07 novembro, 2010

O novo fiasco do ENEM

Desde que o MEC decidiu divulgar um ranking das escolas de acordo com o desempenho dos alunos nas provas do ENEM, esse ranking vem sendo utilizado como propaganda pelas escolas que obtém as melhores colocações.

Embora o próprio MEC e especialitas relativizem esse ranking, as escolas não se pejam de exibir seus resultados como um selo de qualidade das suas práticas pedagógicas.

Desde 2009, quando o ministro Fernando Hadad decidiu inovar e transformar o ENEM numa prova que poderia dar acesso às universidades sem a necessidade do vestibular, esse exame se tornou uma dor de cabeça para alunos e pais que vêm sendo desrespeitados pela incompetência do MEC e do INEP, responsáveis pelas provas.

Ano passado o exame precisou ser adiado porque as provas tiveram seus sigilos violados. No início desse ano informações pessoais dos candidatos que pleiteavam uma vaga nas universidades ficaram expostas na internet à mercê de golpistas e estelionatários. Ontem, no primeiro dia de prova, os cartões-resposta da prova de Ciências Humanas e Ciências da Natureza estavam invertidos, causando transtorno e confusão nos candidatos quando eles passavam as respostas da prova para o gabarito. O pior é que ninguém do MEC ou do INEP se deu conta do erro, e, quando perceberam, limitaram-se a dizer aos alunos que ignorassem o que estava escrito no cartão-resposta.

Hoje, o presidente do INEP, o professor Joaquim Jose Soares Neto, bastante nervoso, tentou minimizar os problemas dizendo que foram "incidentes" normais num exame de magnitude nacional. Chegou a dizer que a quantidade de problemas que ocorreram na prova de 2010 foi bem pequena se levarmos em conta a quantidade de inscrições.

Não quero, por enquanto, tratar da qualidade das questões, que foram, na média, sofríveis; mas apenas dizer o seguinte: como um exame com tantos problemas e tantas falhas, com questões que fariam muita gente rir, pode se tornar um parâmetro para a qualidade das escolas do ensino médio no Brasil?

Acabei de ler na internet que o MEC ameaçou pelo twiter estudantes que estão denegrindo o exame. É um acinte.

O ENEM, infelizmente, foi desmoralizado pelo ministro Hadad e pelo INEP.

Um comentário:

Anônimo disse...

A Defensoria já divulgou um e-mail, para o qual os prejudicados devem encaminhar nome, local da prova, falhas encontradas e orientação do fiscal quando o erro foi relatado. O endereço é enem2010@dpu.gov.br.