02 dezembro, 2007

Comentários do PAS - 3a ETAPA. (1)

Para contemplar os três cadernos, o método que vou utilizar é o seguinte: ao lado do item vou colocar três números. O primeiro, corresponderá ao caderno laranja, o segundo ao azul e o último, ao verde. Exemplo: item (32,36 e 31) onde, o item 32 corresponde ao caderno laranja; o 36 ao azul e o 31 ao verde.

Num texto piegas sobre as lágrimas, onde foi cobrado apenas 1 item de história, é importante ressaltar que o tal texto já começa com uma mentira. Está lá nas primeiras linhas do texto: “ Assim que nasce, toda criança chora. É como se precisasse avisar que chegou viva e saudável ao mundo. Mas não é a capacidade de berrar a plenos pulmões que torna o ato de chorar tão humano – e, sim, as lágrimas que o acompanham”.

Infelizmente nem toda criança, assim que nasce, chora. Algumas esperam um pouco mais, até os pulmões se expandirem, para então berrarem. Ademais, as lágrimas, que segundo o texto é o que torna a pessoa, humana, não aparece nas primeiras semanas de vida, porque o sistema lacrimal ainda não está completo. É preciso esperar alguns meses para que o choro produza lágrimas.

No mesmo texto há uma expressão que me incomodou. Está lá na 5ª linha do 3º parágrafo: “emoção primordial”. Que diabos o autor quis dizer com isso? A palavra primordial apresenta dois significados básicos: vem de primórdio, ou seja, refere-se a origem; também significa o mais importante. Acho que no contexto, faz sentido o primeiro significado. Pois bem. Um dos itens de história da prova trouxe a dita expressão. Deve ter confundido muito gente.

Vamos analisar os itens, agora.

ITEM 32; 36; 31.

O item afirma que os regimes fascistas apostavam na emoção primordial para ganhar o apoio da sociedade. Está errado! Esses regimes não precisavam do apoio da sociedade, mas da obediência. Para tanto, não se furtavam de utilizar o terror e a violência para imporem suas políticas. Mas não havia apelos emocionais na Alemanha de Hitler, talvez retrucasse alguns. Sim, mas esses apelos visavam mais reforçar a ideologia que angariar apoio a ela. Houve controvérsia nesse item, mas para mim, está errado.

ITEM 38; 44; 37.

Meus queridos, o item afirma que o regime stalinista, mesmo politicamente autoritário, aboliu a censura artística. É óbvio que está errado. Não esqueçam: onde quer que exista um regime autoritário, seja ele de direita ou de esquerda – sobretudo de esquerda – a primeira vítima é a liberdade de expressão, principalmente a artística.

ITEM 45; 50; 51.

O contexto histórico da imigração européia para a América, sobretudo na segunda metade do século XIX, foi o das guerras de unificação da Itália e da Alemanha, além das dificuldades econômicas que atingiam uma parcela significativa da população européia, sobretudo de regiões mais pobres. Esses imigrantes, é óbvio, tinham uma formação cultural distinta daquela que caracterizavam os escravos. Foram os imigrantes europeus que introduziram no Brasil as idéias anarquistas, muito discutidas na Europa, e lideraram movimentos grevistas no país, além de fundarem jornais operários e promoverem a organização da incipiente e tímida classe operária no Brasil. Por esses fatores, fica claro, que o item está correto.

ITEM 46; 51; 45.

Uma das características do livro Brás, Bexiga e Barra Funda é o português macarrônico, uma mistura de português popular e expressões italianas. Contudo, em que pese a importância da influência cultural italiana na formação de nossa cultura, é preciso reconhecer que imigrantes – também italianos – atuaram em diversas áreas da economia. Foram donos de bancos, de fábricas e de terras. Sua influência, portanto, vai além do campo artístico e cultural. O item está errado.

ITEM 51; 49; 50.

Outro item que provocou discussões, e, como de hábito, não segui a maioria. As primeiras informações do item estão corretas. Com efeito, a chegada de imigrantes europeus e asiáticos, sobretudo para o sul e o sudeste, mudou a configuração demográfica do Brasil. Não há dúvida. Embora a leva de asiáticos tenha sido posterior à leva de europeus, é fato que nas primeiras décadas do século XX, a presença de imigrantes no Brasil é forte o suficiente para dar uma nova configuração demográfica ao país. Um estudo do IBGE concluiu que a imigração contribuiu de forma direta, ou seja, com os próprios imigrantes, e de forma indireta, com seus descendentes, com 19% do aumento populacional brasileiro entre 1840 e 1940.

ITEM 55; 58; 59

Mais uma polêmica. O exemplo de um governo fascista caracterizado no item como autoritário, politicamente fechado e com personalização do poder, não está errado, embora não esteja completo. Os regimes fascistas também tinham – e isso é a essência dos regimes totalitários – o partido único e desprezavam quaisquer mecanismos democráticos.

No caso específico da América Latina, os regimes autoritários das décadas de 60 e 70 não podem ser caracterizados como fascistas, pois lhes faltaram algumas características essenciais do fascismo, como o desprezo absoluto de mecanismos democráticos e não apresentaram um partido único, muito menos a personalização do poder, com algumas exceções, é claro. Mesmo recorrendo à violência, não eram fascistas, o que não significa que não fossem igualmente odiosos.

ITEM 56; 59; 55

As ideologias fascistas,como bem diz o texto, aproveitaram-se da crise da democracia e da economia liberais, para ganharem terreno. Na década de 1930, por exemplo, eram poucos os países do mundo que se mantinham fiel à tradição liberal e, mesmo nesses países, havia importantes simpatizantes das novas ideologias. Basta lembrar que o Brasil, na mesma época, conheceu o Movimento Integralista (AIB) de caráter claramente fascista. O próprio Estado Novo (1937 – 1945) embora não fosse categoricamente fascista, apresentou importantes característica desse regime totalitário. Além do mais, o item também afirma que o nazifascismo não optou pelo expansionismo territorial. Lembrem-se da anexação da Áustria, da invasão dos sudetos e da divisão da Polônia com os russos. O item, portanto, está falso.

ITEM 57; 55; 56.

O aluno talvez tenha emperrado no vocábulo engendrado. Significa produzido, ok? Prossigamos: a propaganda fascista, cujo chefe máximo, Paul Joseph Goebbels, foi muito eficiente. Primeiro porque impediu, em muitos casos eliminou mesmo, qualquer manifestação dissidente. Depois, a estratégia de marketing de Goebbels, sintetizada na fórmula: “uma mentira repetida 100 vezes, torna-se uma verdade”, funcionou principalmente nas camadas mais populares e menos ilustradas da sociedade alemã. Logo, ao firmar que houve baixa adesão das classes populares à propaganda nazista, o item está errado.

Nenhum comentário: