26 abril, 2009

Mais uma Cassandra às avessas.*

Há algumas semanas, nas aulas sobre a Crise de 29, os alunos me fizeram algumas perguntas sobre a atual crise financeira mundial. Houve até um aulão sobre esse tema. Muitos queriam saber a origem dessa crise, quais os seus efeitos práticos na economia real e se existe alguma relação entre ela e a famosíssima Grande Depressão dos anos 30. Alguns mais informados perguntaram se de fato a atual crise ameaça o sistema capitalista e vai provocar o colapso do modelo neoliberal. Minhas respostas, como eles já sabem, não flertam com os delírios típicos da esquerdopatia.

Diante da importância do tema, os editores do jornal do colégio La Salle pediram aos professores de história da escola que escrevessem um artigo que explicasse a turbulência financeira que vem abalando a economia mundial. Escrevi o artigo e assim que o jornal começar a ser distribuído, prometo publicá-lo aqui no blog.

Mas o motivo deste post é o seguinte: chegou-me por e-mail uma entrevista concedida à revista Ciência Hoje, edição deste mês, do economista e professor da UFRJ Reinaldo Gonçalves, onde ele explica e comenta as causas e os efeitos da crise financeira atual, e também opina sobre as medidas tomadas pelos governos para enfrentá-la.

Lendo a entrevista fui lembrando das palavras do filósofo alemão Arthur Schopenhauer (1788 – 1860) que dizia que os professores universitários da Alemanha estavam mais empenhados em parecer sábios do que em ser sábios. É assim que explico a entrevista desse economista e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

O professor Reinaldo está pessimista, desiludido e, alguns momentos, também está desinformado. Sua análise sobre a crise é canhestra e contraditória. Fui pesquisar sobre ele e descobri (a revista infelizmente omitiu esse dado) que o premiado professor pertenceu até fevereiro de 2005 ao Partido dos Trabalhadores. Foi um dos economistas responsáveis pelo programa econômico do partido. Programa, diga-se, jogado no lixo depois que Lula chegou à presidência. Era, portanto, um intelectual orgânico. Um militante partidário. Hoje, longe do PT (desconfio que atualmente se abriga no PSOL), é um duro crítico da política econômica do Governo Lula. Suas críticas, de viés esquerdista, são uma panacéia de conceitos ultrapassados e que a história já provou serem ineficientes. Clique aqui e você poderá salvar em PDF o arquivo contendo a íntegra da entrevista.

Nas duas postagens abaixo reproduzo trechos da entrevista e faço um pequeno vermelho e azul com o professor Reinado Gonçalves, acompanhem.

PS: Não deixem de ler a entrevista na íntegra, não sem antes buscar aquele saquinho para enjôo como precaução.


* Cassandra, filha de Príamo com Hécuba, recebeu do deus Apolo o dom da profecia e em troca o deus queria unir-se a ela. Como a moça o rejeitou, Apolo a castigou retirando-lhe o dom da persuasão. Assim ninguém daria crédito às suas profecias, sempre corretas. Ela previu, por exemplo, que o Cavalo de Tróia era uma armadilha dos gregos contra os troianos, mas ninguém deu ouvidos a ela e o final todos conhecem, não?

Um comentário:

Ricardo Rayol disse...

Como hoje estpu de mau humor não vou ler a entrevista porque não obterei o devido retorno em risadas.