10 dezembro, 2010

música do fim de semana com poesia

Get this widget | Track details | eSnips Social DNA


A música acima faz parte da trilha do filme A dupla vida de Verônica, do diretor Kieslowski. Ela foi composta por Zbigniew Preisner. Espero que apreciem.

Alberto Caeiro
XXVIII - Li Hoje
Li hoje quase duas páginas
Do livro dum poeta místico,
E ri como quem tem chorado muito.

Os poetas místicos são filósofos doentes,
E os filósofos são homens doidos.

Porque os poetas místicos dizem que as flores sentem
E dizem que as pedras têm alma
E que os rios têm êxtases ao luar.

Mas flores, se sentissem, não eram flores,
Eram gente;
E se as pedras tivessem alma, eram cousas vivas, não eram pedras;
E se os rios tivessem êxtases ao luar,
Os rios seriam homens doentes.

É preciso não saber o que são flores e pedras e rios
Para falar dos sentimentos deles.
Falar da alma das pedras, das flores, dos rios,
É falar de si próprio e dos seus falsos pensamentos.
Graças a Deus que as pedras são só pedras,
E que os rios não são senão rios,
E que as flores são apenas flores.

Por mim, escrevo a prosa dos meus versos
E fico contente,
Porque sei que compreendo a Natureza por fora;
E não a compreendo por dentro
Porque a Natureza não tem dentro;
Senão não era a Natureza.


Um comentário:

Hìtzaßêrllé disse...

" - Olá, eu estava de passagem. Daí resolvi ler seus artigos e gostei bastante. Parabéns por todos eles!
[..] Se poder ir lá no meu fazer uma visitinha, ficarei grata desde já!"

http://hitzaberllelacouth.blogspot.com/

abraços.