12 novembro, 2007

Maria Cláudia Del'Isola e a vingança dos despossuídos


Hoje está sendo julgado o casal que em 9 de dezembro de 2004 violentou e matou a jovem Maria Cláudia Del’Isola, numa casa do Lago Sul, área pra lá de nobre, em Brasília. Os assassinos confessos foram a empregada e o caseiro da família, gente da absoluta confiança dos familiares de Maria Cláudia. Os detalhes do crime, a maneira como os canalhas agiram depois e as motivações que alegaram para cometer o crime, foram o que há de mais abjeto na humanidade. Não entrarei em detalhes, mas destacarei alguns aspectos que considero relevantes para esse post.

O crime ocorreu pela manhã, quando a estudante de pedagogia e psicologia se preparava para ir à faculdade. O caseiro, em conluio com a empregada, chamou a jovem ao quarto com o pretexto de mostrar um presente que havia comprado para a patroa, a mãe de Maria Cláudia. No quarto, o caseiro a violentou com a ajuda da empregada, que também era sua amante. Depois de violentada, a jovem foi morta para que não denunciasse os agressores. O corpo foi enterrado pelos dois dentro da própria casa dos pais da vítima, no jardim de inverno, embaixo da escada. No princípio todos imaginavam tratar-se de um seqüestro e a família, angustiada, agarrava-se na fé católica para suportar as horas de incerteza. Foram feitas rodas de oração pela volta ou por notícias de Maria Cláudia e, acreditem, os assassinos, que até então estavam acima de qualquer suspeita, oravam lacrimosos pelo retorno da jovem que brutalmente assassinaram.

O Plano

O caseiro, Bernardino do Espírito Santo e sua amante e cúmplice no assassinato, Adriana de Jesus dos Santos (vejam que nem sempre nome é destino), planejaram o crime com antecedência de meses. Segundo os autos do processo, o caseiro pretendia roubar cerca de 2 mil reais que a estudante tinha guardado num cofre que ficava no quarto dela e também pretendia apoderar-se de 1800 reais que estavam no escritório do pai da vítima, o senhor Marco Antônio Del’Isola, diretor do colégio Marista de Brasília. Ainda segundo os autos, o caseiro teria dito à amante que sentia atração física pela estudante e que antes de roubá-la queria estuprá-la e só depois a mataria. Na ação, a doméstica participou de tudo.

As motivações

O caseiro queria dinheiro e também violentar a estudante, mas a empregada, Adriana de Jesus, confessou que queria algo menos material, mas nem por isso, menos cruel. Sempre segundo os autos do processo, a empregada disse que sentia inveja de Maria Cláudia, por ela ser RICA e BONITA, por isso, ajudou a matá-la. Aqui eu chego no âmago do meu post.

O discurso simplista e cheio de boas intenções de muitos professores formados no esquerdismo bocó, reforçam a idéia de que os pobres sofrem, passam por privação, não tem acesso às condições dignas de saúde e moradia por causa dos ricos, do capitalismo selvagem. São doutrinados nas ideologias esquerdofrênicas de antanho e passam a ensinar que se adotássemos o socialismo, os pobres levariam uma vida melhor. Outros menos radicais, mas igualmente equivocados, afirmam que a escola precisa mostrar aos alunos que é fundamental adotar a opção pelos pobres, assim despertaremos na juventude o que eles chamam de “consciência social” , o que para mim, é lavagem cerebral. Seria justo perguntar a essa gente como os pobres de Cuba e da Coréia do Norte vivem, mas aí seria ser real demais, e a utopia desses educadores libertários é ensinar que pela ação voluntária, popular, teremos um futuro redentor, onde não haverá desigualdades sociais; nem ricos, nem pobres; nem opressor nem oprimido. Enquanto esse dia não chega, os ricos são satanizados, são tidos como os responsáveis pela pobreza da maioria.

