24 julho, 2008

Os idiotas da CUT

E a CUT ? O que disse à mais pelega das atuais centrais sindicais sobre o aumento dos juros?

Em estrevista ao portal da CUT, o atual presidente da entidade, o sindicalista Artur Henrique expele toda sua retórica estúpida e incoerente. Vejam o que ele diz:

"Aumentar a taxa básica de juros para conter a inflação é um absurdo."

Hummm. Aumentar os juros para combater a inflação é um absurdo. Talvez por isso países pouco sérios, como Estados Unidos, ou mesmo a União Européia reccoram a esse estratagema para conter seus processos inflacionários, não? Todo preocupado com os gastos do governo ele vem com a argumentação cínica dizendo que esse aumento fará crescer a dívida pública. É mesmo? Então porque os juros não caem para 2% e assim diminui-la? Porque não é assim que as coisas funcionam. E sabe por quê? Porque num ambiente de inflação sem controle, não só a dívida pública aumenta como toda a economia entra em colapso. Nas duas vezes que o Brasil decretou moratória da dívida, a inflação estava sem controle. Na primeira vez que passamos de devedores a credores, a inflação estava controlada.

Que mágica existe para conter a inflação sem desacelerar a economia? O que é pior para um assalariado? Que a inflação reduza o poder de compra de seu salário, como já vem acontecendo, ou diminuir a atividade econômica, mesmo sob pena do aumento do desemprego? Além do mais, em ambiente de descontrole generalizado dos preços, quem disse que os empregos são mantidos ou mesmo a dinamismo econômico. Quem mais perde com o descontrole dos preços é justamente o assalariado.

O que me tranqüiliza, por enquanto, é que o sindicalista que está no poder, em matéria de economia, dá uma banana para esses sindicalistas que mamam nas tetas do estado.


Se a estupidez do presidente da CUT ficasse apenas na retórica contra a decisão do Copom, seria apenas risível, mas a oligofrenia do presidente da CUT tem certos requintes que antes de fazer rir, provoca o constrangimento que se sente diante de um asno querendo parecer inteligente. Vejam mais esse trecho:

"Como as pressões inflacionárias se dão especialmente sobre os alimentos, temos de exigir alternativas imediatas para fortalecer desde já o poder de compra do salário mínimo frente à cesta básica. Tem de haver a adoção de políticas de desoneração de impostos sobre os alimentos e medidas de controle para que se reflitam nos preços ao consumidor. Isso tem de ser feito já. Vamos cobrar a diminuição das exportações de alimentos se necessário for, para garantir abundância no mercado interno."


Em plena era da liberação econômica, onde nossas principais divisas vêm do agronegócio, o gênio da CUT defende que o governo interfira na economia para diminuir as exportações, é mole? E os contratos assinados? E a livre iniciativa do setor privado? Ah, para essa gente que sobrevive do imposto sindical, isso é balela. Eles atacam o fundamento de uma economia liberal e competitiva e por isso mesmo, moderna, sempre com aquele discurso bonitinho de que querem o bem do trabalhador, mas – Deus nos livre! – caso essas idéias fossem colocadas em prática, seria o caos para o setor primário da economia, que perderia competitividade, motivação para continuar produzindo e na ponta, o desabastecimento. Querem uma prova? Vejam as medidas do Governo Chávez para conter a inflação na Venezuela. Nem derrubaram os preços e ainda por cima, condenaram a população a enfrentar filas enormes para comprar leite, por exemplo. É assim que a esquerda e os sindicalistas entendem de economia. São uns idiotas!



Nenhum comentário: