29 agosto, 2007

Saiam canalhas!

Foi no dia 22 de agosto. Foi na faculdade de Direito do Largo do São Francisco, em São Paulo, uma das mais sérias escolas jurídicas do Brasil, que uma invasão se consumou. Foi ali, enfim, que a democracia venceu o totalitarismo. A tropa de choque de São Paulo, dentro da legalidade, usou o direito constitucional do uso da força e desocupou o prédio da faculdade que havia sido invadido por manifestantes ligados ao MST, a Educafro e a outros movimentos esquerdofrênicos.

Esse grupo fascista divulgou pela internet um vídeo que tenta provar a truculência da tropa de choque na desocupação do prédio da faculdade. Assistam, e vejam, vocês mesmos, se houve a tal truculência. Quantos dos manifestantes foram feridos na desocupação? Quantos chegaram em casa com algum hematoma? E olhem que a constituição confere aos PMs, em casos dessa natureza, o LEGÍTIMO uso da força. E o que se vê no vídeo? Uma polícia educada, sem violência, retirando, dentro da lei, os filhinhos de papai, esses pequenos-burgueses, brincando de revolucionários de ocasião. Esses corajosos, que diante da PM, exibiram um bebê de colo, isso mesmo, um deles, ergue uma recém-nascido tentando demover a PM da ação de desocupação. Esta atitude é só uma, das inúmeras provas, de que essa gente é, antes de tudo, canalha!

As imagens são feitas pelos "vencidos", e ouve-se, com certo enfado, uma gasguita militante, com um discurso vagabundo, tentando negociar com a PM. Não se negocia com que está na ilegalidade. E nesse caso, os criminosos, eram os invasores! Quase no fim do vídeo, há uma palavra de ordem estúpida. Repetem: "você, fardado, também é um explorado".

Combater a esquerda real, é um imperativo ético! Como certos líderes messiânicos, eles prometem um futuro promissor. Repetem, como mantra, que implantado o socialismo, quem sabe o petista, as pessoas serão felizes e viverão em um mundo melhor. O que eles não contam, embora não escondam, basta ter olhos para ver e ouvidos para ouvir, é o resultado prático desse sonho utópico: violência, cerceamento da liberdade e privilégios para uma casta de burocráticos do partido. Muitos jovens são seduzidos por essa esparrela, por essa fanfarronice de que o mundo, no socialismo, será muito melhor. Desafio a qualquer um, provar que, nos lugares onde ele foi testado, as pessoas viveram esses paraíso idílico.

Sou uma voz minoritária. A maioria dos meus alunos, meu universo de influência, tendem, seja pela imaturidade, seja pelo discurso fácil da esquerdopatia, a acreditar nesses "amanhãs que cantam". Mas combato, o bom combate; e, um só que me escute, será uma vacina contra esse mal que é o pensamento de esquerda.

Um comentário:

Luc disse...

Costa,

Uma amiga, de uma prima de um conhecido disse que estava lá, e que eles foram tão truculentos que ela até quebrou uma unha...

Tem uma parte que alguém grita: Tem criança aqui! O que raios fazem crianças em uma invasão de uma universidade???
Os caras estão usando táticas de guerrilha urbana? é isso?