Vou tentar ilustrar o que digo com dois exemplos: no auge do caos aéreo, quando centenas de passageiros eram humilhados nos aeroportos do Brasil, eu ouvi mais de uma vez, educadores afirmarem que essa gente – os passageiros retidos nos aeroportos – estava reclamando de barriga cheia. Se eles viajassem de ônibus, vivessem na periferia, aí saberiam o que é sofrimento e humilhação. É óbvio que por trás desse discurso estava a idéia de que quem viaja de avião é rico, e se é rico, merece sofrer. Faz algum tempo, protestos ocorreram por causa da construção da ponte JK, que encurtou a distância entre o Plano Piloto e o Lago Sul. Esta obra do corrupto governo de Joaquim Roriz beneficiou os moradores daquele bairro. (Há suspeitas de superfaturamento na obra) Pois bem: se o protesto fosse por conta do volume gasto na obra, tudo bem, concordo que havia outras prioridades, mas o mote da manifestação não foi o que se gastou, mas porque se construiu uma ponte que só beneficiava os ricos do Lago Sul. Ora, digo eu, os ricos também não pagam impostos? Também não são cidadãos? Também não merecem atenção do governo? Será que eles devem ser negligenciados apenas porque são ricos? Repito: que se protestasse contra o superfaturamento da obra, entende-se; mas o que fizeram foi, pela construção da ponte JK, demonizar os ricos do Lago Sul.

Esses exemplos, para mim, ilustram o que se ensina por aí... É com o discurso de que os ricos são venais, cruéis, insensíveis, que se formam caseiros como Bernardino do Espírito Santo e domésticas como Adriana de Jesus dos Santos, que acreditando serem vítimas do capital, dos patrões bem de vida, julgaram-se no direito de roubar, violentar e matar uma jovem, porque ela tinha o que eles sempre se julgaram merecedores de ter: dinheiro e uma vida boa. Na cabeça deles, tenho certeza, estavam reparando uma injustiça. Era a vingança dos “despossuídos”.

Haverá sempre alguém para dizer que eles, os assassinos, estão sendo julgados - e se Deus quiser, serão condenados com pena máxima - porque são pobres. Fosse a jovem Maria Cláudia a assassina, estaria solta, lépida e fagueira. Reconheço que em parte essa crítica procede, mas isso não atenua a crueldade do crime e a insensibilidade dos criminosos, que chegaram a chorar e a rezar pela jovem, quando todos ainda tinham a esperança de encontrá-la com vida.

Para terminar, quero deixar claro que os caseiros, as empregadas, os porteiros, os jardineiros, essa gente simples e em sua imensa maioria honesta e pacífica, não são assassinos em potencial. O que me assusta é o discurso que demoniza os ricos, que transformam riqueza e pobreza em categorias de valor. Que há ricos que são assassinos, não há dúvida. O pilantra do Paulo Timponi, que matou três pessoas num racha na pnte JK, é rico, morador do Lago Sul. Os jovens que mataram e queimaram o índio Galdino em 1997 também eram ricos. Não há, portanto, relação entre pobreza e crime. O meu ponto é outro. Ao culpar os ricos pela pobreza de muita gente, está se criando um ódio latente que em mentes psicopatas, como a dos assassinos da jovem Maria Cláudia, podem justificar ações criminosas como a que destruiu a família Del’Isola.

aqui, aqui, aqui e aqui, mais informações sobre o julgamento.



Leia o post do dia 12 de dezembro

18 comentários:

Saramar disse...

Você sempre escreve lucidamente e provoca a reflexão com seus excelentes textos.
Hoje se superou. Parabéns!

Creio que podemos creditar tragédias como essa à pérfida estratégia dos esquerdistas (que são sempre irresponsáveis) de dividir a sociedade e provocar disputas que, muitas vezes descambam para a violência.

Obrigada.

beijos, bom feriado.

Suzy disse...

Ze Paulo, quando tiver um tempinho, passe lá no blog para receber seu prêmio.
Um abraço!

Daniela disse...

Concordo c/ vc em gênero, número e grau, esses monstros terão q ter a + dura punição.
Adorei seu blog, é interessante, fala de maneira clara, objetiva e sem rodeios. Parabens ! :)

LARISSA disse...

