21 julho, 2007

Aniversário.

Eis um post que eu gostaria de ter escrito... Abaixo é D. Costa Junior em seu blog ainda privado. Ela não aceita que eu o divulgue, pelo menos divulgo o post.


"Eu tinha 14 anos, ele 15. As portas do mundo se abriam na Escola Técnica Federal de Pernambuco. Eu que sempre estudei em escolas religiosas e particulares, entrava num mundo de liberdade que nunca imaginei. Fazia química em busca de ensino público de qualidade, meu pai estava desempregado.
Fui a uma das secretarias, resolver uma questão burocrática. Na minha frente, um rapaz magro de cabelos embaraçados que cobriam o rosto preenchia uma ficha de cabeça baixa. Olhei o papel, ele estava entrando no mesmo curso que eu já fazia há um período. Era um calouro, que lá chamávamos pé-de-banco...toda vez que uma turma nova entrava, o diretor fazia questão de explicar a história desse apelido, mas agora, se eu for falar, o meu filho acorda e eu não digo o que vim mesmo dizer aqui. Fica nas promessas de próximos posts... bem, procurei ver o rosto do rapaz. Tinha certeza de que o observava sem ser observada. Ele se virou, escondeu a ficha, e se apresentou. Estendeu a mão e disse " prazer, meu nome é ..." . Fiquei envergonhada, procurei ser simpática, dei as boas-vindas e saí rapidinho dali. Não me dei conta de que ele escondeu o papel porque estava solicitando uniforme, benefício dos comprovadamente pobres da ETFPE. Não percebi que tinha sido inconveniente. Achei somente que o menino era meio espantado, não tinha gostado de me ver lendo a papelada dele. Lá fora, uma amiga me esperava. Comentei " conheci outro maluco...do nosso curso".
Oito meses depois, em um diretório acadêmico - ah o movimento estudantil! - , começamos a namorar. Oito anos depois, casamos e hoje, completando 6 anos de casados, não saímos, não trocamos presentes, não chamamos os amigos pra brindarem em nossa casa. Hoje, trocamos fraldas, muitas fraldas. O dia todo só nós três. O nosso maior presente acordou às quatro e meia da manhã e somente às 19 horas tirou esse cochilo que me permitiu tomar um banho, ordenhar um pouco de leite para congelar, e finalmente escrever este post, para deixar registrado, e muito registrado, que este é meu aniversário de casamento mais importante. Deus nos ajude e nos capacite a cuidar de nosso menininho, e um do outro, sem perder o rumo.
Graças a Deus por tudo."

3 comentários:

Daniel. disse...

Hehehe... Paulo, fique feliz, é uma honra ter você como cunhado.

Mas vamos lá, é uma honra ainda maior ter sua esposa como irmã! Ela manda muito bem, é ou não é?

Abraços.

Saramar disse...

Fiquei emocionada com os aniversários, com o lindo texto da sua esposa e, confesso, muito feliz pelos três.
Do mesmo jeito que fiquei quando vi as primeiras fotos do anjo-bebê de vocês.
Eum que sou sua admiradora, por sua juventude, seriedade e inteligência (características que raramente são encontradas juntas em uma mesma criatura) desejo a você e à sua linda e jovem família todas as oportunidades, todas as possibilidades e todos os sonhos do mundo.
Parabéns!

beijos
P.S. Já ia esquecendo (também, é tanto aniversário). Parabéns pelo excelente blog que, vive meio escondido quando deveria ser invadido por todos que buscam alguma indignação luminosa.

Costajr disse...

Obrigado pelas palavras. Quanto ao blog escondido, bem... é uma questão de propaganda... tenho poucos contatos na blogosfera, contou com gente mais articulada para divulgá-lo. De qualquer forma, vou postando, à espera de leitores.

um abraço Saramar.