31 maio, 2007

Educação, outra piada.

O Ministério da Educação passou, até agora, incólume às suspeitas de negociatas com a Gautama. Isso não é de causar espanto, porque o governo Lula prefere contruir pontes que ligam... Ligam o quê mesmo? a investir na educação. A última do governo foi prometer, novamente, construir presídios para diminuir a violência. Só não vale chamar o Zuleido e sua patota. Pô! A Gautama construir presídio seria muita ironia. Voltemos ao tema.

O Ministério da Educação divulgou os números do ENADE, e, para a alegria do Lula, nossos alunos universitários estão entrando, e pior, também estão saindo do ensino superior com a mesma bagagem intelectual de nosso presidente. Apenas 0,79 % dos cursos avaliados receberam nota máxima. Em números absolutos, foram 45 cursos com boas notas num universo de mais de 5701 cursos.

O estudo revelou pela enésima vez que os alunos das universidades públicas - eu fui um deles, lá pelos idos de 1997 a 2003 - têm, em termos de notas, um desempenho melhor do que os seus colegas da rede privada. Toda vez que sai um resultado desses, os alunos das federais - tipo assim, aluno da UNB - enchem o peito de um orgulho idiota e alienado. Acreditam na falácia de que estudam nas melhores faculdades, de que são mais bem preparados para o mercado de trabalho, sentem-se como se fossem deuses.

A verdade é que esses alunos deveriam, antes de tudo, sentir menos orgulho da universidade em que estudam, e mais de si mesmos. Explico: A diferença nas avaliações entre alunos das federais e alunos das privadas, está mais na qualidade do aluno do que na da universidade.

Todos sabemos como é feita a seleção dos jovens que ingressam na quase totalidade das faculdades privadas do país. Já escrevi a respeito aqui, que o vestibular de um UNICEUB e de um IESB desmoraliza a inteligência de um candidato que se submete a prova. Não falo da qualidade dos professores e das instalações dessas faculdades, acho até que em relação a UNB e a outras federais, as instalações das faculdades privadas são muito melhores e o nível dos professores não me parece ser assim tão diferente. A diferença são os alunos, que nas federais passaram por um funil muito estreito e tiveram uma formação menos deficiente na escola básica. Quando se trabalha com bons alunos, que estudam por prazer e com compromisso, até um professor medíocre parece ser um gênio.

Numa escala de 0 a 100, as notas do ENADE foram em conhecimentos específicos 36,0 e em conhecimentos gerais 45,4, em média. Ou seja, até os alunos das universidades públicas, nesse ENADE, não foram lá grande coisa, quer dizer, nem medíocres foram. Assim, a qualidade do Ensino superior, público e privado, foi contestada. O problema, a meu ver, está na escola básica. Como diria o senador Cristovam, a revolução na educação não está na melhoria do ensino superior, mas em garantir qualidade e eficiência no ensino básico. Formem bons alunos de Ensino Fundamental e Médio e logo o ensino superior dará um salto de qualidade.

A escola hoje vive num grande faz de conta. Soube que nas escolas municipais do Rio de Janeiro está proibido reprovar o aluno. O argumento, dizem, é pedagógico, mas sabemos que o motivo é econômico. Dá-se um certificado a um aluno que não sabe juntar lé com cré e apresenta-se números vistosos depois. O aluno médio, aquele que vai para a escola cumprir um dever social, percebe as brechas do sistema e surfa nessa onda. Estuda o mínimo, não se incomoda com a própria ignorância e vai levando, levando... Sem estudo, sem dedicação e no final, faz uma faculdade privada, ou mesmo pública, repete o estratagema, vem o ENADE e aí, BOMBA! A faculdade privada é ruim e a pública - apesar de ter notas maiores, não é tão melhor.

Isso é Paulo Freire na veia! Esse cientista, pensador, educador e prestidigitador sempre sonhou em formar alunos críticos, ainda que esses alunos continuassem ignorando a gramática, a tabuada, a história, a geografia, a biologia, a física, etc. O que interessava, para Paulo Freire, claro, era formar militantes, não bons alunos.

30 maio, 2007

Ouçam e vejam!


Há certos momentos em que ouvir uma boa música e caminhar por lugares assim, revigoram o espiríto combalido pela vicissitudes da vida. Aos meus 7 leitores, dedico esse post.



Get this widget | Share | Track details

29 maio, 2007

A UNB virou piada.

Pronto! O sistema de cotas da UNB foi desmoralizado. O Tribunal de pureza racial dessa universidade fez uma lambança daquelas. Lembram do argumento dessa comissão torpe quando começaram a estipular através de fotografias quem era negro de quem não era? Queriam reparar uma injustiça, pôr fim ao racismo, atrair "negros" capacitados para frequentar a UNB. Um absurdo! Um vexame! E agora essa palhaçada explode e humilha esses "gênios" da UNB que querem, junto com a ministra do racismo e os movimentos pela negritude, implantar o racismo no Brasil.

Dois irmãos gêmeos, univitelinos, filhos de pai negro e mãe branca, inscreveram-se no sistema de cotas da UNB. E para a surpresa geral, o comitê que diz quem é negro e quem é branco, foi taxativo: o Alan é negro, mas o Alex é branco. Mas espere um pouco. Não são gêmeos univitelinos? Pois é leitor, pode rir à beça! ( Para ver a reportagem clique aqui)

Faz cerca de 8 meses, escrevi em tom jocoso, mas com conhecimento de causa, que eu tinha mais genes africanos que Pelé. As poucas pessoas que leram, chamaram-me de radical, irônico, essas coisas. Não! Falei sério!

Um estudo pedido pela BBC Brasil, realizado pelo pesquisador da UFMG Sérgio Danilo Pena, analisou as amostras de DNA de 120 negros brasileiros anônimos do estado de São Paulo, e descobriu que neles há 60% de ascendência européia. Os "NEGÃO" geneticamente são muito mais brancos do que pensavam. O mesmo estudo analisou "negros" famosos, como Daiane dos Santos e Neguinho da Beija-Flor. Resultado: eles têm pela escura, mas genes europeus em abundância.

É óbvio que o Brasil é um país de mestiços. Aliás, o primeiro a valorizar isso foi um pernambucano, também chamado Freire, mas não era picareta como o Paulo. Falo de Gilberto Freire. Quando todos viam na mestiçagem do Brasil uma razão para o subdesenvolvimento, Gilberto Freire via uma originalidade e uma qualidade que só pertencia ao Brasil. Nos tempos de Lula, os esquerdofrênicos, em nome do povo, dos oprimidos e das minorias, querem dividir o indivisível: É IMPOSSÍVEL DIVIDIR RACIALMENTE O BRASIL.




27 maio, 2007

Ontem Silas, hoje Renan. E amanhã?

As coisas estão ficando claras antes do que eu imaginava. Talvez eu tenha sido o primeiro blogueiro a defender publicamente a inocência de Silas Rondeau nesse caso da Gautama. No post abaixo, baseado em infomações de uma fonte segura, disse que há na PF um ramo disposto a minar a influência do PMDB no governo do presidente Lula. O ministro Silas foi posto nesse furacão sobretudo porque representava o poder de Sarney e de Renan no ministério e no governo. Vamos aos desdobramentos:

Os advogados de Maria de Fátima Palmeira relataram que nas oito horas de depoimento à ministra do STJ Eliana Clamon, Fátima Palmeira repetiu que "não conhece e nem nunca esteve como o ministro Silas Rondeau" Disse ainda que o envelope que aparece nas imagens não leva dinheiro, mas uma documentação. Por que a secretária livraria a cara do ministro? Ela está suficientemente enrolada para tentar salvar alguém. De qualquer maneira, a juíza determinou seu retorno à prisão. Ontem divulguei que o próprio Zuleido declarou na prisão, conforme relatou um dos presos já soltos, que o ministro Silas é inocente.