SUZY ISTO É UMA NOTICIA ALARMANTE
"Panorama Social da América Latina-2007" publicado pela Cepal - Comissão Econômica para América Latina e Caribe revela que "o crescimento econômico da América Latina permitiu que 15 milhões de pessoas saíssem da pobreza e 10 milhões deixassem de ser indigentes na região em 2006". A estimativa é de que 2007 se encerre com uma população pobre de 190 milhões de pessoas, o número mais baixo dos últimos 17 anos. Se considerarmos a proporção da população indigente, é a mais baixa dos últimos 27 anos. O documento é apavorante para os conservadores, quando diz (e o próprio Globo reproduz) que "Brasil, Argentina e Venezuela estão entre os países que registraram maiores avanços. Segundo a Cepal, no caso brasileiro, não apenas o crescimento, mas programas de transferência de renda, como o Bolsa Família, foram determinantes. O país reduziu em 4,2 pontos percentuais tanto a pobreza quanto a indigência entre 2001 e 2006". Brasil, Argentina e Venezuela são exatamente os países mais atacados pela mídia e toda a oposição conservadora. Seus presidentes são "xingados" de populistas. Mas o documento da Cepal demonstra a contradição desse pensamento: ao populista não interessa a redução da pobreza. Ele trabalha com a rapidez desorganizada e a falta de conscientização. Precisa consolidar o poder através de benefícios sociais de pequena monta - rápidos, imediatos, mas que não levam a nenhuma transformação profunda. Com benefícios feitos com um mínimo de organização e que levem à redução substancial da pobreza, o nível de consciência pode se elevar e reduzir área de influência para o populismo. Se você faz uma política do tipo "bica d'água", de cunho puramente eleitoreiro, você é um exemplo perfeito do populista. Mas se você está de fato empenhado na inclusão social, em tirar a população da pobreza e garantir-lhe cidadania, participação no consumo, avanços sociais e econômicos, você está fazendo o básico para uma sociedade menos desigual. Os verdadeiros populistas não aceitam essa situação de transformação mais profunda de nosso mundo

Costajr disse...

Não conheço Larissa. Sei que deve ser uma petralhinha, dessas zipadas, que sentem a obrigação de invadir blogs como o meu para fazer o contraditório. Publiquei o comentário dela para esclarecer uma confusão que os vagabundos do PT vão usar dora em diante. A Cepal provou que a pobreza diminuiu na América Latina. Os dados são festejados porque, segundo a pesquisa, os países onde a redução foi maior foram a Venezuela, o Brasil e a Argentina, três exemplos de governos com políticas assistencialista que no limite são na verdade, populistas.

Gente como Larissa é aficionada em números. Adoram cifras, sobretudo as que interessam a ela. No país dos sonhos de Larissa os pobres são estatísticas favoráveis. Esclareço a Larissa que manter os pobres dependentes do governo não é reduzir a pobreza, mas mantê-la, sobretudo porque não há portas de saída no programa Bolsa Família, por exemplo. Os pobres no Brasil foram confiscados pelo PT e são usados por gente como Larissa como troféus. Eles não querem o fim da pobreza, querem um estado que pague, como nossos impostos, a manutenção da pobreza.

Suzy disse...

Ze Paulo, são as "bolsas-bandido" que traduzem os números "favoráveis" da corja que adora desinformar. É a vergonosa tradução da bolsa-voto-de-cabresto!
O mais ridículo é invadirem seu blog com recado pra mim...hahaha...

PATRICIA M. disse...

Para a esquerdalha de plantao, a condicao de pobre garante ao individuo automaticamente as qualidades de honesto, honrado e decente.

E se ele nao eh tudo isso, a sociedade eh que eh culpada. Nao aguento mais esse papo esquerdalha.

Patricia Haddad disse...

