25 maio, 2007

Samir Abou Hanna


Vai entender o que se passa na cabeça de uma criança!

Os psicológos, que dizem entender de tudo, ainda que seja para reduzir os mistérios da mente humana a um certo trauma freudiano, talvez expliquem por que uma criança, entre 7 e 11 anos, memoriza um evento absolutamente irrelevante e sem propósito.

Quando eu tinha essa idade, morava lá no "sítio" da rua Leal de Barros e estudava no pequeno e hoje inexistente, por incompetência de muita gente, Instituto Santa Terezinha. Ouvia, junto com meu irmão e os meus pais, todos os dias de manhã, um programa de rádio chamado Samir Abou Hanna. Não consegui o jingle do programa, mas um dia ainda o encontro.

Samir era um comunicador que rivalizava com Geraldo Freire, da Rádio Jornal, este ainda em atividade. Seu epíteto era "Samir, o secretário da cidade". Tentou ser prefeito do Recife. Para a sorte dele e da cidade, ainda bem que não conseguiu.

Às 08 da manhã, iniciava um dos blocos mais famosos do seu programa na rádio: Conselho do Coração. Além das histórias estapafúrdias lidas nas cartas, desconfio que eram, a maioria, invencionice; o bloco iniciava com o famoso Concerto n°1 para piano de Tchaikovsky. Quando eu ouvia os primeiros acordes, já sabia: "vai começar o conselho d0 coração". Ficava então com a orelha cauta.

Geralmente, as cartas, lidas no ar por Samir, versavam sobre adultério, doenças, intrigas, invejas, essas coisas bem povão. Os nomes eram fictícios e Samir impostava a voz dando um ar de solenidade a narrativa da carta. Vejam um exemplo:

Samir, bom dia, meu amigo.

Eu me chamo Josefa e estou casada há 12 anos. Meu marido está muito doente e desenganado pelos médicos. Sempre fui uma esposa fiel e dedicada, mas ainda jovem, tenho apenas 35 anos, venho recebendo de um vizinho alguns elogios que me fazem lembrar que ainda sou mulher, bonita e desejável. Ele, Samir, o vizinho, é casado, o que torna essa história ainda mais complicada. Ah Samir, o que eu faço? Como agir em situação tão difícil? Quero ceder às investidas de meu vizinho, mas minha formação cristã me impede de fazê-lo. O simples desejo, não é pecado? Ajude-me Samir com o seu conselho do coração"

Nessa hora a música aumentava, Samir Abou Hanna fazia uma pausa, e começava:

Minha querida Josefa! Ah, meu anjo! Que situação difícil a sua. Sabe, amiga, entendo o seu drama, posso até senti-lo daqui e me comovo com ele. Sei que você ama seu marido inválido, sei que você o respeita. Na cartinha, você não diz que tem filhos, suponho que não os tenha, o que torna a situação menos complicada, ou as conseqüências menos dolorosas. O que posso lhe dizer, meu anjo, do fundo do meu coração, é que você resista ao seu vizinho. Ele talvez esteja querendo se aproveitar de uma situação, não ama você. Se amar, saberá esperar o dia em que você esteja livre. Resista, meu anjo! lembre-se que esse sacríficio é virtuoso. Não se deixe levar pelos desejos da carne. O amor que seu marido, hoje inválido e desenganado pelos médicos, tem por você precisa ser respeitado. Você o trai em pensamento? Quem é perfeito? Então, querida Josefa, com a minha ternurinha, com o meu amor e o meu afeto, continue fiel ao seu marido. Este é o meu conselho do coração.

A música voltava a ficar alta por alguns segundos e, logo depois, entrava o Jingle que iniciava o programa. (ainda vou procurar esse jingle pela internet)

Ouça a música do compositor russo.

9 comentários:

Serjão disse...

Costa jr.
Não sou pernanbucano,teria orgulho se o fosse e nunca ouvi falar desse radialista. Mas existem vários programas semelhantes por aí. Mas na minha rádio (rs) eu me limito a oferecer canções. Mas gostei desse programa que tocou a música de Tchaikovisky. Eu tenho apanhado muito do programa onde armazeno minhas músicas. Abs

Anônimo disse...

Samir Abou Hana ainda está em atividade, na Rádio Planalto de Carpina/PE, que é de sua propriedade, bem como na TV Universitária, onde comprou um espaço.

Dono de um estilo extremamente populista, com seus pífios "conselhos de coração" e a piegas saudação "ternurinha", Hana perdeu espaço no rádio para Geraldo Freire, que é mais sintonizado com a modernidade.

GutemBerg e vida!!!! disse...

bem, compartilho com o autor deste blog, de fato o programa dito "povão", me atingia bastante, sempre procurava tirar daquelas palavras, mesmo que arrumadas, lições para minha vida. Samyr continua sendo um grande comunicado. Claro hoje tenho 40 anos, não cato mais lixo, nem vendo bombons para sobreviver, mas atualmente curso pós-graduação sou funcionário público. De fato, algo naquele programa ajudou a construir um pouco de mim. Hoje me senti muito feliz em ouvir a abertura do prograça OBRIGADO!

Samuel Camelo disse...

Olá, nobres admiradores de Samir Abou Hanna!

Agora é possivel interagir com outras pessoas que curtem o "Secretario da Cidade," acesse o link http://twitter.com/SamirAbouHana

Uma ternurinha para você!

Samuel Camêlo
http://www.fundosocial.kit.net

luna disse...

olá samir boa noite.
gostaria de contar minha historia eu tenho 23 anos moro no rj sou casada ha 4 anos na verdade eu sou de pernambuco vim para o rj a trablho mais não consegui nada morava na casa de minha irmã agente não se dava muito bem,ai eu conheci um homem com poucos meses me casei so que eu não amava ele to vivendo até hoje eu sofro muito com tudo isso não quero que ele sofra desde que me casei com ele agente briga muito eu vejo muito defeito e porque eu não amo,no começo tentei ir embora para minha terra mais não a deixei ,logo depois eu viajei a passeio para casa dos meus pais,ai eu não quis vir embora para rj foi uma confusão daquelas o meu marido não aceitava a separação eu fiquei com dor dele ai eu vim para o rj de novo , eu gosto muito de pe.sinto feliz lá, eu não sou feliz vivo muito em casa não para lugar e lá eu saia tinha liberdade ,já não sei o que faço da minha vida ,queria ir embora de vez so que eu não quero magoa nem resentimento o meu marido ele e muito nervoso n
não gosta de sair ,eu não sou feliz as vezes eu falo que eu sofro muito por causa do meu nome que se chama maria eu não gosto desse nome minha mãe briga comigo porque eu digo que eu sou infeliz por tudo até mesmo pelo esse nome, tenho medo de enfrentar a vida e quebrar a cara lá fora de novo eu sofri muito minha familia e de pernambuco eles mora no interior somos uns poucos distante ,já não aguento mais essa vida queria que meu marido fosse feliz com outra pessoa não amo meu marido o que devo fazer me ajude samir .

jesse disse...

É MUITA SAUDADE DA QUELE TEMPO.
TRABALHAVA NA ROÇA OUVINDO O SAMIR.
JESSÉ. SP

miidorg disse...

Seu relato é extremamente parecido com o meu.Meu nome é Radamés moro no Rio de Janeiro, mas, sou natural de Recife (PE), nasci em Casa Amarela e morei por uns 08 anos na casa de minha avó e me lembro muito bem que na época meu despertador era essa canção que penetrava em meus ouvidos e me dava uma sensação excelente.Enquanto o Samir relatava o conteúdo das cartas eu ia acordando e foi assim por pelo menos uns 3 anos de minha vida.Obrigado por me fazer retornar ao passado e sentir as mesmas sensações.

Unknown disse...

https://youtu.be/YmYeISiVPOw
n°1

Unknown disse...

https://youtu.be/YmYeISiVPOw
com sua referência achei a música. N°1