05 agosto, 2007

Lula, o pobrismo e a Elite decente.


Demonizadas pelos bloguerios caras de pau. Praticamente ignorada pela "mídia golpista", como dizem os militantes delinquentes do PT, as manifestações contra Lula que ocorreram ontem, foram tachadas, ora de tímidas, ora de manifestações da plutocracia. Um dado, porém, é inquestionável: os petistas estão irascíveis! E só por isso, para mim, já tá valendo.

Como quem carrega a verdade, estão por aí na blogosfera, exibindo os dados do Data Folha, colhidos nos dias 1 e 2 de Agosto, mostrando que a popularidade de Lula continua inquebrantável. Um blogueiro chamou Lula de Luis Inácio Lula "Teflon" da Silva". Uma maneira de dizer que nada queima a imagem do presidente. O que a pesquisa mostra contudo, é que Lula continua imbatível naquela parcela da população que depende do Bolsa Família, que tem pouca escolaridade, baixa renda, e, no caso específico desta pesquisa, que não pisa em aeroportos. Na outra ponta, os que ganham acima de 3500 reais, tem nível superior, e viaja de avião, e o que é mais importante, vê o governo como um ente que atrapalha, mais do que ajuda, esta parcela já reprova o governo Lula. O problema, é que esta parcela representa pouco mais de 7,5 % da população, a grande maioria está na primeira ponta. O que isso prova? Que nosso país ainda é pobre, com pouca escolaridade e dependente do governo. E aí eu chego no ponto principal deste post.


Assim como no primeiro mandato Lula tentou comprar o congresso, através do Mensalão, Lula compra, com muito mais eficiência, através dessa política de Bolsa isso, Bolsa aquilo, essa imensa parcela pobre do Brasil. Também por isso, as regiões norte e nordeste, as mais pobres e as que recebem mais recursos desses programas, apoiam o presidente de maneira esmagadora. Lula é popular não porque tira o pobre da pobreza, mas porque o mantém nela, comendo - mal- três vezes por dia.

Segundo O Globo deste domingo, a política de bolsas do governo Lula, irá se expandir: vem aí o Bolsa Violência. Famílias de meliantes ou de policiais, que foram vítimas da violência, isto é, tiveram seus entes mortos em conflito, ou estejam presos - no caso dos bandidos - vão receber um auxílio de 100 a 300 reais por mês, do Governo Federal. Segundo a matéria, os recursos disponibilizados são da ordem de 6,7 bilhões de reais e vão, num primeiro momento, beneficiar 3,5 milhões de famílias.

Lula que procura ser reconhecido como o presidente do pobres, mas que já reconheceu que governa mesmo é para os ricos, não desiste de buscar essa identidade com os desdentados. Como já foi dito pelo Reinaldo Azevedo, Lula é o presidente do pobrismo, que é uma forma de ver a pobreza como um valor. O pobrismo, muito mais do que os pobres, é o sucesso de Lula. Disse em sala, outro dia, que quem gosta da pobreza é o PT. Nem os pobres gostam da pobreza. Com ela, Lula executa seu pobrismo; com ela, Lula se vende como aquele que olha pelos pobres; com ela, Lula sataniza os ricos, que para ele e o PT, são a classe Média. Ser rico para essa gente é ganhar 3500 reais?

Por isso, a esquerdofrenia exibirá aquele riso histriônico esta semana. Estão vendo seus direitistas sujos, dirá a delinquência do PT, nosso presidente continua bem avaliado. Não tem problema, Hitler também foi bem avaliado, Stálin, Fidel, Mao e outros assassinos, também foram, no caso de Fidel, ainda é, se bem que, mais fora do que dentro de Cuba, queridos. Isso não é parâmetro. Quem avalia bem o presidente a pesquisa indica de forma inconteste. Mas um dia essa política se esgota. Uma parcela da sociedade, pequena é verdade, mas talvez por isso, valorosa e heróica, já mostrou a cara, gostem os petistas ou não. O bom é que eles não gostam.

Lula enfrenta um desafio novo: a sociedade civil desorganizada, ou por outra, organizada de forma amadorística, decidiu se expor. Tem pouco efeito prático? Talvez, mas já é um começo. A julgar pelo governo, ainda teremos muitos motivos para sair às ruas vaiando o presidente Lula e sua malta.

Um comentário:

Anônimo disse...

Datafolha

Minha explicação para a pesquisa Datafolha ter revelado que popularidade do governo Lula permaneceu incólume a despeito das acusações de que esse governo teria assassinado as 200 vítimas do desastre com o avião da TAM por não ter mandado pôr "grooving" na pista do aeroporto de Congonhas é a de que a maioria dos brasileiros não viu verossimilhança nessa teoria.

Entendo que a ampla maioria dos brasileiros percebeu que houve tentativa da oposição de lucrar com a tragédia. E essa percepção solidificou-se depois que veio à tona que a tragédia deveu-se a defeito do avião ou a falha dos pilotos, o que desnudou a tentativa dos adversários do presidente Lula de obterem lucro político às custas dos cadáveres de Congonhas.

Houve, sim, um recuo (modesto) da aprovação do governo no topo da pirâmide social, pois esse estrato está mais exposto à mídia, que reverberou furiosamente a teoria de que Lula matara 200 pessoas. Contudo, esse setor da sociedade, apesar de barulhento - por dispor de hegemonia na mídia -, pouco influi na contabilidade da opinião majoritária dos brasileiros.

Também contribuem para a popularidade do governo os seguintes fatores: criação recorde de empregos formais; maior redução da pobreza e da desigualdade nos anos Lula, conforme o Ipea; forte combate à corrupção pelo atual governo através da Polícia Federal, o que contraria as acusações da oposição e da mídia de que este seria "o governo mais corrupto da história".