O plano prossegue...

Logo depois da queda de Silas, que em tese também foi um golpe no PMDB de Renan e de Sarney, a revista Veja divulga uma reportagem bomba informando que Renan Calheiros, presidente do Senado, teve suas contas pessoais pagas por um lobista da construtora Mendes Junior. Não contesto a reportagem, nem a Revista. A rigor, o que a matéria fala é da esquisitice de um senador pedir a um lobista que intermedeie um assunto financeiro com uma ex-amásia do parlamentar, cuja relação produziu uma filha que hoje está com 3 anos. Minha dúvida é: Quem passou essas infomações? Que interesse havia de ligar a Mendes Junior a Renan? Não é estranho que em 1 semana os cardeais do PMDB estejam envolvidos em relações suspeitas com empreiteiras? Acabou? Não. Tem mais.

O presidente Lula ao comentar as denúncias, ainda na quinta, fez uma defesa muito tímida do Presidente do Senado. Parecia que Lula mais se defendia do que defendia Renan. O presidente preferiu, na quinta, desqualificar a matéria. Lula, porém, é um homem de convição frágil. De forma mais incisiva, no sábado, cobrou de Renan uma explicação para as denúncias; isso no jargão político é jogar lenha na fogueira que pretende queimarRenan Calheiros.

A Folha divulgou nesse domingo que o principal programa do PAC no Ministério de Minas e Energia, o LUZ PARA TODOS, vem se transformando num feudo do PT. O ministro Silas, além de não ser carreirista na política, estava na cota do PMDB, parece que atrapalhava os planos de muitos petistas dentro e fora do ministério. Não sei se eu consigo uma entrevista com Silas, mas aposto meu salário (porque se eu perder, não perco lá grande coisa mesmo) que havia dentro do ministério interesses muito sérios, contrariados. Tinha gente do PT insatisfeita com o ministro, e isso explica muita coisa.

O PMDB está na berlinda e nela deve ficar por uns tempos... Quem será o próximo cardeal do PMDB envolvido? Joaquim Roriz? José Sarney? Culpados ou não, esses homens estão sendo vítimas da Gestapo petista.

26 maio, 2007

Silas Rondeau é sim, inocente!

Muita gente crucificou o ministro Silas Rondeau. A pressão foi enorme, a exploração das supostas provas pareciam incontestáveis e Silas caiu. A família do ministro ficou atônita. Custava-lhes crer que Silas estivesse mesmo envolvido no crime. Não era político de carreira, não tinha pretensões eleitorais, é um técnico, cuja competência é reconhecida, e, que, de repente, viu-se envolvido e enredado nas malhas da Operação Navalha. Silas caiu, chorou, foi abandonado e... é inocente!

Uma fonte confidenciou a esse blog que a Polícia Federal, sob a batuta de Tarso Genro, tem um grupo disposto a minar o poder do PMDB na coligação governista. A ação contra Silas, o seu nome jogado na lama, fez parte dessa tramóia, cujo objetivo, garantiu a fonte, era desmoralizar o PMDB. O substituto de Silas apesar de constar como da cota do PMDB, é na verdade, da cota de Dilma Roussef, Ministra da Casa Civil. Ela é do PT.

Analisando o caso.

As provas que a PF diz ter contra o ministro são frágeis se analisadas sem a espetacularização da TV. As gravações rigorosamente não dizem que houve corrupção, embora a amizade de um Zuleido Veras com os assessores do ministro e com o próprio Silas, seja um indício consistente contra o ministério.

Num dos trechos da gravação, um suposto Santana, coordenador do Programa Luz Para Todos, pede a Maria de Fátima Palmeira, secretária de Zuleido, e, segundo a PF, braço direito do chefe da gangue, que entrasse por uma portaria auxiliar, onde não haveria a necessidade de identificação. O que parece suspeito, é explicável. Conheço muita gente que entra por essas portarias e não são criminosas.

Por que Silas Rondeau ameaçaria seu nome por 100 mil reais? o que a PF teria contra Silas? Por que mesmo com as provas a prisão de Silas não foi decretada? Tentarei responder a essas perguntas. A PF chegou a pedir à ministra Eliana Calmon a prisão do ministro, mas a magistrada em seu despacho considerou que as provas apresentadas não eram suficientes para se decretar uma prisão preventiva contra o ministro.

Silas Rondeau, rodou. Não porque era corrupto, mas porque representava o PMDB, os Sarney e os Renan no governo Lula. Silas foi vítima de uma PF que vem se tornando uma GESTAPO, a serviço do PT.

Soube há pouco, e a Folha online publicou também, que Zuleido Veras em prantos repetia que o ministro estava sendo vítima do enxovalho público sem merecer. Teria dito Zuleido textualmente: "O ministro é inocente!" Entre os presos, a maioria já foi solta, corre-se a versão de que essa operação serviria para abafar a CPI do apagão áereo. A rigor, essa operação só prejudicou o congresso, o executivo não foi atingido, sobretudo porque o único ministro envolvido não é um político e fazia parte da cota do PMDB.

As 7 pessoas que me lêem talvez me chamem de ingênuo ou que a proximidade com a família do ministro está amolecendo o meu coração. Digo e repito: a cada dia me convenço que Silas Rondeau é inocente e vítima da política nazi-fascista de um PT que não se acanha de achincalhar reputações para chegar ao poder.



Democracia aloprada

O Vice-Reitor sai do Anfeatro da Geografia e na
seqüência é "escoltado" até a saída do câmpus





Meus caros 7 leitores avulsos.

O que a invasão da reitoria da USP, a passeata de professores estaduais em São Paulo, a invasão da hidrelétrica de Tucuruí no sul do Pará, e a invasão da Superintendência do Incra em Pernambuco, têm em comum? Basta ver as fotos e o leitor inteligente entenderá.

Contudo, como eu sei que alguns esquerdofrênicos sempre passam por aqui, vou tentar desenhar para eles.

As esquerdas têm uma visão muito aloprada de democracia. Para eles, a democracia só existe quando todos concordam com eles. O que conta, na democracia deles, é a opinião do grupelho, da minoria mobilizada. Os que pensam e agem diferente, só uma saída: a prisão ou a execução. Os esquedistas que se dizem democráticos, não se envergonham de descumprir a lei, pelo contrário, vêem nisso um certo heroísmo romântico, embora em época de Lula, esses baderneiros sabem que ficarão impunes. Não foi isso que aconteceu no quebra quebra da Câmara?

A invasão do incra foi promovida por Bruno Maranhão, aquele mesmo que liderou o vandalismo na Câmara Federal. O motivo? Exigir do ministro de Desenvolvimento agrário o retorno da senhora Maria Oliveira que ocupava a superitendência da autarquia em Pernambuco, mas que na verdade fazia a política do MLST e não a do governo. Viram? Quando as coisas não saem como esses "iluminados" querem, eles apelam para a violência e paara o desrespeito às leis.

Sei que há gente que vê nesses movimentos a genuína expressão do povo. Enxerga na quebra da lei, a superação dos grilhões que atam o povo sofrido. Tudo isso é balela. Quem acredita nisso ou é idiota, ou desinformado, e o que é pior: pode estar mal intencionado.

Para essa gente que não tem o que fazer, só uma saída: CADEIA!

25 maio, 2007

Samir Abou Hanna


Vai entender o que se passa na cabeça de uma criança!