Eu ia elogiar seu texto, mas agora tenho que falar do texto e do comentário em que você cita a tal Larissa. Quase todos os dias tenho um bate boca saudável com um colega de trabalho tão anti-lulista e anti-petista quanto eu. Em silêncio, um outro colega nos ouve, sem coragem de dizer um ai. Este mesmo colega adorava defender aquele abutre que se apoderou do planalto central. Um dos esportes preferidos era nos replicar com a manjadíssima frase "na época do outro também era assim", ou "o outro também fez tal e tal coisa". Por "outro" entenda-se FHC. Nada me irritava mais do que isto. Petista acha que quem não suporta Lula e seus asseclas é, obrigatoriamente, filiado ao PSDB e adorador de FH. Me poupe. Detesto gente binária, que só pensa em sim ou não, isso ou aquilo, preto ou branco. Só discuto com gente inteligente, que sabe enxergar outras opções além de PT e PSDB.

Carla disse...

Não escrevo e não tenho o hábito de ler blog. Simplesmente pq não tenho tempo de ficar tentando separar coisa legal de pataquada esquerdopata. Abrindo o yahoo hj pela manhã, me pulou a notícia que o julgamento da assassina tinha sido interrompido. Aí, fiz uma busca no Google para saber mais sobre o caso e essa página foi uma das que apareceu. Nunca tive tanta sorte na minha vida. Tomei a liberdade de colocar um link pra ela no meu perfil do Orkut. Espero que vc não se importe.

Costajr disse...

Obrigado, Carla.

Não tem problema algum você pôr um link, pelo contrário, sinto-me lisonjeado.

Antonio Costa Neto disse...

Logo se vê que vc deve ser da galera dos "riquinhos bonitinos e sem culpa e se julga no direito de expressar as suas idéias parciais, tendenciosas e comprometidas ideologicamente com as elites facistas deste país. Claro. As coisas não podem ser definidas a partir deste simplismo, existe uma complexidade humana, social, psicológica (olha que Maria Claudia estudava psicologia), cultura, política, ética, debaixo de tudo isto e que precisa ser discutida com seriedade e uma visão mais adulta, no mínimo. Claro que concentrar poder e riqueza na pão de poucos, num país como o Brasil em que 10% das pessoas abocanham sozinhos 90% do poder e da riqueza, no mínimo, vai criando um cinturão de miseráveis, não só materialmente, mas em todos os aspectos. São multidões imensas - dentre as quais, de Bernardinos e Adrianas que são sacriticados à ignorância, à míséria, à fome, à falta de valores, de crença, de espiritualidade. É fácil escrever estas coisas quando se tem a barriguinha cheia, meu amigo. Temos uma educação segregadora. Deputados, Senadores, Ministros de Tribuniais que ganham salários mais que milionários, enquanto milhões de mulheres, crianças e homens que não têm por isso mesmo, nada para comer. Gahdhy já dizia que a terra garante a sobrevida de todos, mas não, a ganância de todos. Que é o que está acontecendo. Sou pobre e não tenho nada contra os ricos, mas tenho tudo contra os muito ricos, que impelem os demais para a pobreza. Nossa política e centralizadora, nosso capitalismo, selvagem, nossa política, uma mentira. Precisamos mudar tudo isto. E não seria uma respota do sábio universo para amolecer um pouco os corações dos Del'Isolas? Sou pela lei do retorno e acredito que só nos acontece o que merecemos. Nada justifica este crime odioso, horrível. Os culpados têm que ser condenados. Mas todos. Nada acontece de graça. Nem mesmo o pavoroso crime que vitimou Maria Claudia. E tomara que o seu sangue sirva para lavar consciências e provocar as mudanças profundas para que outras Marias e outras Cláudias, Adrianos e Bernardinos não venham perecer, chorar, morrer, sofrer...
Antonio da Costa Neto
antoniocneto@terra.com.br

Costajr disse...

Publiquei o comentário acima apenas para ilustrar como pensa essa gente torpe, formada no esquerdismo bocó. Claro que ele acha o crime horrível e chega a flertar com o argumento cínico que diz serem os meliantes antes vítima que algozes. Mais ou menos assim: mataram sim, mas por causa da miséria.

Não vou nem comentar a ortografia manca e a coesão tísica. É um típico petralha!

PS: Oh Mané, para seu governo, não sou rico, mas também não sou um ignorante. Você se diz pobre, pode ser, mas sua pior pobreza é a de espírito.

highsecret@yahoo.com disse...

