13 dezembro, 2007

A morte da CPMF e a falácia do governo

Caiu a CPMF! O governo precisava de 49 votos, só obteve 45. Por ironia, o número do PSDB. Estou acordado até a esta hora porque acompanhei atentamente todo o debate. Ouvi senador canalha e paga pau fazer terrorismo barato, dizendo que sem a CPMF os pobres do Brasil iriam sofrer nas filas de hospitais e, de form geral, os programas sociais estariam ameaçados.
Costumo dizer que, entre a verdade e a mentira, um petista sempre optará pela segunda. 101% das coisas ditas e prometidas pelo governo não valem um centavo.

Agora, os senadores da base aliada que diziam que a oposição estava tirando dos pobres, recursos, ao enterrar a CPMF, defendem a DRU (Desvinculação das Recursos da União) que cotingencia os recursos - 20 % - de todos os impostos e contribuições arrecadados pelo governo. O que isso significa na prática? Que o governo impede que 20% das receitas sejam utilizadas nos programas sociais do governo. O que se pode concluir? Que esse papo de que, quem é contra a CPMF é contra os pobres e os programas sociais, que andou na boca do presidente Lula, de seus ministros e dos senadores da Base aliada, é uma falácia!

Acabou de ser proclamada a decisão sobre a DRU. 61 votos mantiveram-na. Pronto!

2 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Nada como a verdade dos fatos. Pena que não divulgam isso

Saramar disse...

A vassaalagem lulo-petista nada mais fez senão seguir o exemplo do líder: mentir,mentir, mentir.

Você tem razão quando se refere à falácia governamental. Essa história de pessoas sofrendo nas filas nos hospitais é tão acintosa, que dá náusea. Sabemos bem como está a saúde pública no Brasil. Dos programa sociais, além do bolsa-esmola, só sabemos do sucesso daqueles que visam colocar os companheiros em cargos públicos para os quais não estão minimamente preparados.
Os vassalos estão irados porque sabem que o único caminho do govenro (?) agora, será cortar gastos, o que poderá implicar em demissão de comissionados, cujas contratações ultrapassaram vinte mil, a partir da ascensão da estrela vermelha aos palácios.

Finalmente, a arrogânia começa a encontrar seus limites.

Quanto ao senador Simon, foi mais uma decepção, mais um que a política chantagista do petismo derrubou. Realmente uma pena.

beijos