Os psicológos, que dizem entender de tudo, ainda que seja para reduzir os mistérios da mente humana a um certo trauma freudiano, talvez expliquem por que uma criança, entre 7 e 11 anos, memoriza um evento absolutamente irrelevante e sem propósito.

Quando eu tinha essa idade, morava lá no "sítio" da rua Leal de Barros e estudava no pequeno e hoje inexistente, por incompetência de muita gente, Instituto Santa Terezinha. Ouvia, junto com meu irmão e os meus pais, todos os dias de manhã, um programa de rádio chamado Samir Abou Hanna. Não consegui o jingle do programa, mas um dia ainda o encontro.

Samir era um comunicador que rivalizava com Geraldo Freire, da Rádio Jornal, este ainda em atividade. Seu epíteto era "Samir, o secretário da cidade". Tentou ser prefeito do Recife. Para a sorte dele e da cidade, ainda bem que não conseguiu.

Às 08 da manhã, iniciava um dos blocos mais famosos do seu programa na rádio: Conselho do Coração. Além das histórias estapafúrdias lidas nas cartas, desconfio que eram, a maioria, invencionice; o bloco iniciava com o famoso Concerto n°1 para piano de Tchaikovsky. Quando eu ouvia os primeiros acordes, já sabia: "vai começar o conselho d0 coração". Ficava então com a orelha cauta.

Geralmente, as cartas, lidas no ar por Samir, versavam sobre adultério, doenças, intrigas, invejas, essas coisas bem povão. Os nomes eram fictícios e Samir impostava a voz dando um ar de solenidade a narrativa da carta. Vejam um exemplo:

Samir, bom dia, meu amigo.

Eu me chamo Josefa e estou casada há 12 anos. Meu marido está muito doente e desenganado pelos médicos. Sempre fui uma esposa fiel e dedicada, mas ainda jovem, tenho apenas 35 anos, venho recebendo de um vizinho alguns elogios que me fazem lembrar que ainda sou mulher, bonita e desejável. Ele, Samir, o vizinho, é casado, o que torna essa história ainda mais complicada. Ah Samir, o que eu faço? Como agir em situação tão difícil? Quero ceder às investidas de meu vizinho, mas minha formação cristã me impede de fazê-lo. O simples desejo, não é pecado? Ajude-me Samir com o seu conselho do coração"

Nessa hora a música aumentava, Samir Abou Hanna fazia uma pausa, e começava:

Minha querida Josefa! Ah, meu anjo! Que situação difícil a sua. Sabe, amiga, entendo o seu drama, posso até senti-lo daqui e me comovo com ele. Sei que você ama seu marido inválido, sei que você o respeita. Na cartinha, você não diz que tem filhos, suponho que não os tenha, o que torna a situação menos complicada, ou as conseqüências menos dolorosas. O que posso lhe dizer, meu anjo, do fundo do meu coração, é que você resista ao seu vizinho. Ele talvez esteja querendo se aproveitar de uma situação, não ama você. Se amar, saberá esperar o dia em que você esteja livre. Resista, meu anjo! lembre-se que esse sacríficio é virtuoso. Não se deixe levar pelos desejos da carne. O amor que seu marido, hoje inválido e desenganado pelos médicos, tem por você precisa ser respeitado. Você o trai em pensamento? Quem é perfeito? Então, querida Josefa, com a minha ternurinha, com o meu amor e o meu afeto, continue fiel ao seu marido. Este é o meu conselho do coração.

A música voltava a ficar alta por alguns segundos e, logo depois, entrava o Jingle que iniciava o programa. (ainda vou procurar esse jingle pela internet)

Ouça a música do compositor russo.

23 maio, 2007

Benício, cômico e pândego

Há declarações que se não fossem trágicas, seriam cômicas. Não, meus caros 7 leitores avulsos, não falo das pobres metáforas de Lula. Falo da desfaçatez do deputado distrital Benício Tavares do PMDB.

Não é que o deputado anda indignado com a divulgação na imprensa das conversas comprometedoras dos envolvidos na Operação Navalha da PF? Enquanto alguns deputados da assembléia legislativa do DF fazem fita - jogam para a platéia - abrindo na corregedoria um processo contra Pedro Passos, outros, como Benício Tavares, declara, segundo informa o correio web: "A colocação da fita me trouxe um prejuízo muito grande. Peço que apure o vazamento do CD em uma investigação interna". E conclui: "Aquela foi uma conversa mais do que normal, entre colegas de partido. A vinculação que foi feita foi desastrada e exagerada". Benício, o que lhe traz prejuízo muito grande é o processo que investiga sua participação na orgia do rio Amazonas, onde menores de idade, em troca de dinheiro, faziam "carícias" nos passageiros do navio da sacanagem. O deputado Benício acha "normal" que um deputado preso, ligue para ele e peça para articular o relaxamento de sua prisão. Só seria normal Benício, se os outros deputados fossem cumplices no crime. Taí, agora entendo porque Benício achou essa conversa com Pedro Passos preso, normal.

Disse acima que os demais deputados da assembléia estão jogando para a platéia ao dizer que abriram processo por quebra de decoro parlamentar contra Pedro Passos. Crimes de maior envergadura foram cometidos por ele - conhecidíssimo como grileiro - por tantos outros, como o próprio Benício Tavares, e eles estão aí, lépidos e fagueiros, fazendo festa com nosso dinheiro. O caso vai esfriar, os deputados vão alegar falta de provas e vão arquivar o processo. Não acredito na punição dos culpados.

O fim do voto secreto...

Um dado que passou desapercebido pela Grande Mídia do DF foi que os deputados da assembléia legislativa não votaram em plenário o relaxamento da prisão - ele já foi solto - do deputado Pedro Passos, porque teriam que mostrar a cara. Nenhum deputado queria ficar mal com seu colega, mas também não queriam passar aos eleitores, a imagem de lenientes com a corrupção. Foram salvos pelo gongo, quer dizer, pelo recado de Passos. Vejam o post, Meu amigo Pedro.

22 maio, 2007

A nota de Silas Rondeau

Leia a íntegra da nota em que o ex-ministro Silas Rondeau pede demissão. Depois volto.

"Comunico que na tarde de hoje entreguei ao excelentíssimo senhor presidente da República o cargo de ministro de Estado de Minas e Energia que, honrosa e dedicadamente, exerci por sua confiança.

Cada segundo que dediquei com afinco ao exercício de minhas funções foi pautado por valores éticos, morais e cristãos. Nunca, em momento algum, jamais pratiquei qualquer ato que não fosse orientado pelos princípios essenciais que sempre nortearam a minha vida com absoluta honestidade e compostura.

Reafirmo minha completa e absoluta inocência em relação às denúncias levantadas contra minha pessoa, na certeza de que tudo será esclarecido, provando a injustiça e a crueldade das mentiras e insinuações divulgadas a meu respeito que atingiram a minha honra.

Minha vida de técnico, trabalhador, de vida modesta, respeitado no setor elétrico que escolhi por profissão e ao qual me dediquei inteiramente, tem sido marcado pela lisura e pela honradez.

Tudo fiz para servir ao governo do presidente Lula e agradeço a Deus a oportunidade de tê-lo conhecido de perto e com ele ter trabalhado pela grandeza do Brasil. É com gratidão que a ele me dirijo, lamentando profundamente a ocorrência desses fastos.

Deixo o governo para impedir que o setor energético, fundamental para o desenvolvimento do país, seja prejudicado e a imagem do governo seja de algum modo afetada.

Creio em Deus e confio na Justiça."

Um leitor atento percebe algo de diferente na nota. Em momentos decisivos da nota, o ministro se refere a valores cristãos e a Deus. Pouca gente sabe, mas o pai do ministro é pastor batista e toda sua família é cristã evangélica. A carta de Silas tem, portanto, um objetivo pessoal: mostrar aos familiares, ainda incrédulos, que os valores cristãos e a crença em Deus norteiam suas ações.

