29 maio, 2011

Dois clipes e uma semelhança que vai além da coincidência.

Acho que a máxima "Nada se cria, tudo se copia" não é exatamente uma verdade universal, mas tem lá a sua utilidade.

Abaixo, por exemplo, há dois clipes que inegavelmente partem de um mesmo conceito estético. A letra das músicas tem suas esquisitices e a repetição ad nauseam de melodias e refrãos talvez atendam à necessidade de que clipes não podem ter um tempo muito curto.

De qualquer forma, são músicas muito boas de se ouvir e clipes que cumprem o que prometem: entreter.






Nenhum comentário: