24 fevereiro, 2008

E por falar em tramóia...

E por falar em tramóia envolvendo petistas e amigos de petistas, a revista Isto É - da qual desconfio desde a matéria do dossiê fajuto que tentou melar a candidatura Serra para o governo de São Paulo em 2006, e, talvez por isso, esteja, com a matéria desta semana, dizendo para o governo que precisa de mais atenção - revela que as investigações da PF sobre a Operação Navalha, aquela da Gautama, incriminam o ex-ministro de Minas e Energia, afilhado de José Sarney, Silas Rondeau; o governador do Piauí, o petista Wellington Dias e o presidente da eletrobrás, Walter Cardeal.

O Ministério Público com base nas investigações da PF está prestes a pedir o indiciamento dos 42 envolvidos na operação Navalha, entre eles, os nomes acima. Fiquem com alguns trechos da reportagem:

"Nos depoimentos que prestaram ao Superior Tribunal de Justiça, que conduz o inquérito, Rondeau e Ivo divergem. O ex-ministro diz que não há registro de visita de Zuleido a seu gabinete. Ivo, por sua vez, confirma que Zuleido esteve uma vez com Rondeau, junto com o lobista Sérgio Sá. Procurado por ISTOÉ, o advogado do ex-ministro, José Gerardo Grossi, não se pronunciou."

O governador Wellington Dias aparece com destaque no diagrama produzido pela PF. Dias e seu ex-vice Osmar Júnior, hoje deputado pelo PCdoB piauiense, surgem no quadro da PF simbolizados como homenzinhos verdes. É o mesmo tipo de desenho que identifica o ex-ministro Rondeau. Dias é citado 17 vezes no relatório de inteligência da PF sobre o Luz Para Todos, precedido por Rondeau, mencionado 18 vezes. “Eu lamento profundamente ver meu nome nisto”, diz o governador. “Nunca vi o Zuleido na minha vida.” Ele admite, porém, ter tido reunião no Ministério com a participação de Sérgio Sá."

Nenhum comentário: