07 dezembro, 2007

Pronto! Encontrei meu Joaquim Silvério!

Eu tenho muitos defeitos, muitos. Orgulho-me, contudo, de não ter dois: não sou falso nem desleal. Quem me conhece sabe que não tenho duas, três, quatro coversas, dependendo de quem seja o interlocutor. Também não jogo sujo. Quem recebe minhas caneladas pode não gostar, mas sabe que sou eu a chutá-lo. O pior, é receber caneladas e a pessoa fingir que não as deu.

De todos os defeitos que tenho o que mais me envergonha é o de ser ingênuo. Preciso reler Maquiavel!



Romance XXXIV ou de Joaquim Silvério

Melhor negócio que Judas,

fazes tu, Joaquim Silvério:

que ele traiu Jesus Cristo,

tu trais um simples alferes.

Recebeu trinta dinheiros.

Tu muitas coisas pedes:

pensão para toda a vida,

perdão para quanto deves,

comenda para o pescoço

honras, glórias, privilégios.

E andas tão bem na cobrança

Que quase tudo recebes!

Melhor negócio que Judas,

Fazes tu, Joaquim Silvério!

Pois ele encontra remorso,

coisa que não te acomete.

Ele topa uma figueira

Tu calmamente envelheces,

orgulhoso e impenitente,

com teus sombrios mistérios.

(Pelos caminhos do mundo,

nenhum destino se perde:

há os grandes sonhos dos homens,

e a surda força dos vermes)

Cecília Meireles; O Romanceiro da Inconfidência; pág 134;19ª impressão

Dedico à todos que já encontraram o seu Joaquim Silvério.


Acima, uma música que o esnips diz ser de Mozart, não sei. É bonita e traduz meu espírito, hoje.

PS: descobri que a canção Greensleeves é uma canção de Ano Novo e a letra está na obra "Novos Cantos de Natal" de 1642, existente na Biblioteca de Bodleian.

Aqui você ouve a canção com a letra. É muito bonita mesmo.

2 comentários:

Saramar disse...

Tantas vezes, eles aparecem, mas lembre-se, você é melhor e mais forte, por honesto.

beijos e obrigada pela belíssima música.

andre wernner disse...

Costa meu caro
O problema dos tais � o excesso de m�scaras...
Para cada situa�o tem uma diferente. Mas as bravatas s�o sempre �s mesmas, j� surradas, cansadas e decadentes.
Essa metamorfose quase bolivariana � assim mesmo. S� chutando a canela.
� o arrast�o da esquerda, assim como aquela molecada faz nas praias cariocas. O que cair na rede, � lucro!
Abs

P.S.: l� no blog estamos falando de amor e paz, quase uma poesia... Afinal, sou esperan�oso em dias melhores!