Outro dado da carta é a esquisita deferência que o ex-ministro faz ao presidente Lula. Se essa deferência não for cálculo, o ex-ministro está pondo a mão no fogo por gente que não merece. Oh Silas, esse governo é sujo, e não é de hoje. Antes da navalha, teve o mensalão e os sanguessugas. Acho que você blasfemou ao ter agradecido a Deus por ter conhecido e servido ao presidente Lula. Foi um péssimo negócio, ao que parece.

O ex-ministro reafirma na nota,que todas as acusações contra ele são mentirosas, e lembra que sempre pautou o seu trabalho pela honestidade e honradez. Tomara que o ministro tenha razão e consiga na justiça provar a inocência. Infelizmente, e ele sabe disso, sua imagem ficará por um bom tempo, atrelada a essa suspeita e sempre pairará sobre sua pessoa e dúvida se recebeu ou não a propina.

Silas Rondeau foi abandonado pelos seus padrinhos políticos. Experimentará o lado amargo do ostracismo provocado pelas denúncias. Tenho aqui a impressão que, como peixe pequeno, Silas Rondeau será jogado aos leões, para salvar, ao menos por enquanto, gente mais graúda envolvida nos escândalos.

O furo foi meu!

Quem primeiro anunciou a inevitável saída de Silas Rondeau do Ministério das Minas e Energia, fui eu, no post Silas Rodou, do dia 20 de maio, às 23:19 (vejam abaixo); a maioria dos blogs só citaram a inevitável demissão de Silas na segunda, dia 21 de maio. Reinaldo Azevedo publicou a notícia na madrugada (03:25) do dia 21 de maio, ou seja, 4 horas depois de meu post ser publicado. Reinaldo Azevedo é um jornalista admirável e competente e com quem aprendo sempre. Por isso, há em mim uma certa jactância em dizer que como o grande jornalista Reinaldo Azevedo, eu também, e sem lê-lo antes, antecipei a demissão do ministro Silas Rondeau. Leiam o post Silas Rodou e verão que o blog Notícias do Planalto tem poucos leitores, mas Costa Jr está atento ao cenário.

Aos meus poucos leitores, outro furo: no post Luz para Todos e dinheiro para poucos, do dia 17 de maio, está ali, confesso que escamoteadamente - tenho minhas razões - a sugestão de que o escândalo chegaria ao ministro, agora, ex -ministro, Silas Rondeau.

Tenho pouco mais de 7 leitores, assim avulsos, mas tenho mais motivos para me jactar desses furos que muito blog famoso por aí.

Mais informações

Um assessor de nome Adão Birajara Farias, ex-chefe de gabinete do deputado Pedro Passos quando este foi secretário de agricultura do governo Joaquim Roriz e até há pouco, lotado na Secretaria de Agricultura do DF, foi exonerado hoje, depois de ser preso pela Polícia Federal, acusado de destruir documentos e porte ilegal de arma. Para a PF o assesor Adão Farias, amigo de Pedro Passos e de um certo cardeal da política em Brasília, destruiu documentos que comprovariam as maracutais de Pedro Passos com a Gautama na construção da barragem de Corumbá IV. É pouco provável que Pedro Passos tenha ligado para esse assessor, então que deu a ordem para a queima de documentos?

O assessor preso e já solto, declarou que queimava documentos porque estava fazendo uma faxina em sua casa. Esquisito esse Adão, começa a faxina queimando papel.

Por fim...

O ministro do STF, Gilmar Mendes, informa o correio web, acabou de conceder o habeas corpus a Pedro Passos. Ele será solto a qualquer momento. Os deputados da CCJ poderão ir a casa do deputado cantar a musiquinha que está no post abaixo.

Meu amigo Pedro.

Pelo menos na esfera distrital as engrenagens das ameaças veladas, das chantagens nas sombras, começaram. Explico-me: Hoje, o plenário da Assembléia Distrital estava pronto para votar se concedia ao deputado Pedro Passos, que continua preso, o relaxamento da prisão. Na hora H, eis que o advogado do deputado aparece no plenário com um recado de Pedro "grileiro" Passos. O recado era: "quero ser ouvido pelos colegas deputados da CCJ ou qualquer outro que queira comparecer à prisão, antes deles votarem o relaxamento de minha custódia. Quero me defender para meus pares." O recado, para muitos, teve duas interpretações:

1 - Ganhar tempo, devido à farta documentação e provas contra o distrital. Muitos colegas parlamentares se sentem constrangidos de livrar a cara do colega, ainda que não lhes faltem vontade.

2 - Outros interpretam como uma ameaça velada, uma chantagem nas sombras. Pedro quer lembrar aos deputados que tem informações comprometedoras e que muita gente ainda não envolvida, de repente, pode aparecer nas páginas dos jornais. Há rumores, ainda silenciosos, quase à socapa, de que um certo cardeal da política no Distrito Federal estaria preocupado com o que Pedro Passos pode dizer.

A decisão da CCJ - exdrúxula, é bom que se diga - foi atender, veja só, o pedido do preso. Os deputados, na figura do presidente da CCJ, Chico Leite, do PT, é claro; disse que a maioria dos deputados da CCJ acatou o pedido baseado no pleno direito de defesa que a Constituição dá aos cidadãos. Essa desculpa não colou. Os deputados acataram porque querem saber o que Pedro Passos pode fazer com as informações que tem. Antes dele jogar a sujerada no ventilador, querem se certificar se podem negociar alguma coisa. A chantagem começou!

A DECISÃO

A Ministra do STJ e presidente do inquérito que investiga os fraudadores, Eliana Calmon, divulgou que ouvirá o depoimento de Pedro Passos amanhã, às 08:15, antes do encontro dos deputados com o investigado. Aliás esse encontro pode nem acontecer, pois precisa de uma autorização judicial da ministra. As coisas se complicaram para Pedro Passos, e , por tabela, para muita gente de poder aqui no DF.

A propósito: Dizem que os deputados da CCJ irão a assembléia com violão, frutas e pão e em roda cantarão esse sucesso de Raul Seixas e Paulo Coelho para Pedro Passos:

MEU AMIGO PEDRO
Get this widget | Share | Track details



Muitas vezes Pedro você fala,
Sempre a se queixar da solidão
quem te fez com ferro fez com fogo, Pedro
É pena que você não sabe não
Vai pro seu trabalho todo dia
Sem saber se é bom ou se é ruim
quando quer chorar vai ao banheiro
Pedro, as coisas não são bem assim
Toda vez que eu sinto o paraíso
Ou me queimo torto no inverno
Eu penso em você meu pobre amigo
Que só usa sempre o mesmo terno
Pedro onde você vai eu também vou
Pedro onde você vai eu também vou
Mas tudo acaba onde co..me..çou
Tente me ensinar das tuas coisas
Que a vida é séria e a guerra é dura
Mas, se não puder cale essa boca, Pedro
E deixa eu viver minha loucura
Lembro Pedro aqueles velhos dias
Quando os dois pensavam sobre o mundo
Hoje eu te chamo de careta
E você me chama de vagabundo
Pedro onde você vai eu também vou
Pedro onde você vai eu também vou
Mas, tudo acaba onde co..me..çou
Todos os caminhos são iguais
O que leva à glória ou a perdição
Há tantos caminhos, tantas portas
Mas, somente um tem coração
E eu não tenho nada a dizer
Mas, não me critique como eu sou
Cada um de nós é um universo, Pedro
Onde você vai eu também vou
Pedro onde você vai eu também vou
Pedro onde você vai eu também vou
Mas tudo acaba onde co..me..çou
É que tudo acaba onde co..me..çou



21 maio, 2007

Ministro, vá para casa!

