22 maio, 2007

Meu amigo Pedro.

Pelo menos na esfera distrital as engrenagens das ameaças veladas, das chantagens nas sombras, começaram. Explico-me: Hoje, o plenário da Assembléia Distrital estava pronto para votar se concedia ao deputado Pedro Passos, que continua preso, o relaxamento da prisão. Na hora H, eis que o advogado do deputado aparece no plenário com um recado de Pedro "grileiro" Passos. O recado era: "quero ser ouvido pelos colegas deputados da CCJ ou qualquer outro que queira comparecer à prisão, antes deles votarem o relaxamento de minha custódia. Quero me defender para meus pares." O recado, para muitos, teve duas interpretações:

1 - Ganhar tempo, devido à farta documentação e provas contra o distrital. Muitos colegas parlamentares se sentem constrangidos de livrar a cara do colega, ainda que não lhes faltem vontade.

2 - Outros interpretam como uma ameaça velada, uma chantagem nas sombras. Pedro quer lembrar aos deputados que tem informações comprometedoras e que muita gente ainda não envolvida, de repente, pode aparecer nas páginas dos jornais. Há rumores, ainda silenciosos, quase à socapa, de que um certo cardeal da política no Distrito Federal estaria preocupado com o que Pedro Passos pode dizer.

A decisão da CCJ - exdrúxula, é bom que se diga - foi atender, veja só, o pedido do preso. Os deputados, na figura do presidente da CCJ, Chico Leite, do PT, é claro; disse que a maioria dos deputados da CCJ acatou o pedido baseado no pleno direito de defesa que a Constituição dá aos cidadãos. Essa desculpa não colou. Os deputados acataram porque querem saber o que Pedro Passos pode fazer com as informações que tem. Antes dele jogar a sujerada no ventilador, querem se certificar se podem negociar alguma coisa. A chantagem começou!

A DECISÃO

A Ministra do STJ e presidente do inquérito que investiga os fraudadores, Eliana Calmon, divulgou que ouvirá o depoimento de Pedro Passos amanhã, às 08:15, antes do encontro dos deputados com o investigado. Aliás esse encontro pode nem acontecer, pois precisa de uma autorização judicial da ministra. As coisas se complicaram para Pedro Passos, e , por tabela, para muita gente de poder aqui no DF.

A propósito: Dizem que os deputados da CCJ irão a assembléia com violão, frutas e pão e em roda cantarão esse sucesso de Raul Seixas e Paulo Coelho para Pedro Passos:

MEU AMIGO PEDRO
Get this widget | Share | Track details



Muitas vezes Pedro você fala,
Sempre a se queixar da solidão
quem te fez com ferro fez com fogo, Pedro
É pena que você não sabe não
Vai pro seu trabalho todo dia
Sem saber se é bom ou se é ruim
quando quer chorar vai ao banheiro
Pedro, as coisas não são bem assim
Toda vez que eu sinto o paraíso
Ou me queimo torto no inverno
Eu penso em você meu pobre amigo
Que só usa sempre o mesmo terno
Pedro onde você vai eu também vou
Pedro onde você vai eu também vou
Mas tudo acaba onde co..me..çou
Tente me ensinar das tuas coisas
Que a vida é séria e a guerra é dura
Mas, se não puder cale essa boca, Pedro
E deixa eu viver minha loucura
Lembro Pedro aqueles velhos dias
Quando os dois pensavam sobre o mundo
Hoje eu te chamo de careta
E você me chama de vagabundo
Pedro onde você vai eu também vou
Pedro onde você vai eu também vou
Mas, tudo acaba onde co..me..çou
Todos os caminhos são iguais
O que leva à glória ou a perdição
Há tantos caminhos, tantas portas
Mas, somente um tem coração
E eu não tenho nada a dizer
Mas, não me critique como eu sou
Cada um de nós é um universo, Pedro
Onde você vai eu também vou
Pedro onde você vai eu também vou
Pedro onde você vai eu também vou
Mas tudo acaba onde co..me..çou
É que tudo acaba onde co..me..çou



Nenhum comentário: