13 setembro, 2008

Vai com Deus, Irmã!


É assim que devemos lembrar da Irmã Mariana.


Hoje, às duas da madrugada, a Irmã Mariana, após dez dias na UTI do hospital Santa Helena, na Asa Norte, faleceu. Se hoje eu estou em Brasília, se hoje não me imagino trabalhando em outra cidade, se minha vida e a de minha família mudaram radicalmente a partir de janeiro de 2004, foi porque a Irmã Mariana - diretora do colégio Santa Dorotéia, atendendo a um pedido da supervisora Valéria Calmon - sem me conhecer, sem qualquer referência sobre mim e sobre o meu trabalho, contratou-me para ser o professor de história do colégio. E lá estou até hoje.

Ainda profundamente comovido, preciso deixar aqui, de público, minha gratidão a esta freira que sempre combinou firmeza e suavidade e foi um dos maiores exemplos de tolerância e generosidade que tive a oportunidade de conhecer.

Sempre que alguém amado e querido nos deixa fica comprovado que Deus sempre se apressa a chamar para junto de si as almas boas e generosas. Apesar da consternação que toma conta de todos que conheceram e conviveram com a Irmã Mariana, conforta-nos a certeza de que ela, agora, está na glória do Reino de Deus.

Vai com Deus, Irmã! Muito obrigado por tudo.

Abaixo, uma música que fala de gente que se foi cedo demais!

Get this widget | Track details | eSnips Social DNA


Love In The Afternoon

Legião Urbana

Composição: Renato Russo

É tão estranho, os bons morrem jovens
Assim parece ser quando me lembro de você
Que acabou indo embora, cedo demais

Quando eu lhe dizia: - me apaixono todo dia
E é sempre a pessoa errada
Você sorriu e disse: - eu gosto de você também
Só que você foi embora cedo demais
Eu continuo aqui, meu trabalho e meus amigos
E me lembro de você em dias assim
dia de chuva, dia de sol
E o que sinto eu não sei dizer

- Vai com os anjos, vai em paz
Era assim todo dia de tarde, a descoberta da amizade
Até a próxima vez, é tão estranho
Os bons morrem antes
Me lembro de você e de tanta gente
Que se foi cedo demais

E cedo demais eu aprendi a ter tudo que sempre quis
Só não aprendi a perder
E eu, que tive um começo feliz
Do resto eu não sei dizer

Lembro das tardes que passamos juntos
Não é sempre, mas eu sei
Que você está bem agora

Só que este ano o verão acabou
Cedo demais.


2 comentários:

Saramar disse...

Sinto muito por esta perda.
Entretanto, como você disse no início, as lembranças do que ela significou para você e para tantos outros são mais perfeitas para homenageá-la.

beijos

Lelec disse...

Puxa, Zé, é mesmo muito triste quando partem pessoas que foram importantes na nossa trajetória pessoal... E, lendo seu texto, vendo as fotos, tornei-me eu mesmo um admirador da Irmã Mariana, pessoa que nunca cheguei a conhecer. Que seu coração tenha conforto nesses dias trêmulos.

Grande abraço,

Lelec