Como eu havia adiantado aqui, o noticiário sobre a operação Navalha tem se concentrado nas sérias suspeitas que recaem sobre o ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau. Esse destaque ao ministro deve-se ao fato dele ser, até agora, a autoridade da república mais graduada envolvida nos escândalos. Sabe-se que em Brasília, muita gente importante está com aquele silêncio dos culpados. Uma fonte desse blog garantiu que o ex-governador e hoje senador pelo DF, Joaquim Roriz, está acabrunhado com os desdobramentos da Operação Navalha, e o que é pior: ele não é o único. Foi durante a gestão Roriz no governo de Brasília, que o deputado distrital Pedro Passos, que ainda está preso, fez contato com a Gautama. Na época, Passos era secretário de agricultura do governo Roriz. Como a safadeza com o dinheiro público está em todos os partidos, é provável que se opere a famosa salvação dos náufragos. Todo mundo escapa, menos o país e as instituições.

Silas Rondeau fez uma defesa incisiva de sua biografia e honestidade. Disse, ainda no Paraguai: "Eu não posso aceitar isso. Tenho toda uma história e uma biografia a zelar, que estão acima do cargo e acima de tudo" e concluiu: "Me causa indignação, porque esse prejulgamento é uma coisa horrível. Acho isso um processo extremamente nocivo e cabe à Justiça confirmar e esclarecer". É preciso dizer que o MME, através de sua assessoria de imprensa, convocou jornalistas para contestar as provas que a PF diz ter contra Silas Rondeau. Se o ministro pudesse me ouvir, eu diria: Silas, em nome de sua honra, de sua história e de sua biografia, deixe o cargo e prove para todos, que hoje suspeitam de sua probidade, que armaram uma arapuca para o senhor. Nada é mais importante que um nome honrado! Saia do cargo! Deixe esse governo de ladrões o quanto antes, para não ser confundido com eles.

20 maio, 2007

Silas Rodou.

O ministro das Minas e Energia, Silas Rondeau, disse aos jornalistas no Paraguai, onde participa, junto com o presidente Lula, da inauguração de duas unidades de geração de energia da usina de Itaipu, que nega peremptoriamente, as acusações da Polícia Federal de que teria recebido no dia 13 de março de 2007 a quantia de 100 mil reais como propina da Gautama. Visivelmente contrariado, o ministro declarou que não há provas contra ele porque a acusação é mentirosa.

A situação do ministro, na minha avaliação, é muito delicada. Até agora, ele é o único dos envolvidos no escândalo da Gautama que tem ligação direta com o poder executivo. Enquanto ele estiver na esplanada, o escândalo respingará no governo. Se Lula foi capaz de abandonar publicamente companheiros mais íntimos, como Genoíno, Dirceu e Delúbio, o que não fará com Silas Rondeau, de quem só ouviu falar por causa do senador José Sarney.

As provas exibidas no fantástico parecem irrefutáveis, mas a cautela e a prudência, assim como a Constituição, dá a todos a prerrogativa da inocência até que se prove o contrário. O problema é que na política o tempo é outro, e, por isso, acho muito pouco provável que o ministro permaneça no cargo.



Governo Lula e a Era das Trevas!

"O séc’lo é grande... No espaço
Há um drama de treva e luz.
Como o Cristo — a liberdade
Sangra no poste da Cruz."

"— Nem mais um passo, cobardes!
Nem mais um passo! ladrões!
Se os outros roubam as bolsas,
Vós roubais os corações! ..."

Castro Alves



O caminho que trilhamos e o ambiente político em que vivemos deve ser motivo de preocupação. Nada, absolutamente nada, é mais caro a um ser humano do que a sua liberdade. As esquerdas sempre tiveram, quando eram perseguidas, um discurso em nome daquilo "que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda", como definiu tão bem a poeta Cecília Meireles, quando escreveu sobre a Liberdade. Não custa lembrar que o lema da Revolução Francesa foi apropriado pelos “iluministas” de esquerda que passaram a defender a Liberdade, a Igualdade e a Fraternidade. Contudo, quando esses iluminados, que só queriam um “mundo melhor”, assumiram o poder nas diversas partes do mundo, solaparam as liberdades e produziram montanhas de mortos.

Não é de hoje que o governo Lula atenta contra a democracia e, principalmente, contra as liberdades individuais e de expressão. São ainda do primeiro mandato, as diversas tentativas de intimidar jornalistas e a imprensa livre. Dois exemplos: o Caso Larry Rother, que quase foi expulso do país porque escreveu uma matéria para o New York Times onde revelava a já conhecida admiração do presidente pelos destilados; e a tentativa de se criar um conselho que deveria fiscalizar a atividade dos jornalistas, e punir os excessos da liberdade, entendam por excesso, falar contra o governo e os probos homens públicos desse país.

Uma portaria do Ministério da Justiça, rebatizado por muita gente que leu o clássico de George Orwell, 1984, de Ministério da Verdade ou do Pensamento, determina que programas de TV enviem ao ministério as fitas para que um punhado de burocratas, todos petistas travestidos de especialistas, possam julgar se um programa de TV é, ou não é, adequado para aquele horário. Se a emissora descumprir o horário “indicativo” – outro eufemismo para a censura prévia – terá o programa retirado do ar! Também espetáculos teatrais serão obrigados, antes de começar a peça, de informar à platéia a idade mínima recomendada para a atração.

Todas essas ações autoritárias do governo Lula só não foram aplicadas no primeiro mandato porque receberam da sociedade civil um contundente repúdio, mas agora, as fileiras da ignorância, os soldados das trevas, insurgiram-se com mais força, e, ao que tudo indica, derrotarão os valores de uma sociedade democrática e livre.

Lula, de forma mais sutil e sub-reptícia, segue o modelo de outros governos latino-americanos, como o da Venezuela, o da Bolívia, o do Equador e, claro, o de Cuba. Na Venezuela, por exemplo, no próximo dia 28 de maio, a maior rede de TV do país, a RCTV, terá seu sinal cancelado pelo governo, porque ousou criticar o governo do comandante venezuelano. A população da Venezuela, indignada com o fechamento da TV, terá que se contentar com a TV estatal de Hugo Chavez, esta certamente não deverá mostrar a miséria em que vivem muitos venezuelanos. Vale a pena ler - está em espanhol, mas o entendimento é fácil - um artigo sobre o avanço da censura na América Latina. Estamos caminhando para a escuridão, tudo em nome de uma democracia perturbada e de uma liberdade que só as esquerdas entendem.

Para os meus alunos de Ensino Médio e de 8° ano (antiga 7ª série), nas aulas sobre o Iluminismo, falo da liberdade de expressão. Defendo o direito sagrado de se expor livremente um pensamento, e quando ocorrer abusos, o estado de direito, com suas leis, punirá o infrator. Alguns alunos, certamente encantados pelos debilóides de esquerda, que estão na casa, na fazenda e no telhado de sapê, afirmam que a imprensa burguesa, a chamada Grande Imprensa, só defende os interesses próprios, está pouco se lixando para o povo. A mídia burguesa representada no Brasil pela TV Globo, a Revista Veja e a Folha de São Paulo, não publica verdades, dizem os debilóides, apenas manipula a opinião pública. De manipular a verdade um esquerdista entende, basta lembrar o PRAVDA e o GRAMNA, mas prefiro um país em que uma imprensa seja mentirosa e eu tenha liberdade de gritar: “Safados! Mentirosos!” a uma imprensa dirigida pelo governo, igualmente mentirosa, e que me impeça de criticá-la sob pena de ser preso.


17 maio, 2007

Luz Para Todos e dinheiro para poucos

O governo do povo leva a luz para os grotões sem esquecer de enriquecer empreiteiros, políticos e funcionários corruptos.

Ah minha república varonil! A PF desencadeou hoje a operação navalha. 46 pessoas foram presas acusadas de participar de uma mega fraude - mais uma - que beneficiava a empresa Gautama. A grosso modo o esquema funcionava assim: O dono da empresa pagava propina a políticos e funcionários da administração pública para vencer as licitações do governo. A PF diz ter provas de fraudes nas obras do PAC e do Programa Luz para Todos. Entre os algemados estão funcionários da Gautama , inclusive o dono, Zeleido Soares Veras; funcionários públicos, aspones e deputados. Com exceção de alguns políticos e ex-parlamentares, os demais presos são peixes miúdos, os famosos guarus de meus tempos de infância nos barreiros de Monsenhor Fabrício. A maioria dos envolvidos vêm do Maranhão ou tem negócios por lá. A roubalheira ali é proverbial.

Falando da corte, se bem que no caso de Brasília esta capital mais parece uma província, o deputado distrital Pedro Passos, conhecidíssimo como grileiro, foi um dos algemados hoje. Atônitos, sua mulher e seu filho foram ao QG da bandidagem pedir aos colegas parlamentares que ajudassem relaxando a prisão do parlamentar, pois sabe como é, deputado tem imunidade para roubar, fazer grilagem e comer criancinhas, e ainda assim, responder em foro privilegiado

O deputado, escolhido por sorteio - santa ironia!- para ser o relator do parecer que pedirá o relaxamento da prisão de Pedro Passos, será, vejam só, Benício Tavares, do mesmo partido do grileiro, e sobre o qual pesam sérias acusações de fornicação com menores de idade no rio Amazonas. Sei, Benício é tetraplégico, mas por Deus, como Josef Climber, ele vence todas as dificuldades. Alguém tem alguma dúvida de que o benefício será referendado pelo nobre parlamentar? Para ser aprovado, o relaxamento precisará de 13 votos no plenário, mas duvido que algum deputado tenha autoridade moral para condenar a corrupção do colega parlamentar. Soube há pouco que por incrível que pareça os deputados do PT na Assembléia do DF , mais o deputado Reguffe do PDT são contra o relaxamento, mas isso é retórica, na hora H eles votarão a favor, sobretudo porque no caso dos petistas, roubar dinheiro público não é assim tão estranho a eles e ao partido.

Como disse o Reinaldo Azevedo, de quem colo a lista que vai abaixo dos presos na operação da PF, não fosse essa inclinação dos políticos e de seus apaniguados pelo roubo, nosso jornalismo não saberia o que fazer para vender jornais.

Lista dos presos:

1. Zuleido Soares Veras: dono da Gautama
2. Rodolpho de Albuquerque Soares de Veras: filho de Zuleido
3. Maria de Fátima Palmeira: diretora comercial da Gautama
4. Flávio Henrique Abdelnur Candelot: empregado Gautama
5. Abelardo Sampaio Lopes Filho: engenheiro e diretor da Gautama
6. Bolivar Ribeiro Saback: empregado-lobista da Gautama
7. Rosevaldo Pereira Melo: lobista da Gautama
8. Tereza Freire Lima: funcionária da Gautama
9. Florencio Brito Vieira: empregado da Gautama
10. Gil Jacó Carvalho Santos: diretor-financeiro Gautama
11. Jorge E. Dos S. Barreto: engenheiro da Gautama
12. Vicente Vasconcelos Coni: diretor da Gautama no Maranhão
13. Dimas Soares de Veras: irmão de Zuleido e empregado da Gautama
14. Henrique Garcia de Araújo: administra uma fazenda do grupo Gautama
15. Ricardo Magalhães da Silva: empregado da Gautama
16. João Manoel Soares Barros: empregado da Gautama
17. Flávio Conceição De Oliveira Neto: ex-chefe da Casa Civil do governo João Alves Filho e atual Conselheiro do Tribunal de Contas Estadual
18. João Alves Neto: filho do ex-governador João Alves Filho (SE)
19. José Edson Vasconcelos Fontenelle: empresário
20. Alexandre de Maia Lago: sobrinho do governador do Maranhão
21. Francisco de Paula Lima Júnior: sobrinho do governador do Maranhão
22. Jair Pessine: ex-secretário municipal de Sinop (MT)
23. Ernani Soares Gomes Filho: servidor do Planejamento cedido à Câmara Dos Deputados
24. Roberto Figueiredo Guimarães: consultor financeiro do Maranhão
25. Ivo Almeida Costa: assessor especial do gabinete do Ministério de Minas e Energia
26. Jorge Targa Juni: presidente da Companhia Energética do Piauí
27. Iran César De Araújo Filho: Secretário de Obras de Camaçari (BA)
28. Edílio Pereira Neto: assessor de Iran César de Araújo Filho
29. Everaldo José De Siqueira Alves: subsecretário de Iran César de Araújo Filho
30. Luiz Carlos Caetano: prefeito de Camaçari (BA)
31. Adeilson Teixeira Bezerra: secretário de Infra-Estrutura de Alagoas
32. Denisson de Luna Tenório: subsecretário de Infra-Estrutura de Alagoas
33. José Vieira Crispim: diretor de Obras da Secretaria de Infra-Estrutura de Alagoas
34. Eneas De Alencastro Neto: representante do governo de Alagoas em Brasília
35. Marcio Fidelson Menezes Gome: diretor do Detran e ex-secretário de Infra-Estrutura de Alagoas
36. José Reinaldo Tavares: ex-governador do Maranhão
37. Nilson Aparecido Leitão: prefeito de Sinop (MT)
38. Ney Barros Bello: secretário de Infra-Estrutura do Maranhão
39. Sebastião José Pinheiro Franco: fiscal de obras do Maranhão
40. José De Ribamar Ribeiro Hortegal: servidor da secretaria de Infra-Estrutura do Maranhão
41. Flávio José Pin: superintendente de Produtos de Repasse da Caixa Econômica Federal
42. Pedro Passos Júnior: deputado distrital
43. Humberto Rios de Oliveira: empregado da Gautama
44. Geraldo Magela Fernandes da Rocha: assessor do ex-governador José Reinaldo Tavares
45. Sérgio Luiz Pompeu Sá: não é servidor do Ministério de Minas e Energia, apesar de aparecer dessa forma para a PF
46. José Ivan De Carvalho Paixão: ex-deputado federal

A desculpa criada pelo PT e por Lula já começa a aparecer na boca dos envolvidos:

"Creio que não fiz nenhum contrato irregular", disse o governador do Maranhão Jackson Lago, ele tem sobrinhos presos pela operação da PF

"Conheço muitos envolvidos, inclusive o dono da Gautama, mas não conheço essas práticas!", disse o presidente do senado, senador Renan Calheiros do PMDB de Alagoas, outro estado com muitos presos na operação da PF

PS:
Os funcionários do ministério das Minas e Energia foram afastados. Lá também ninguém sabia de nada.

O presidente do BRB em Brasília foi afastado. Ninguém sabia de nada.




13 maio, 2007

Assassina!

Não ia escrever nada hoje, muito menos sobre a polêmica do aborto, mas lendo um blogue aqui e outro ali, deparei-me com uma confissão aterradora. Ontem escrevi que se uma feminista ou uma mulher de esquerda tivesse a chance de optar entre ser mãe e ser assassina, optaria, é óbvio, pela última hipótese.

