27 agosto, 2007

O Enem. A estupidez como mérito!

Ontem à noite, eu tive acesso, pelo G1, às questões comentadas do Enem. Confesso que me dediquei apenas aos itens de história, alguma coisa de gramática e Redação. Fiquei estupefato com o que li. Os textos que contextualizavam as questões de história foram deprimentes, isso para ser bonzinho. E o tema da redação foi uma piada, de péssimo gosto.

Hávia um texto lá de um tal de Kambegele Munanga, professor da USP e com graduação em antropologia no Congo. O texto falava de identidade negra e de quando os europeus, esses seres maus, iniciaram a exploração dos negros, essas vítimas do escravismo. O texto é estúpido! Primeiro, porque a escravidão na África é bem anterior ao século XV, época de início das Grandes Navegações; depois, muitos negros participaram do tráfico de escravos, não foi obra apenas do europeu mau. O texto fazia uma referência ao que o autor chama de identidade negra. O que é uma identidade negra? É gostar de Hip Hop? É usar um cabelo exótico? É adotar o candoblé como religião? Meus alunos negros, alguns tão bons quanto alunos brancos; e outros, tão ruins como outros brancos, precisam de uma identidade negra?

Querem tranformar o Brasil, na marra, numa nação bicolor - Ali Kamel já tratou disso em Não Somos Racistas - querem instituir um conceito que a ciência já provou inadequado, o conceito de raça.

O tema da redação foi uma pérola. Como conviver com as desigualdades sociais. Seria o mesmo que sugerir: como conviver com a certeza da morte. Ora, digam-me aí em que lugar do planeta não há desigualdade social? Em Cuba? Ah, fala sério!

Como sempre, para mim ao menos, o Reinaldo Azevedo fez uma síntese muito boa sobre a prova do Enem. Vale a pena ler!


Para quê serve o Enem? Rigorosamente para nada! Ah, muitas faculdades conveniadas ao Prouni aceitam o Enem como forma de ingresso nos cursos superiores, por isso reafirmo: o Enem não serve para nada. O G1 fez uma matéria dizendo que muitos estudantes de Brasília, a maioria de escola pública, optaram por fazer o Enem porque sonham com uma vaga pelo Prouni. Agora com as cotas, sei não, a chance de se passar na UNB, com o conhecimento que se tem para fazer o Enem, deixou de ser uma tarefa impossível!

3 comentários:

PATRICIA M. disse...

O ENEN eh a nivelacao por baixo da educacao.

Blogildo disse...

Pois é o atestado de idiota latino! Eu li a prova e fiquei estupefato. Até as antigas provas de acesso ao antigo segundo grau eram melhores do que essa peça de propaganda ideológica do ENEM.

Costajr disse...

O que me deixou um pouco feliz, foi, entre meus alunos, a frustração com a prova! Eles ficaram indignados!