16 julho, 2009

Lúcia Stumpf, humpf!


De Chico de Gois, em O Globo:

A presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Lúcia Stumpf (foto), evitou criticar nesta quinta-feira o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) e aos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Fernando Collor (PTB- AL).

Embora, tenha afirmado que a entidade é contra a atuação desses parlamentares.

- Não temos relação com a declaração do presidente Lula sobre Collor, Renan e Sarney - disse Lúcia Stumpf.

Comento

Quando as pessoas terão coragem de vir a público e em alto e bom som declarar o óbvio? A UNE é uma mentira! É não é de hoje. Ela representa os estudantes? Humpf.

Nem os grêmios estudantis, nem as entidades secundaristas municipais, estaduais ou nacionais, sequer os DA's e DCE's da vida, representam os estudantes. Boa parte dos quadros que formam essas entidades de ficção são compostos por estudantes profissionais. Não é assim porque eu quero. É assim porque é. Desafio um estudante que se declare representado por qualquer uma dessas entidades. Mas não basta dizer que se sente. Tem que provar.

Nos meus 16 anos, quando cursava Química na ETFPE, no famoso ano de 1992, lembram? - Nesta época Lula chamava Sarney de corrupto e incompetente, e Collor de incompetente e corrupto. Hoje, Sarney, para Lula, não é uma pessoa comum, e Collor, bem... vocês viram o alegre abraço dos dois em Maceió nesta semana, não foi? Mas estou a tergiversar.

Eu militava no movimento estudantil da escola. (Estávamos embevecidos com a minissérie da Globo Anos Rebeldes e pensávamos que repetiríamos o movimento estudantil da década de 60. Ai, que ignomínia meu Deus!)

Na Assembléia Legislativa do estado de Pernambuco havia uma audiência pública para se discutir o valor das novas carteiras de estudante. Havia várias propostas. A da UBES(União Brasileira de Estudantes Secundaristas) defendia o valor de 8 UFIRS (uma taxa de referência da época da hiperinflação que vivíamos.) Nós, estudantes da ETFPE, defendíamos o valor de 4 UFIRS para as carteirinhas estudantis. Uma dirigente da UBES, de nome Corina, com o cinismo de um militante de esquerda, retrucou a minha ponderação de que a oito UFIRS a carteira de estudante ficaria muito cara com o seguinte argumento: "você não tem cara que não pode pagar oito UFIRS".

Por que eles queriam tanto a carteira de estudante mais cara? É simples. Parte desse dinheiro ia para os cofres da UBES, entende? Era no quanto a entidade ia arrecadar que ela estava preocupada. Não com os estudantes. Esse exemplo é apenas um, de vários, que comprovam que as chamadas entidades estudantis são na verdade um grande engodo.

Não me espanta, portanto, que a atual presidente da UNE e próxima de passar o posto para mais um profissional e militante do PC doB tenha se calado quando questionada sobre o apoio de Lula a Sarney , a Renan e a Collor. Lúcia e qualquer outro presidente da UNE quer saber é do dinheiro que podem conseguir com o governo e com as estatais. Por isso, a manifestação que vão fazer em Brasília, no eixo monumental é contra a CPI da Petrobrás, não contra a indecência dos senadores que compõem a base do governo naquela casa. Não contra o apoio do presidente Lula a notórios corruptos. A UNE, e não é de hoje, reafirmo, é correia de transmissão dos partidos de esquerda. Fazem política partidária em prol dos interesses político-partidários dos dirigentes da entidade, e, atualmente, com a mesada do governo federal, defende os interesses do governo do presidente Lula.


2 comentários:

Eduardo Cardoso disse...

A UNE é uma vergonha, a começar pela presidente da entidade, Sr. Lucia Stumpf, companheira de sala na faculdade de jornalismo aqui em São Paulo. Veja no link abaixo a resposta dela para confirmar presença em um dos churrascos da turma.

http://img259.imageshack.us/img259/6640/une.jpg

Mais lamentável ainda é que ela, assim como eu e demais colegas de sala, se formou sem ter frequentado ao menos 5% das aulas após se tornar presidente da entidade. Claro que sempre tinha as amigas puxa-saco, que respondiam chamada e faziam trabalhos em nome dela.

A recompensa pela "camaradagem"? Lúcia arrumou uma vaga para a menina escrever no site da UJS (União da Juventude Socialista).

Clara disse...

O interessante é que o Zé Paulo não tinha mesmo esse dinheiro...sou testemunha disso. E mais: que será uma cara de quem pode pagar e uma cara de quem não pode pagar? Se o Zé Paulo fosse preto, será que ela acreditaria que ele era deveras pobre??? Tsc tsc e humpf.