Eis que uma tal de Sandra Camurça, que se define como "uma arquiteta, uma blogueira, uma socialista, uma tricolor, uma...uma...ah, sei lá." escreveu sobre o aborto a seguinte confissão:

"santa ironia! Bravo, Seu Moço!

E a Regina disse tudo o que eu
diria. Mas ao contrário dela já fiz aborto por vontade própria aos 21 anos de idade. Tive sorte e condições de fazer com um bom médico. Posso te garantir: foi mais fácil que extrair um dente.

Beijos e bom final de semana."

12 de Maio de 2007 16:03


Sandra Camurça, arquiteta, blogueira, tricolor, socialista e assassina, comparou um aborto a uma consulta no dentista. Só os assassinos do menino João Hélio foram mais frios. Foram? É o caminho inexorável dos socialistas, dos que querem um mundo com mais justiça social, a morte de inocentes a serviço de uma causa.

PS: Para ler a crônica no blog do Marconi Leal e a confissão da assassina Sandra - ela está nos comentários do post "Em defesa da vida" - clique aqui.

12 maio, 2007

Dia das mães... das mães de verdade.

Feto com 12 semanas. Um ser humano, mas para os assassinos, um amontoado de células.


Eu não queria me meter nesse perrengue sobre o aborto, não porque ache o assunto irrelevante, mas porque acredito que nessa discussão, ninguém dará seu braço a torcer. Quem condena o aborto tem razões morais para abominá-lo. Quem o defende, alega direitos de reprodução, liberdade individual, questão de saúde pública, essas coisas.

Sou contra o aborto. Acho um assassínio, e dos mais cruéis, interromper a evolução natural de uma vida que se desenvolve dentro de um útero. As mulheres que defendem o aborto, transformam a mãe, aquela que se deixar seu filho se desenvolver, deverá amamentá-lo e amá-lo, numa assassina cruel, numa espécie de Medéia afobada. Sei que as mulheres assassinas dirão que em poucas semanas ainda não se tem uma vida ali. Mas esse argumento é sofisma. A vida está ali sim, pulsando! Quando eu e minha mulher soubemos da gestação do bravo Estêvão, ainda na décima segunda semana, pudemos ouvir um coração batendo forte e cheio de vida num feto de apenas dois centímetros. Ali, na ultrassonografia, não era um amontoado de células, mas meu filho que se desenvolvia e que graças a Deus, sim a Deus, está hoje aqui entre nós, sendo motivo de regozijo para todos.

A maioria das pessoas que defendem o aborto, ou são de esquerda, ou são atéias, ou ambas as coisas. Aliás, entre a morte e a vida, um esquerdista, é sina, acreditem, sempre escolherá a morte, ainda que diga que esteja defendendo a vida das mulheres.

Um petralha, que escreve bem - o que não deixa de ser um milagre - com certa ironia, disse que a Igreja não tem autoridade moral para condenar nem o aborto nem as mulheres que reivindicam o direito de matar seus filhos, porque matou muita gente na inquisição. Ser contra o aborto, repito, não é um ato cego de obediência ao Papa, à Igreja, mas um ato de responsabilidade moral. Se sou cristão, se acredito na minhas responsabilidades como cristão, não posso defender o direito de tirar a vida de uma criança ou de qualquer outra pessoa.

Muitas mulheres morrem em clínicas clandestinas onde foram executar seus filhos. Forçoso é reconhecer que se não tivessem ido, se tivessem apostado na vida e não flertado com a morte, hoje poderiam estar felizes, vivas e com seus filhos. Não me compadeço, sei que é forte e duro o que vou dizer, mas não me comovo com mulheres que morrem em clínicas clandestinas. Foram matar e morreram. O que esses grupos querem é que o Estado assuma a responsabilidade no assassínio desses fetos. Querem, essas mulheres, matar, sem correr o risco de morrerem.

Na nota em que 15 entidades feministas condenam as palavras de Bento XVI contra o aborto, uma me chamou a atenção: Católicas pelo Direito de Decidir. O que essas católicas querem decidir? O direito de matar? O de ofender a fé que dizem professar? O de abjurar o princípio básico da fé? Para essas católicas e para outros cristãos que caem na conversa mole dos esquerdistas e dos ateus militantes, sugiro frequentar os templos da Igreja da Record. A IURD (Igreja Universal do Reino de Deus) rasgou a Bíblia e passou, em rede nacional, a defender o aborto, rebatizado de Direitos Reprodutivos.

Amanhã é dia das mães. Além do apelo comercial, será uma excelente data para refletir sobre o papel de ser mãe. Não esqueçam: se uma feminista ou uma mulher de esquerda, com raríssimas exceções, tiver que escolher dois caminhos: o de ser mãe e o de ser uma assassina, escolherá o último.

11 maio, 2007

Gregório de Matos, Padre Vieira e o educador picareta.

Nesta semana dominada pela visita do Papa Bento XVI e pelas estultícies dos esquerdofrênicos contra a moral cristã, decidi revisitar um autor baiano, lá do século XVII - eita século profícuo - o famoso Gregório de Matos.

Lendo uma poesia aqui e outra ali, deparei-me com uma, que, não só ilustra nosso presidente, como serve de metáfora a todos mestres, doutores e cientistas sociais que arrotam um saber mais baseado no título que nas obras que produziram.

Ainda estou devendo um estudo mais pormenorizado sobre a obra de Paulo Freire, educador picareta que pregava uma escola que formasse cidadãos críticos, ainda que esses cidadãos continuassem analfabetos. Pedagogia da Autonomia, uma de suas obras mais nefastas, deixou claro que a transição entre a "curiosidade ingênua" e a "curiosidade epistemológica" só se realizaria se o educador "pensasse certo". O que é pensar certo? É ser de esquerda, ora! Entre Paulo Freire, cientista, educador e prestidigitador contumaz; e Padre Antônio Vieira - outro gigante do século XVII - fico com o padre.

Vocês verão, tomara que em breve, que o Sermão da Sexagésima traz ensinamentos muito mais úteis à educação dos jovens e à formação de um bom professor, do que todos os livros de Paulo Freire juntos.

Fiquem agora com Gregório de Matos, o Boca do Inferno.



"Senhor Antão de Sousa de Meneses,
Quem sobe a alto lugar, que não merece,

Homem sobe, asno vai, burro parece,
Que o subir é desgraça muitas vezes.

A fortunilha autora de entremezes
Transpõe em burro o Herói, que indigno cresce
Desanda a roda, e logo o homem desce,
Que é discreta a fortuna em seus reveses.

Homem (sei eu) que foi Vossenhoria,
Quando o pisava da fortuna a Roda,
Burro foi ao subir tão alto clima.

Pois vá descendo do alto, onde jazia,
Verá, quanto melhor se lhe acomoda
Ser home em baixo, do que burro em cima."

04 maio, 2007

Batismo de Sangue e de mentiras.

Batismo de Sangue é o mais novo libelo do vitimismo das esquerdas. O filme, baseado no livro homônimo de Frei Beto - aquele mesmo que admira, veja só, o regime cubano, que para ele é democrático - conta a história de Frei Tito, um dominicano torturado pelo delegado Fleury nos “porões da ditadura”.

O que mais incomoda no filme, não falarei da técnica e dos recursos cinematográficos, é a história não explicada; ou por outra, mal contada. Vendo o filme, a impressão que passa é a de que tanto os frades quanto Marighela, deram a vida pela democracia, quando em verdade, queriam implantar no Brasil uma ditadura de esquerda, à cubana. É óbvio que a tortura choca e ninguém mentalmente sadio a justificaria, mas é preciso dizer que em matéria de tortura, os líderes esquerdistas admirados por Frei Beto e por outros “ases” da esquerda, foram mais eficazes. Alguém ainda lembra dos tribunais de Stálin? E das execuções comandas por Che e Fidel, alguém lembra? Alguém sabe? Por isso, não me venham com essa conversa mole de que o filme é uma homenagem a democracia, uma espécie de tributo a homens que lutaram pela democracia que desfrutamos. É mentira! S e eles tivessem vencido, hoje teríamos um regime sem liberdade de expressão e todos reverenciando assassinos como Fidel, Che Guevara e Stálin!

