30 junho, 2008

O CQC revela o autoritarismo do PT

Acabo de assistir na Band ao programa CQC. O Programa é um misto de porra-louquice, de simplismo e de humor um tanto chulo, mas tem algumas "tiradas" que eu, particularmente, acho muito boas.

Há pouco, o repórter Felipe Andreolli fez uma matéria sobre a convenção do PT em São Paulo que homologou a candidatura de Marta Suplicy à prefeitura da capital paulista. Os militantes do PT, como de hábito, mostraram todo o seu viés autoritário. Ora destrataram o repórter, ora responderam as perguntas de forma agressiva.

A equipe que começou a trabalhar dentro da convenção, depois de fazer perguntas sobre o "grande" apoio do PTN à candidatura Marta, mas principalmente, depois de questionar correligionários sobre o apoio do Paulinho, da Força, à candidatura da petista, os ânimos ficaram exaltados e a equipe foi impedida de continuar o seu trabalho.

O curioso é que, como sempre, os petistas conseguem proibir a entrada da equipe e, ao mesmo tempo, defender o direito que a imprensa tem de realizar o seu trabalho livremente. Muitos políticos que foram entrevistados - o deputado José Edurado Cardozo, por exemplo - foram taxativos ao reprovar a atitude dos organizadores da Convenção, mas os repórteres não puderam voltar a cobrir a convenção do PT.

Já vejo os vagabundo de sempre retrucando: "o Kassab não falava ao CQC. O Serra também, não". O que os vagabundos não entendem, ou melhor, fingem ignorar, é que a equipe jornalística nunca foi impedida de trabalhar nos eventos onde o atual prefeito e o atual governador estiveram presentes. Se eles não falavam, estavam no direito deles! Os petralhinhas também podiam, estavam no seu direito, não responder às perguntas que lhes eram dirigidas. Preferiram, contudo, como de costume entre os totalitários, impedir o livre trabalho da imprensa.

Um comentário:

Lelec disse...

É, Zé, o PT tenta escamotear de todas as formas, mas sua veia autoritária é inegável.

Vou-lhe confessar uma coisa: já votei muitas vezes no PT, antes da chegada de Lula ao poder. A era PT no Planalto teve um grande valor pedagógico para mim, fez-me ver as contradições das esquerdas latinas. Hoje, tenho repulsa dos esquerdopatas, que, como você exemplificou muito bem, não prezam a democracia.

Ao menos nisso, o governo Lula foi-me útil...Mas o preço foi alto demais.

Abraço,

Lelec