13 março, 2011

Eu falei...





Aqui no DF, desde o carnaval, não se fala em outra coisa que as imagens da deputada Jaqueline Roriz, a filha do homem, recebendo de Durval Barbosa ( ex-delegado, ex- assessor, ex-contador e, possivelmente, ex-amigo do grupo político que até bem pouco tempo o tinha como fiel escudeiro), um maço de dinheiro contendo, estima-se, 50 mil reais!

Eleita aqui no DF para a Câmara Federal com uma votação expressiva pelo inexpressivo PMN, a deputada sumiu. Sua única declaração foi por meio de uma nota genérica onde ela pede, vejam que coisa, para ser substituída numa comissão da Câmara Federal. Na nota ela passa ao largo do vídeo em que aparece ao lado do marido recebendo 50 mil reais como se estivesse recebendo 50 reais.

Neste fim de semana chega às bancas a Revista Veja, que além de trazer mais infomaçãos sobre o caso, revela que o atual governador do DF, o petista Agnelo Queiroz, não apenas sabia desde 2009 do teor das gravações, como, segundo imagens gravadas, mas ainda não divulgadas, recebeu CD's contendo as gravações. Essa informação contraria uma antiga declaração de Agnelo que admitia ter visto os vídeos, mas que não obeteve cópias das imagens. O governador precisa encontrar logo uma nova explicação.

Que o grupo político do ex-governador Joaquim Roriz sempre esteve envolvido em denúncias de corrupção não é novidade. As imagens de antigos aliados de Roriz e de sua filha recebendo dinheiro cuja origem não é explicada são contundentes e não dão muita margem para a defesa. No entanto, causa estranheza que, ao saber, e, ao que tudo indica, possuir provas da corrupção envolvendo grandes autoridades do DF, o atual governador do Distrito Federal tenha se calado. Quais seriam as razões?

Eu tenho cá as minhas desconfianças. Por enquanto apenas reproduzo uma nota escrita neste blog no dia 1 de novembro de 2010. Escrevi naquela ocasião:

Aqui no DF as opções eram, para mim, impossíveis!!! Entre Roriz, na sua versão Dilma, e Agnelo Queiroz, do PT, o senso de decoro me impedia de escolher qualquer um dos dois. Tanto no primeiro quanto no segundo turno anulei meu voto.

Engana-se, penso, quem acredita que a política no DF ficará mais ética com o vitória do PT. E há duas razões simples para o meu pessimismo. Agnelo venceu cooptando líderes que até outro dia gravitavam na órbita do Roriz. Esse grupo está mais do que preparado para fazer no DF o que sempre fez, entendem? A outra razão é que o PT, em matéria de corrupção, é insuperável!!!!

Penso que o partido dos trabalhadores criou, a partir de 2003, um valor: se o PT rouba, pelo menos ajuda o povo, e assim o roubo é perdoado.

Pobre do DF!!! Pobre do Brasil!!!

O vídeo abaixo é mais familiar que o vídeo acima.

Nenhum comentário: