15 julho, 2009

O Pizzaiolo do Presidente Lula


"Oh, deuses imortais! Em que país do mundo estamos nós, afinal? Que governo é o nosso? Em que cidade vivemos nós? Estão aqui, aqui dentro do nosso número, venerandos senadores, neste Conselho, mais sagrado e mais respeitável da face da terra, aqueles que meditam a morte de todos nós, aqueles que trazem no pensamento a destruição desta cidade e até a do mundo inteiro."

Marcus Tulius Cícero.

Eles conseguiram. Sem pegar em armas, sem conjurar contra a ordem civil, os canalhas acabaram com a democracia no país. Tornaram irrelevantes as instituições. Não têm mais nem o pudor nem o decoro de se mostrarem pulhas, cínicos, velhacos.

Há pouco, o próprio presidente Lula revelando todo o seu desapreço pelas instituições democráticas, declarou que os senadores eram "bons pizzaiolos". Lula tem razão, em parte. Desde 2007, quando o senado teve a chance de cassar o mandato do senador Renan Calheiros, as abstenções do senadores do PT salvaram o mandato do senador pelo PMDB de Alagoas, o mesmo que, agora, usa sua força num senado de suplentes para colocar na presidência do Conselho de Ética da casa um octagenário que na idade que está não deveria se prestar ao papel de pau-mandado de Renan Calheiros. O PT assou a pizza em 2007. Renan, em 2009, assume a direção da pizzaria.

O senador Paulo Duque, o sub do sub, isto é, o segundo suplente do senador Sérgio Cabral, atual governador do Rio de Janeiro, chegou a declarar com aquele cinismo que num jovem causa indignação, mas que num octagenário é digno de pena, que não conhecia as denúncias contra o presidente José Sarney. Paulo Duque, com as bênçãos de Renan, Sarney, Lula, e outros tantos pulhas da Base do Governo, está pronto para servir a Pizza.

Os pizzaiollos do Senado não são poucos, presidente. No entanto, todos estão na sua Base de Governo.

Lula é um mal, um câncer para a democracia no Brasil. Sua altíssima popularidade só agrava seu costumeiro desrespeito às leis e às instituições democráticas do país.

O TSE se apequena diante das claríssimas infrações à lei eleitoral que o presidente vem fazendo país afora. Cala-se, talvez assustado por conta da aprovação recorde do presidente. O Senado, que foi ultrajado pelo presidente da república, nada fará contra o que disse Lula. O presidente da casa não é mais chefe de um poder. Antes, come na mão do chefe do executivo.

Os Catilinas do Brasil, venceram.

Um comentário:

Anônimo disse...

Tenho vergonha de ser brasileira,

Flávia Rizzo