27 julho, 2008

Nasceu Peri, mas quer ser Ceci.

Numa declaração que se tornou antológica e profética, Falcão, não o ex-jogador gaúcho, mas o cantor cearense, disse há algum tempo no programa do Jô: “Eu comecei a observar essa história da grande proliferação da viadagem no Brasil e no mundo. Eu tenho uma teoria que daqui a cinco anos, no máximo, o cara que não for gay vai ser vaiado na rua. Não arranja mais emprego, não entra nem em casa”. Pois essa “proliferação” já chegou às florestas.

Será que a Funai vai permitir que os ticunas discriminem os meninos que tinham tudo para ser um Peri, mas preferiram ser Iracema? Não seria uma interferência dos brancos na cultura dos ticuna? Não sei. Tenho cá para mim que os antropólogos da Funai tentarão convencer os índios ticuna a reverem seus preconceitos, pois matar uma criança que os índios julgam não merecer viver, faz parte da cultura, não é? Mas rechaçar índios que saíram da oca e assumiram seu lado Ceci, não dá, né? Ou dá?

Com a lei que tramita no congresso, considerada uma arma contra a homofobia, acho que as palavras de Falcão vão se tornar uma realidade. Em breve, assumir a heterossexualidade será um vexame! "O quê? Você é heterossexual? Que coisa!" O pobre rapaz ou a pobre moça que cometeu o disparate de amar o sexo oposto, para tentar ser aceito na nova metafísica, dirá: "Sou hetero, quer dizer, de repente, quem sabe eu não possa me descobrir total flex?" E os politicamente corretos, aliviados, dirão: "Ah bom! Agora sim você está provando que não é um reacionário direitista conservador neoliberal! Parabéns!"


2 comentários:

rosa disse...

Heheehehe!!! Duvido que os �ndios entendam isto.
Meu irm�o certa vez disse-me que:
Antigamente ser gay era anormal, hoje em dia � normal, daqui uns anos ser� obrigat�rio.
Como diz o cuiabano Voti!!!!
Abra�os Rosa

Bruna disse...

Oi Zé,

Será que vão fazer uma parada gay no meio da floresta? rsrs brincadeirinha!

Beijos