O Governo Lula e os “progressistas” estão trilhando outro caminho para solapar as liberdades, o Estado de Direito e a democracia, mas isso é para outro post.

Eros "Baco" Grau , Bruna Surfistinha e a sacanagem como escola literária.



Bruna Surfistinha, aquela moça que tornou glamourosa a profissão de garota de programa, o que no bom "pernambuquês", chamaríamos de "quenga", anda fazendo escola. Seu livro O doce veneno do Escorpião, onde ela relata suas aventuras profissionais nas mais diversas posições e "ranqueia" seus clientes pela performance, seduziu gente importante. O juiz Eros "Baco" Grau, do STF - para quem não sabe, a maior instância judiciária do Brasil - acaba de lançar pela Nova Fronteira seu romance Triangulo no Ponto. Ao que tudo indica, Eros não precisou trabalhar como Bruna, mas ficou alguns recalques, não tenho dúvida.

No referido livro, o juiz de 66 anos, abusa de expressões vulgares e de gosto duvidoso, mesmo para Bruna Surfistinha, muito mais recatada quando trata de sua história de trabalho.

Questionado sobre se o conteúdo do livro arranharia sua imagem de juiz, O nosso Eros "Baco" Grau diz que são atividades distintas. Segundo o priápico magistrado, o livro é do escritor Eros, não do Juiz Grau. Com essa desculpa, ele tenta criar duas pessoas: a primeira, a do juiz sério, competente, que é comunista - Santo Deus! - e que vota com o coração e não com a Lei; a outra, a do escritor tarado, que sem pejo, despeja um monte de expressões vulgares e exibe uma certa aberração sexual, que repito, coraria de vergonha até Bruna Surfistinha.

Leiam alguns trecho do livro aqui

Nepotismo comunista

Uma das lendas sobre os comunistas, alimentadas pelos próprios ou pelos simpatizantes da causa, é de que os "comunas" comiam criancinhas; uma maneira de dizer que eles eram malvados e sanguinários. Como toda lenda, há algo de verdade na anedota. Ele só não comem criancinhas, não que se saiba.

Estudei com um militante comunista, desses filiados, de barba, que vendia souvenir do partido, que admirava Stálin e que era assessor de um vereador comunista de Jaboatão dos Guararapes; a cidade onde, para nosso exército, nasceu a pátria. Outra balela. Estou eu cá tergiversando mais uma vez.

Além de matar pessoas sem julgamentos, os líderes comunistas também gostam de boa vida e de mamar nas tetas do estado, como qualquer "reacionariozinho". A Prefeita de Olinda, Luciana Santos, do PC do B, quando não está dando seus tapinhas - porque morador de Olinda adora uns tapas - assina atos adiminastritivos, no caso o 228, 229 e o 232, e cria o nepotismo da família Maranhão na prefeitura de Olinda. Vamos ao caso divulgado pelo blog do JC:

Sem alarde, no começo de março, a prefeita Luciana Santos, do PC do B, nomeou três familiares de Alexandre Maranhão, ex-vereador de Olinda, que hoje ocupa a Secretaria Executiva da Secretaria de Governo do Município.

Com o ato nº 228, foi nomeada Herika de Lira Maranhão, filha de Alexandre Maranhão, para o cargo de chefe da Divisão de Pagamento da Secretaria de Administração.

Com o ato nº 229, nomeou-se Maria de Lira Maranhão, esposa de Alexandre Maranhão, para o cargo de chefe da divisão de apoio logístico da Secretaria Executiva de Assuntos Legislativos da Secretaria de Governo.

Com o ato nº 232, nomeou-se Ana Paula Rego Maranhão, outra filha de Alexandre Maranhão, para o cargo de assessor especial da Secretaria da Fazenda.

As duas primeiras, com cargos CC4, recebem R$ 540,00, cada uma. Já o cargo na Secretaria da Fazenda, CC2, representa uma remuneração de R$ 1.800,00. No total, sem proventos do ex-vereador, a família amplia sua renda em cerca de R$ 3 mil por mês



03 maio, 2007

Os Neros do Congresso.

Depois de uma pausa para sentir a emoção da paternidade (ainda é possível conferir a foto do bravo Estêvão, abaixo), volto a um tema que me é caro: rir das esquisitices dos esquerdofrênicos e esquerdopatas, e desmascarar suas falsas intenções de justiça, igualdade e honestidade. Antes uma digressão.

Na Velha Roma do século I d C, o imperador Nero não gostava apenas de escravos ou de incendiar a cidade, mas sobretudo, de se apresentar para o público em performances sofríveis, mas que eram aplaudidas; caso contrário, a morte visitaria o crítico independente. Na Roma dos césares, um imperador que se prestasse a essas excentricidades, receberia apupos dos senadores. Imaginem o constrangimento se a rainha da Inglaterra chegasse no Parlamento e dançasse o can can, o impacto seria semelhante.

Nas últimas semanas, nosso parlamento decidiu virar um circo. Parlamentares do PT e de outras agremiações de esquerda, decidiram mostar seu lado, como direi... Nero de ser. Primeiro foi o senador Suplicy que recitando versos dos Racionais, - juro que não sei quem é e não quero saber - arrancou dos senadores presentes, não aplausos, mas risos com a macaquice. Ontem, foi a vez do meu petista pernambucano preferido, o Paulo Rubem Santiago, de imitar seu colega parlamentar. Em sessão da Câmara dos Deputados, recitou versos de sua autoria para homenagear o mais picareta dos educadores brasileiros, o homem que fez um mal enorme à educação no Brasil e que meus professores na UFPE transformaram num mito: Paulo Freire. (espero que a família de minha mulher entenda, eles são parentes desse senhor). vejam os versos:

Paulo Freire está aqui
Há dez anos nos deixou
Mas sinto que ele sorri
O País está em marcha
É longa a caminhada
Constante, batalha intensa
Juventude quer, pensa
Segue firme sua jornada

Ainda bem que ele não cantou. Mas vejam que coisa: petista é mesmo um mal irrecuperável. Não sabe fazer versos, não sabe governar e mente com aquela desfaçatez dos cínicos. Só uma coisa um petista sabe fazer: locupletar-se.

Analisemos os versos.

1 - O petista é médium. Ele sente Paulo Freire. Pode arrumar uma ponta na novela O Profeta, cheia de sensitivos também.

2 - Esquedistas adoram uma marcha, já viram: Mao fez a sua que custou a vida de milhões de chineses. Outro marchador famoso, foi Mussolini, que não era de esquerda, mas tinha a mesma atração pelo mal, isto é, de matar os que pensavam diferente.

3 - "Juventude quer, juventude pensa." Não eram os nazistas e os stalinistas que tinham suas "juventudes" empenhadas? Claro Zé Paulo! A juventude que quer e a que pensa, é óbvio, são os filhotes do esquerdismo; aqueles que citam Paulo Freire como um messias e adoram a Foice e o Martelo como símbolo de justiça. Se você for um jovem liberal, democrata e capitalista, você não pensa, é um "burguesinho" reacionário e merece o fogo do inferno.

PS: Em outro post falo da picaretagem de Paulo Freire e de outras picaretagens dos comunistas de Olinda.