30 outubro, 2008

Os ratos voltaram

Os ratos voltaram! Vejam o que um deles escreveu sobre um post publicado em julho deste ano:

Não sei se vomito pelo que foi dito ao final do post (a matéria sobre o a teoria de Malthus está perfeita)ou pela quantidade e péssima qualidade dos comentários.
Difícil tarefa...
Acho que estão necessitando exercitar seu lado humano e não se esquecerem de que o mercado é inflexível com TODOS, inclusive vocês.
Ah! Muito me admira um professor de História ter um pensamento tão mercadológico assim.

Escola liberal é a melhor? Mas nós só temos escolas liberais, meu caro. Veja o exemplo do autor do post. Por isso mesmo a burrice impera no mundo.
Fui!

Das sandices que ele ou ela escreveu acima, quero destacar uma frase que revela seu pensamento totalitário: "Ah! Muito me admira um professor de História ter um pensamento tão mercadológico assim."

Você só descobriu agora que eu não sou da patota? Entendo sua surpresa. Ainda bem que existem professores de história como eu, assim, sempre haverá o "outro lado", não? A minha existência e a de tantos outros que não se deixam enganar pela boçalidade de gente como você, são como uma vacina contra a esquerdofrenia.

diz o sujeito epiceno que só existem escolas liberais. Beldroegas! Nas salas de aula desses país o que mais se vê é professor boçal a demonizar o liberalismo.

Pensamento mercadológico? O que é isso? Tá certo, anônimo, agora me oferece uma saída melhor do que a do mercado, por favor!


Querem uma prova que a idiotia dessa gente é uma marca da esquerda? Leiam com atenção o comentário acima e percebam a gramática perturbada! Lembrem-se: erquerdista odeia a gramática!

Um comentário:

Lelec disse...

Ô, caro Zé...

Não entre na do Reinaldo Azevedo, achando que todo esquerdista é semi-analfabeto. Tenho amigos de esquerda, dos quais discordo de suas idéias econômicas e políticas, mas que reconheço como pessoas verdadeiramente cultas. Sempre se erra quando se generaliza. Esse desprezo raivoso do Reinaldo Azevedo é tão obtuso quanto os stalinistas que pararam no tempo. Pense nisso.

Abraço,

Lelec