11 maio, 2008

De versão em versão...onde se chegará?

Quem tem bom senso há muito não perde tempo ouvindo as desculpas esfarrapadas do governo a cada bandidagem urdida no Palácio do Planalto. Mas no que tange à existência ou não do dossiê, o governo passou dos limites! Até agora foram mais de 8 versões!


Antes o dossiê não existia, depois existia, mas não era dossiê; antes se dizia que havia sido a imprensa – golpista, é claro – que tinha fabricado o dossiê; depois aceitou-se que um espião de crachá havia cometido um crime divulgando dados sigilosos do ex-presidente FHC, sua mulher e seus ministros. Na última semana, o governo voltou a dizer que não houve dossiê, apenas um banco de dados com os gastos da presidência entre 1998 e 2002,mas mesmo assim, segundo o general Félix, chefe do Gabinete Institucinal da Presidência da República, gastos de ex-presidentes não são mais sigilosos, descaracterizando o crime. Numa hora, os dados são sigilosos, noutra, deixam de ser. Num momento, o dossiê era uma armação; noutro, um banco de dados que depois virou medida de controle de gastos. No início o governo "levantou dados" a pedido do TCU, depois a pedido da CPMI que sequer havia sido instalada. Uma confusão!


Agora, sabe-se que o dossiê, de fato, existiu. Que foi produzido na Casa Civil a mando de Erenice Guerra, braço direito e esquerdo da ministra Dilma Roussef. Que o funcionário responsável pelo vazamento, José Aparecido Nunes Pires, é acólito de longa data do ex-ministro José Dirceu e que uma das pessoas que recebeu o tal dossiê foi o assessor André Fernandes que trabalha no gabinete do senador Álvaro Dias, do PSDB do Paraná. Por enquanto, o governo ainda não se pronunciou. Está reunido, quem sabe, criando mais uma versão.

3 comentários:

Ricardo Rayol disse...

e o suposto divulgador supostamente ameaça divulgar os supostos mandantes. por que nao simplesmente diz quem foi? o que ele está negociando?

cristina disse...

Acabará em pizza!!!

cristina disse...

Como eu já postei,gosto de seus textos,mas demora demais para colocar os últimos assuntos em pauta no Brasil.Mesmo com provas,alunos e escambau,não dá para postar uns textos pequenos que sejam?