04 janeiro, 2009

Direto da Faixa de Gaza

Abdulah e Hamas, conversando em Jabalia, norte de Gaza.

O blog Typhis Pernambucano, seguindo a sugestão do amantíssimo presidente Lula, abriu dois novos postos de trabalho, dinamizando a economia do país e gerando receita para a Receita. Depois de meses negociando com o inescrupuloso sistema financeiro internacional, conseguiu, a juros módicos de 45% ao mês, um empréstimo subprime no Citibank. O dono do blog, nacionalista integralista de linha monetarista, tentou um empréstimo junto à Caixa Econômica Federal, mas a mesma emprestou tudo o que tinha à Petrobrás.


Àqueles que querem seguir o exemplo, o blog informa que empenhou o vira-lata Saci – cachorro simpático que anda sem pressa desde que perdeu a perna traseira num atropelamento na W3 Sul, declarando o mesmo como um fila brasileiro campeão de inteligência animal num concurso promovido pelo Gugu Liberato. Também empenhou todo o seu acervo literário composto de 5 livros didáticos de português e 3 gramáticas ainda fechadas e no plástico e sem as mudanças do novo acordo ortográfico da língua portuguesa que deve estender os erros de ortografia da nossa língua para países que sempre se gabaram de ter um baixíssimo percentual de erros ortográficos, como o Timor Leste que até há pouco sequer existia como país e São Tomé e Príncipe, que o dono do blog, o cúpido Zé Paulo, enganando a todos, dizia tratar-se do título do mais novo filme da Leila Lopes.


Com parte dinheiro do empréstimo, o blog enviou para a Faixa de Gaza, com passagem só de ida, o cunhado do dono do blog, que por motivo de segurança será chamado aqui de Ali Omar Abdulha, libanês recém chegado do Paraguai. Com roupas típicas de um domingo no Parque da Cidade, nosso enviado especial conseguiu uma entrevista exclusiva com os nativos do lugar, mas por conta da força desproporcional israelense, só conseguiu enviar uma, das mais de 200 entrevistas que fez nas três horas que ficou na cidade de Jabalia, norte de Gaza. Fiquem com a entrevista.


Queridos leitores do Blog. Aqui quem fala é Ali Omar Abdulah, direto da Faixa de Gaza. A ideia era fazer um podcast, mas o sistema do blog é Windows Vista que não aceita essa ferramenta, por isso vai assim mesmo, escrito.


TP: Bom dia, Hamas, como está sua célula terrorista... Quer dizer... Não... Tudo bem, pode virar essa pistola para lá. Quis dizer como está sua célula de resistência, após os ataques amaldiçoados da Força Aérea Israelense?


Hamas: Alah seja louvado e Mohammad, nosso Profeta, abençoado. A imprensa ocidental judaico-cristã está registrando tudo e se não houver censura, o mundo vai ver que os malditos judeus, essa raça de víboras, está matando crianças, velhos, velhas, nem os camelos eles estão poupando com esses ataques. Queremos paz, mas enquanto Israel existir, a paz será impossível.


TP: Nosso blog, não se preocupe, vai contar a história toda e sem censura. Essa prática infame de não mostrar o que o povo quer ver só existe na TV Brasil e em democracias populares como Cuba, China e Coréia do Norte. Nos países ocidentais, onde reina o perverso sistema capitalista e os valores dissolutos do liberalismo, a censura, graças a Deus, digo, a Alah, ainda não existe. O ocidente, esse lugar de gente ruim, acusa os grupos terroristas... Ai! Calma! Não precisa rasgar minha mão com esse punhal! Acusa os grupos de resistência pela libertação da Palestina de castigar Israel com centenas de foguetes russos, iranianos, dizem que até foguetes brasileiros, provocando a morte de muitos israelenses. Só no último ano, seis judeus morreram vítimas desses ataques.


Hamas: Chegou um carregamento do Brasil, mas os foguetes não funcionaram, não todos. Os que conseguiram ser lançados eram, na verdade, luzes de Bengala, sobra das festas de réveillon de 2007, em Copacabana. Se esse povo do Livro lesse as escrituras, saberia que essa luta assemelha-se àquela travada entre David e Elias, onde nós, o glorioso povo palestino, desempenha o papel de Davi e eles, o de Elias.


TP: Não seria David e Golias, Hamas? Aprendi nas aulas de ensino religioso da escola, por isso o corrigi, desculpe. Não precisa amarrar esse cinturão de granadas no meu corpo só por causa de uma questão de nomes, rapá. continuando: o jornalismo marrom de revistas como Veja e telejornais tendeciosos como aquele que não ouso dizer o nome sob pena de cair sobre mim terríveis maldições e processos, dizem que o heróico grupo Hamas usa a população civil da Faixa de Gaza como escudo, é verdade?


