13 agosto, 2007

O sonho comunista sempre acaba numa prisão.

Zonas de ocupação da Alemanha após a II Guerra Mundial. Berlim, na parte oriental, também foi dividida em 4 zonas ocupação.

O Muro de Berlim aprisonava, sob o regime comunista, alemães ciosos de sua liberdade.


Alguns amigos da blogosfera escolheram o dia 13 de agosto para pedir, em posts coletivos, o fim da CPMF. Infelizmente, nossos parlamentares devem prorrogar essa famigerada contribuição. Não tenho muito talento para escrever um post com essa finalidade, por isso, no máximo, solidarizo-me com os amigos, mas confesso minhas poucas esperanças no fim da CPMF. Oxalá eu esteja errado.

O motivo desse post, portanto, é outro. Em 1961, num 13 de agosto, o governo da Alemanha oriental iniciava a construção do maior símbolo de uma época conhecida como Guerra Fria: o Muro de Berlim.

A história desse muro, assim como o imbróglio envolvendo os atletas cubanos, têm um ponto em comum: não há cidadão que goste de viver sob o regime comunista! Assim como os atletas de Cuba tentaram fugir das garras de Fidel - o que só não aconteceu porque a Polícia Federal não deixou - os berlinenses orientais, quando sentiram na pele o que era viver sob o domínio do terror que é um regime comunista, fugiram em massa para a parte de Berlim onde se ganhava dinheiro e se respirava liberdade: a parte capitalista.

Diante da fuga em massa de alemães orientais, o governo da RDA (República Democrática Alemã), assim era conhecida a Alemanha oriental, seguindo as determinações de Kruchev, líder soviético, decidiu construir um muro para impedir essa fuga. A fuga em massa representava no contexto da Guerra Fria, uma péssima propaganda para o bloco socialista liderado pela União Soviética. Nascia assim o famoso e maldito Muro de Berlim. Não há escapatória: seja na Cuba de Fidel, seja na antiga RDA, um país comunista sempre será uma prisão.

Cuba - que desde 1959 é uma ilha comunista liderada por Fidel Castro - à sua maneira, impede que cidadãos tentem, em países livres e capitalistas, uma vida melhor, com mais dinheiro e mais liberdade. Aqueles que tentam fugir da ilha e são pegos, têm como destino a execução sumária. É a democracia deles. Outros, mais sofisticados, aproveitam competições esportivas para pedirem asilo político, às vezes não dá certo, sobretudo no Brasil de Lula. Quem tem juízo e uma boa dose de coragem, quando pode, foge do comunismo.

Assistam no G1 a este vídeo que faz um resumo histórico da construção do Muro de Berlim, é muito didático e vale a pena ver.

PS: Em 9 de novembro de 1989, após a derrocada do socialismo no leste europeu, o Muro de Berlim, cujo epíteto foi o Muro da Vergonha, é derrubado e o processo para a reunificação das duas Alemanhas, iniciado.

2 comentários:

PATRICIA M. disse...

Costa, voce viu o ultimo ganhador do Oscar de melhor filme estrangeiro, A Vida Dos Outros? Se nao viu, agora que tocou no assunto tem obrigacao de ver, hehe. Assisti ao filme com uma amiga russa que ainda pegou o fim do regime comunista na URSS. Deprimentes as estorias que ela conta....

Blogildo disse...

Cara, o comunismo é uma estrovenga que só sobrevive a custa de muita propaganda e muita ignorância. É lamentável que o ideal comunista ainda tenha tantos entusiastas no mundo inteiro.
Quando assisti ao filme "Adeus Lênin!" há alguns anos, fiquei impressionado com a má vontade nacional na distribuição do filme. Até em DVD é difícil encontrá-lo. Pq será?

Abraço!