19 agosto, 2009

Vou elogiar um petista? É. Vou.



Nem a oposição faria melhor.

No Estadão Online:

O senador Flávio Arns (PT-PR) anunciou no final da tarde desta quarta-feira, 19, que pedirá à Justiça Eleitoral para sair do Partido dos Trabalhadores. O senador vai esperar que a justiça decida se o mandato pertence a ele ou ao partido. “Quero que a justiça diga que o PT foi infiel ao ideário do partido”, disse.

O senador disse que ficou envergonhado com a decisão da bancada petista em votar pelo arquivamento das ações que foram movidas contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). “Fiquei envergonhado com o que aconteceu. Estamos dando as costas para a sociedade brasileira. Hoje as bandeiras da ética e da justiça foram rasgadas”, disse.

Arns avaliou que o PT decidiu apoiar José Sarney na presidência do Senado unicamente porque está interessado no apoio do PMDB à candidatura da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, nas eleições para sucessão do presidente Lula. “Aspectos eleitorais estão se sobrepondo a assuntos como democracia, ética e respeito à sociedade. A ordem dos valores está invertida”, disse.

Arns, que já foi filiado ao PSDB, disse que ainda não começou a discutir a possibilidade de se filiar a outras legendas. Se o senador quiser concorrer às próximas eleições, em outubro de 2010, será preciso que ele esteja filiado a uma nova legenda até o início de outubro.

.......................................................

Só para lembrar: no dia 11 e agosto escrevi:

Retomo esse fato para dizer que o PT do senado, esta semana, até pode votar pela rejeição do arquivamento de uma, de duas, de três ou de todas as representações e denúncias que pesam contra o Presidente José Sarney no Conselho de Ética da Casa. Será tudo fingimento. Ao fim e ao cabo, no Conselho de Ética ou no plenário de senado, o PT e os seus senadores, mais uma vez, vão salvar os corruptos, os canalhas de sempre, os locupletadores, as figuras que no passado mereciam os apupos das lideranças do partido e os impropérios de uma militância aguerrida e disciplinada, mas que hoje, porque do lado do governo Lula, merecem o apoio incondicional e desavergonhado dessas mesmas lideranças e da mesma militância que sempre será aguerrida e disciplinada, como se vê.

À oposição e àqueles que ainda sobraram um pouco de pudor, restará, se muito, a consolação de que José Sarney deixará o comando da casa dos horrores, apenas isso.

O principal erro de meu vatícinio foi ter, por otimismo exagerado, considerado a remota, mas plausível possibilidade do afastamento do senador José Sarney da presidência da casa.

Um comentário:

Ricardo Rayol disse...

O Lulismo se sobrepôs ao PT, e que se dane a ética