29 setembro, 2007

Todo socialista é no fundo um assassino?

Outro dia, recebi apupos por ter chamado uma moça, quer dizer, uma senhora de quase 40 anos, Sandra Camurça, de assassina. Ela que confessara ter praticado um aborto aos 21 anos, e, segundo sua própria lavra, fora mais fácil que extrair um dente, não se sentiu sequer arrependida. Com remorso ou sem remorso, para mim, ela não passa de uma assassina. Conhecendo um pouco mais da moça, descobri que ela é socialista, daí ser fácil entender seu pouco caso com a vida humana, sobretudo, com a vida de inocentes. Ela tem um gosto digamos... pornográfico para os versos. Um, que li recentemente, faria Bruna Surfistinha corar de vergonha.

Che Guevara, um mito ensinado nas escolas como tendo sido um herói, líder revolucionário, colocado lado a lado de figuras como Gandhi e Madre Teresa de Calcutá - apesar de sua religião ser a da morte, não a da vida - foi apenas, e talvez por isso mais desprezível, um assassino torpe, um homem, segundo suas próprias palavras, sedento de sangue.

A matéria de Veja desta semana ajuda a desconstruir mais uma farsa histórica de pedigree marxista. Põe "Che" no seu devido lugar, a lata do lixo. Reproduz documentos, atenção, documentos, não opinião, em que a face do assassino se revela. Fico aqui pensando: é um herói ou um assassino um homem que..."[foi] responsável direto pela morte de 49 jovens inexperientes recrutas que faziam o serviço militar obrigatório na Bolívia. Eles foram mobilizados para defender a soberania de sua pátria e expulsar os invasores cubanos, sob cujo fogo pereceram."?

Che é herói por ter convertido a fortaleza La cabaña "em campo de extermínio?" "Nos seis meses sob seu comando, duas centenas de desafetos foram fuzilados, sendo que apenas uma minoria era formada por torturadores e outros agentes violentos do regime de Batista. A maioria era apenas gente incômoda."

Você usaria uma blusa com a foto de um homem que "procurado por uma mãe desesperada, que implorou pela soltura do filho, um menino de 15 anos preso por pichar muros com inscrições contra Fidel. Um soldado informou a Che que o jovem seria fuzilado dali a alguns dias. O comandante, então, ordenou que fosse executado imediatamente, "para que a senhora não passasse pela angústia de uma espera mais longa".?

O herói que disse que era preciso endurecer sem perder a ternura, foi o mesmo que encontrado pelo exército boliviano, com ajuda da CIA, implorou pela própria vida. Todo comunista é mesmo um covarde quando sente a morte de perto. Matava sem sentimento de culpa, mas na hora da própria morte iminente, implorou pela sua vida.

É justo comparar a Gandhi e à madre Teresa, alguém que confessou "com naturalidade como executou Eutímio Guerra, um rebelde acusado de colaborar com os soldados de Batista: "Acabei com o problema dando-lhe um tiro com uma pistola calibre 32 no lado direito do crânio, com o orifício de saída no lobo temporal direito. Ele arquejou um pouco e estava morto. Seus bens agora me pertenciam".? Eu respondo. Não! Ernesto "Che" Guevara foi apenas um assassino, mitificado pela esquerda bocó.

Sandra é uma socialista assassina, que não se envergonha de ter abortado aos 21 anos. Ela não tá nem aí porque tirou a vida de um ser humano. "Che", foi um socialista que matava com a mesma frieza e numa escala maior, suponho. Talvez também dissesse que matar, para ele, era mais fácil que extrair um dente.



Um comentário:

Ricardo Rayol disse...

apoiado.