Concordo plenamente contigo.
Venho de família pobre e consegui ficar rico trabalhando com honestidade.

No caso desse crime devo sim dizer que a pena servirá de exemplo mas o exemplo a ser seguido por quem emprega pessoas em casa não foi apontado.

A família errou bastante em tratar filho de empregado como se fosse seu. Jamais deveriam levar filho da assasina para dentro de casa e cuidar de amante de empregada atropelado (no caso deveria ter sido atendedido pelos bombeiros e o resto pelo INSS).

Pelas reportagens que lí a Maria levava o filho da empregada para banhar na piscina como se fosse seu filho que além de criar distorções de personalidade e casos de ciúme e inveja.

Sem menosprezar, devemnos saber que nem sempre as pessoas que dispõem a trabalhar de doméstica possuem um nível cultural semelhante aos que empregam e isso é muito complicado porque mesmo muito distantes acabam dividindo muito o dia a dia e isso deve ser administrado com muito cuidado.

O que acho muito importante dizer é que o rico deve sim procurar empregadr pessoas de m,elhor nível e com salários mais altos do que a média para minimizar esses riscos.

Esse empregado não deverá depender tanto de favores e bondades do patrão e sim ter sua autonomia.
O empregado deve apenas cumprir suas horas de trabalho sem maus tratos ou bajulações e nada mais.

Muitas vezes o Brasíleiro tem o caração muito grande e pensa que está juadando as pessoas quando dá esmolas etc e isso traz mais problemas do que soluções.

Qunato a esse assunto de rico e pobre, digo que pobreza é mais uma espécie de cancer que existe na cabeça do ser humano.

Existem muitos ricos infelizes e vivem como pobres ao mesmo tempo que muitos, considerados pobres, vivem com dignidade e são felizes.

O que é ser rico?. Aqui, para muitos é morar no Lago Sul!!, pelos padrões da Forbes é quando a pessoa não tem mais condições de saber em quanto está sua fortuna e nesse caso não entra arremediado
que tem uma casa em um bairro mais caro.

Com tudo isso, essa discussão de rico e pobre é muito vergonhosa
e mostra oq uanto as pessoas vivem criando referências com a vida alheia (INVEJA) e pior, buscando culpados para seu fracasso.

Eu, ao 18 anos, não saia para namorar, não tinha nada a não ser a votande de trabalhar e crescer.
O mais engraçado, não odiava rico, gostava sim de olhar para eles como exemplo.

Se tinha que INSPIRAR em alguém, procurava o bem sucedido, o inteligente e não o fracassado.

Para terminar digo que pobre não é aquele que não tem o pão para o café mas sim aquele que rejeita as chances e oportunidades que batem a sua porta dia a dia.

Fica bem claro que esses assassinos tiveram chance de subir na vida com ajuda do patrão mas em vez disso?.

- TENHA CUIDADO AO EMPREGAR ALGUÉM.

- NÂO TRATE FILHO DE EMPREGADO ETC COMO SE FOSSE SEU FILHO.

- FAÇA APENAS SUA PARTE!

- ESSE TIPO DE CRIME NÃO É O PRIMEIRO E NEM FICARÁ POR DERRADEIRO.

"A INVEJA É A MAIOR FONTE DE PROBREZA EXISTENTE, PORQUE ELA ANIQUILA TODAS AS POSSÍBILIDADES DE ENRRIQUECIMENTO"

TAKE CARE!

HIGHSECRET!

(O RICO DEVE EVITAR A PUBLICIDADE ASSÍM OCMO O PORCO DEVE EVITAR SUA ENGORDA)

Anônimo disse...

Nossa! Nunca li nada que traduzisse de forma tãoperfeita todo o meu pensamento!

Gente! E ainda tem um babaca que, por se achar pobre tem a pachorra de dizer que nada acontece de graça e que o sangue da inocente vítima deve sirvir para lavar consciências... Olha seu Petista ridículo, se existem tantos miseráveis como você no Brasil é porquê Miseráveis como você alugaram caminhões para alugarem os ouvidos de quem trabalha e sair por ai gritando FORA FHC!!!
Passei longos anos trabalhando em um prédio em frente a paraça da assembléia de BH. Neste período, todos os dias os petistas sem o quê fazer gritavam sua filosofia de m... nos nossos ouvidos!
Agora devem achar que sou rica... é lógico! enquanto ele vagabudavam eu trabalhava!
Agora estão ai quietinhos, quietinhos...
Dois monstros violentaram e maataram uma menina que era da família que lkhes deu oportunidade!
É por causa de gente como esse ai de cima que postou esse comentário infame, que existem monstros que se acham no direito de revoltarem-se contra os "mais ricos" e comenterem barbáries!
Leva um monstro desses pra sua casa, leva seu petista imundo!
Esses escrementos da sociedade merecem pena de morte... e quer mais? sem julgamento!

Simon - BSB disse...

Tudo de bom essa reportagem. Realmente, dinheiro vai pra quem tem dinheiro, e não adianta ficar culpando os ricos de serem ricos, vá se esforçar mentalmente para se tornar igual a eles.
Amo os ricos e não acho que eles tenham que mudar, se são ricos é porque merecem isso!

Costajr disse...

caríssimos! Um pedido e algumas considerações:

Pedido - Esse post ganhou certa popularidade por causa - acredito - do link que a Carla, não a conheço, disse ter colocado no seu orkut. Se a Carla ou alguém puder, me mandem por e-mail a página do orkut dela, ok?

Considerações:

Em primeiro lugar, assim como vocês, também fiquei indignado com o crime cometido pelos monstros. Por isso, entendo, que às vezes alguns de vocês extrapolem e acabem defendendo idéias que não me parecem condizentes com o espírito democrático e legal de nossas instituições.

Sou contra a pena de morte, por princípio, mas a favor da punição severa, que deixe claro para a sociedade que o crime não compensa.

O comentário do Sr Antônio Carlos Neto - só depois descobri que ele tem 53 anos - causou-me náusea e comprova aquilo que relatei.

um grande abraço a todos.

Cristina disse...

Postei um comentário indignado à tarde.. fiquei irritada com esse tal de 'Sr. Antônio Carlos Neto'.
Antes tinha lido como foi que a menina Maria Cláudia foi brutalmente estrupada e morta, dentro de sua casa, por pessoas que era tidas como de confiança.
Repensando meu comentário, agora as 23:25 eu agora quero assiná-lo.
As notícias ultimamente no Brasil têm sido neste nível hediondo... ora é jove estrupeda e morta dentro de casa, ora é menino arrastado e dilacerado num cinto de segurança por kilômetros, ora é gente sendo vítima de sequestros relâmpagos, sendo morta por relógio... Puxa vida! O Luciano Huck (é assim que se escreve?) outro dia foi vítima de assalto e linchamento moral porquê reclamou do assalto!
Estou enojada e revoltada.
Minha revolta não é com quem tem menos ou quem tem mais. Minha revolta é contra a maldade, a falta de escrúpulos, a falta de compaixão, a falta de penas severas, a falta de um sistema penal realmente eficáz.
A empegada que cometeu o crime que matou Maria Cláudia e sua família (sim, a família dela hoje também está morta) vai sair da cadeia daqui a seis anos! Este ser inominado daqui a seis anos vai estar por ai, continuando invenjando as "branquelas" que têm culpa de serem mais afortunadas que ela.
Ai meu Deus! É só com o Sr! Livrai-me de um ser deste em minha vida e de minha família! Proteja-nos Sr. pois estamos à mercê de seres maus que possuem respaldo de Antônio's!
Meu Pai! Amanhã vou sair para trabalhar! Me proteja nos sinais de trânsito, nas portas dos bancos, ao caminhar pelas ruas. Proteja-me Sr. de quem eu ajudo, de quem eu emprego pois pode ser meu maio inimigo... ajudai-me Sr. a ganhar meu pão honestamente e poder usufruí-lo com dignidade, sem bestas-feras para desejá-lo! Livrai-me de todo mal Senhor, AMÉM!

Rogerio disse...

por causa de atos como esses que sou a favor da pena de morte. lugar de assassino não é na cadeia e sim no cemitério.