04 março, 2008

Mídia Independente, de quem?

Segunda-feira, dia 03 de Março. Depois da minha última aula, fui, como de costume, até à sala dos professores e ouvi um comentário sobre um site que já tinha ouvido falar, mas que de tão esquerdofrênico, não dei muita bola para ele. Trata-se do Mídia Independente. Ouvindo um pouco o teor da conversa que tratava de um episódio envolvendo um repórter da TV Globo, Sérgio Brito - atualmente esse repórter está na TV Record e comanda um programa de variedades, pela manhã - percebi que havia uma certa alegria em noticiar o que se chamou de "poder de manipulação da TV Globo". Quando eu era pequeno, assim bem mirrado, esse papo de que a Globo é a representação do mau já não me seduzia, e, agora, depois de grande e de alguns livros, encaro essas insinuações apenas como picaretagem.

Não existe independência, em mídia, em jornalismo, em nada. Esse papo de que há pessoas acima do bem e do mal, que vocifera idéias como se não estivessem atreladas à nada é desonestidade pura e simples. Vejam como o tal site se define: "O Centro de Mídia Independente (CMI) Brasil é uma rede anticapitalista de produtores/as de mídia autônomos/as e voluntários/as. Com o objetivo de construir uma sociedade livre, igualitária e que respeite o meio ambiente; o CMI procura garantir espaço para que qualquer pessoa, grupo (de afinidade política, de ação direta, de artivismo) e movimento social - que estejam em sintonia com esses objetivos - possam publicar sua própria versão dos fatos."

Eu quero só um exemplo onde um governo foi anticapitalista e manteve a imprensa livre? Não preciso de dois, apenas de um. Esse site é esquerdofrênico por definição e, se é esquerdofrênico, onde está a independência dele? Ser independente é falar mal da TV Globo? A Record seria um rede independente porque critica a TV Globo? Tem muita gente honesta e séria que cai nessa esparrela de Mídia Independente. Isso é uma falácia!

Querem uma prova? Eu dou. Aqui, vocês vêem o que é essa tal independência do CMI (Centro de Mídia Independente) Um artigo que se dizia satisfeito com a morte do líder e terrorista das Farc, Raúl Reyes e que condenava as práticas das Farc foi vetado pelo CMI. A justificativa? "...um artigo preconceituoso ou discriminatório, um ataque pessoal, propaganda comercial ou de partido político ou apenas um artigo que contraria a missão do CMI."

Ora, o tal CMI, um antro de petistas e esquerdistas disfarçados de jornalistas independentes, considera a condenação às FARC uma discriminação e um preconceito. Vejam de que lado essa gente torpe está!

Ah, Zé Paulo, como você pode dizer que o CMI é um antro de petistas e de esquerdistas? Calma, eu falo e provo. Vá agora no site do CMI é veja que a notícia é sobre um tal julgamento político de um bandido travestido de militante, cujo nome é Marcelo Pomar, sobrinho do Válter Pomar, dirigente do PT nacional e ex-candidato a presidente do PT. Este senhor, em 2006, convocou a militância eletrônica para cercear a liberdade de expressão na internet contra aqueles que não caíam nas esparrelas do PT. Vejam como o CMI trata o arruaceiro e me digam onde está a independência desse site.


Prefiro um país onde a TV Globo possa dizer as suas "mentiras" e eu seja livre para dizer: "Isso não é verdade!" A viver num país com uma tal de Mídia Independente que defende uma ideologia onde a primeira vítima será a liberdade, tudo em nome do belo, do justo e do meio ambiente, é claro.

Acessem a página e encontre uma só notícia que não defenda a ilegalidade e que não demonize o poder público, vistos como a encarnação do mal.

Há certos consensos que nos transformam numa pessoa mais palatável. Numa pessoa do grupo. Esses consensos podem até nos transformar em uma pessoa com muitos amigos, mas não nos torna mais certos ou mais inteligentes. Alguns consensos são:

1 - Achar que o homossexualismo é tão válido quanto o heterossexualismo.

2 - Achar que as cotas para negros é uma forma justa de reparar o mal causado aos negros pela escravidão.

3 - Achar que a Grande Mídia, em especial a TV GLOBO e a Revista Veja, manipulam as informações contra os "maiores e mais verdadeiros interesses populares"

4- Criticar o consumismo e o capitalismo dizendo que ambos estão destruindo o planeta.

5 - Culpar o ser humano pelo tal do aquecimento global.

Defenda o que vai acima e você será chamado de humanista, politizado, inteligente e "não-manipulável". Discorde, e você será o do contra, o direitista, o reacionário, o tolo ou o representante do mal!

Nenhum comentário: