04 maio, 2007

Batismo de Sangue e de mentiras.

Batismo de Sangue é o mais novo libelo do vitimismo das esquerdas. O filme, baseado no livro homônimo de Frei Beto - aquele mesmo que admira, veja só, o regime cubano, que para ele é democrático - conta a história de Frei Tito, um dominicano torturado pelo delegado Fleury nos “porões da ditadura”.

O que mais incomoda no filme, não falarei da técnica e dos recursos cinematográficos, é a história não explicada; ou por outra, mal contada. Vendo o filme, a impressão que passa é a de que tanto os frades quanto Marighela, deram a vida pela democracia, quando em verdade, queriam implantar no Brasil uma ditadura de esquerda, à cubana. É óbvio que a tortura choca e ninguém mentalmente sadio a justificaria, mas é preciso dizer que em matéria de tortura, os líderes esquerdistas admirados por Frei Beto e por outros “ases” da esquerda, foram mais eficazes. Alguém ainda lembra dos tribunais de Stálin? E das execuções comandas por Che e Fidel, alguém lembra? Alguém sabe? Por isso, não me venham com essa conversa mole de que o filme é uma homenagem a democracia, uma espécie de tributo a homens que lutaram pela democracia que desfrutamos. É mentira! S e eles tivessem vencido, hoje teríamos um regime sem liberdade de expressão e todos reverenciando assassinos como Fidel, Che Guevara e Stálin!

O Governo Lula e os “progressistas” estão trilhando outro caminho para solapar as liberdades, o Estado de Direito e a democracia, mas isso é para outro post.

8 comentários:

Marcus Mayer disse...

Muito obrigado pelos comentários deixados em meu Blog. Retribuo os elogios na mesma intensidade!

Estamos do mesmo lado, a favor de um Brasil melhor.

Que ótima a reportagem de Alvaro Vargas Llosa, na VEJA desta semana, sob o título "O Retorno do Idiota".

O seu endereço também já consta de minha da lista de "links interessantes", no blog.

Abraço e continue assim!

PATRICIA M. disse...

Detesto esses filmes. Nao assisti e nao gostei de Cidade de Deus. Nao assisti e nao gostei de Carandiru. Romanceiam a miseria e a violencia. Fiquei super feliz quando Carandiru nao ganhou o oscar de melhor estrangeiro. E fiquei mais feliz ainda que todo mundo aqui no exterior notou o embuste que era a pelicula. Bem feito. Esse eh mais um que merece a lata de lixo da historia.

Blogildo disse...

Só falta a esquerda fazer um monte Rushmore com os seus ícones para preservar o mito de que a esquerda lutava pela democracia. Uma pinóia! Lutavam contra o governo para instalar a sua própria ditadura e só!

David disse...

Cambada de bandidos desde sempre. Mataram poucos.

PATRICIA M. disse...

Estamos ai, para o que der e vier. O que esta te matando de raiva?

PATRICIA M. disse...

Ja vi o que tu fez, haha, disse que Paulo Freire nao te dizia nada e foi "repreendido" pelos seus superiores, correto? Te vi la no Reinaldao.

David disse...

Que tá pegando?

Blogildo disse...

Se pensarmos bem já vivemos num regime sem liberdade de expressão e todos reverenciando assassinos como Fidel, Che Guevara e Stálin.