um bilhete ou uma carta e mandá-la dentro de uma garrafa para que alguém em outras vagas e paragens, em um tempo em que talvez eu já estivesse morto, pudesse entender as razões e os sentimentos que me fizeram escrever aquelas palavras. Era com toda certeza uma grande bobagem, mas relembro dessa bobagem para dizer que o que me move a escrever esse post não é algo muito diferente. Quem sabe quem vai ler essas palavras, que entendimento terão delas, a que conclusões chegarão... Será que perceberão o que eu quis mostrar? Ou verão claramente mesmo aquilo que sem saber tentei esconder? Não sei.

Tive muitos sonhos na minha vida. Também aprendi a ter esperanças. Hoje foi um daqueles dias em que os sonhos e as esperanças são apenas nomes, no máximo lembranças de há muito, muito tempo mesmo...