Hamas: O acento de heroico caiu, seu ignorante ocidental.


TP: Caiu não. Só da palavra heroi. Pára de ler o que estou escrevendo. Assim não me concentro.


Hamas: Não existe mais acento diferencial no para, imbecil! Além do mais, os ditongos formados por oi e ei, nas palavras paroxítonas, não devem ter mais acento agudo.


TP: Obrigado, vou corrigir. Sua espada é muito bonita, Hamas!


Hamas: Agora vou responder a sua pergunta. Não é escudo. O povo palestino cede de bom grado as suas casas em troca de remédio e comida que o Hamas entrega gratuitamente para eles, tudo pago por homens bons como Bin Laden e até por ONG’s européias, além da CIR, que de Ronraima envia diamantes garimpados pelos valorosos povos indígenas da Reserva Raposa Serra do Sol. O governo de vocês não tem o Bolsa-Família, ora! Saiba que para causa palestina, não podemos prescindir de toda casa e de todo palestino, até a vitória final, que é fazer com os judeus o que o incompetente do Hitler não fez na década de 40 ou mesmo os cristãos bocós do século XIV, que queimaram um monte de judeus, acusando-os de serem os causadores da Peste Negra. Eles estavam errados quanto à origem da peste, mas não é um ditado de vocês, ocidentais, que Deus escreve certo por linhas tortas? (Aqui ele ri e solta uma rajada de metralhadora em direção ao céu)


TP: As cenas são tristes, Hamas, não há chance para o diálogo, a negociação, um mero cessar-fogo?


Hamas: Os judeus são carniceiros, pois eles negaram os apelos de todos por uma trégua, indispensável para que nós reagrupemos nossas forças e voltemos a ter o poder de fogo que tínhamos antes dos ataques. Enquanto isso, continuaremos lançando foguetes e já convocamos o povo para um dia de fúria, assim que os soldados israelenses invadirem nossa terra.


TP: Vi muita gente fugindo com medo dessa invasão...


Hamas: É que o som da TV Al Jazeera não estava bom e muito pensaram que estávamos convocando a população para um dia de fuga. Por isso muitos tomaram o caminho para o Egito.


Bum! Bum! Bum!


A entrevista precisou ser encerrada, aviões israelenses estão atacando a cidade, precisamos nos esconder, desculpem!


4 comentários:

Anônimo disse...

"Os ataques do exército de Israel contra o território palestino, que já causaram milhares de vítimas e centenas de mortes, além de danos materiais, só podem ser caracterizados como terrorismo de Estado. Não aceitamos a "justificativa" apresentada pelo governo israelense, de que estaria agindo em defesa própria e reagindo a ataques. Atentados não podem ser respondidos através de ações contra civis. A retaliação contra civis é uma prática típica do exército nazista: Lídice e Guernica são dois exemplos disso. O governo de Israel ocupa territórios palestinos, ao arrepio de seguidas resoluções da ONU. Até agora, conta com apoio do governo dos Estados Unidos, que se realmente quiser tem os meios para deter os ataques. Feitos sob pretexto de "combater o terrorismo", os ataques de Israel terão como resultado alimentar o ódio popular e as fileiras de todas as organizações que lutam contra os EUA e seus aliados no Oriente Médio, aumentando a tensão mundial. O Partido dos Trabalhadores soma sua voz à condenação dos ataques que estão sendo perpetrados pelas forças armadas de Israel contra o território palestino e convoca seus militantes a engrossarem as manifestações contra a guerra e pela paz que estão sendo organizadas em todo o Brasil e no mundo. O PT reafirma, finalmente, seu integral apoio à causa palestina."

Ricardo Berzoini
Presidente nacional do PT

Zé,espero que tenha tido um ótimo natal,e um excelente começo de 2009.Mudando de pato para ganso,por acaso o PT está se solidarizando com terroristas,porque foi isso que pensei lendo essa reportagem.
Abraços,
Flávia

Zé Costa disse...

Essa nota está bem à altura desse partido e de seus militantes!

Obrigado, D Flávia, pelos votos! Eu,o pequeno e Estêvão e D Costa passamos bem as festas de fim de ano.

Anônimo disse...

Adorei o post!!!
Ri que só!!
Só que meu pobre irmão não merece essa incumbência...tão bonzinho...
Beijos.

Lelec disse...

Espero que nosso enviado especial consiga fugir dos pipocos que lhe ameaçam a cabeça e volte a nos escrever diretamente do conflito!

Abraço,

Lelec