30 abril, 2007

Estêvão é nascido.

Vida difícil: mamou e agora vai dormir.
Quando soube que Lula era presidente do Brasil...

"—— Compadre José, compadre,
que na relva estais deitado:
conversais e não sabeis
que vosso filho é chegado?
Estais aí conversando
em vossa prosa entretida:
não sabeis que vosso filho
saltou para dentro da vida?
Saltou para dento da vida
ao dar o primeiro grito
e estais aí conversando
pois sabeis que ele é nascido. "

(Morte e Vida Severina, João Cabral de Melo Neto)



Hoje, dia 30 de abril de 2007, meu primeiro filho, Estêvão, veio ao mundo. Acompanhei o parto de perto, na sala, e durante os 30 minutos da cirurgia, mantive-me com aquele silêncio de reverência. Para os que me conhecem um pouco, sabem o quanto me custa ficar calado, e só mesmo uma tensão muito grande é capaz de me calar.

A partir de hoje minha vida está mudada e garanto aos que ainda não se tornaram pais: é uma mudança muito boa.

As fotos acima são das primeiras horas de Estêvão nesse mundo.

25 abril, 2007

Estevão, a caminho!

Beatles - John Len...

Meu filho está chegando...

Em breve, postarei algumas fotos do pequeno Estevão aqui no blog!

Abaixo a letra da música.

Powered by eSnips.com


Ouça a música

O Filho Que Eu Quero Ter

Toquinho

Composição: Toquinho/ Vinicius de Moraes

É comum a gente sonhar, eu sei, quando vem o entardecer
Pois eu também dei de sonhar um sonho lindo de morrer
Vejo um berço e nele eu me debruçar com o pranto a me correr
E assim chorando acalentar o filho que eu quero ter
Dorme, meu pequenininho, dorme que a noite já vem
Teu pai está muito sozinho de tanto amor que ele tem


De repente eu vejo se transformar num menino igual à mim
Que vem correndo me beijar quando eu chegar lá de onde eu vim
Um menino sempre a me perguntar um porque que não tem fim
Um filho a quem só queira bem e a quem só diga que sim
Dorme menino levado, dorme que a vida já vem
Teu pai está muito cansado de tanta dor que ele tem


Quando a vida enfim me quiser levar pelo tanto que me deu
Sentir-lhe a barba me roçar no derradeiro bei..jo seu
E ao sentir também sua mão vedar meu olhar dos olhos seus
Ouvir-lhe a voz a me embalar num acalanto de adeus
Dorme meu pai sem cuidado, dorme que ao entardecer
Teu filho sonha acordado, com o filho que ele quer Ter.

22 abril, 2007

"O homem é a medida de todas as coisas"

Protágoras de Abdera, o mais famoso dos sofitas. Para os sofistas, a verdade é uma questão de opinião, para Marcos Coimbra, também.


Marcos Coimbra diz literalmente: "As crise de Lula foram políticas; as de Fernando Henrique, de gestão e de governo. (...) Ele [Lula], não começou seu segundo mandato com a crise cambial de 1999 e nem passou pelo "pai de todos os apagões", o elétrico de 2001. Com um mandato concluído, não viveu nenhum massacre de Eldorado dos Carajás, nenhum episódio de doentes renais em Caruaru, nenhuma clínica Santa Genoveva. Nunca disse, embora pudesse ser mal interpretado, que aposentados eram vagabundos"
Fica claro que, para Marcos Coimbra, crises políticas, embora graves, são menos graves que crises de governo e de gestão. O raciocínio é simples: o povo acha um absurdo que o político roube, forme uma organização criminosa, mas acha imperdoável que um governo seja mal dirigido e enfrente crises de governabilidade. O povo, que Marcos Coimbra fala, é o mesmo que achincalha deputados nas conversas de bar, diz que é tudo ladrão, mas não faz nada para exigir a punição dos corruptos. Esse povo fica mais indignado se seu time de futebol perde um título ou é desclassificado, a ponto de fazer arruaças e passar horas na sede do clube para protestar, do que saber que o dinheiro de seus impostos está sendo desviado para o enriquecimento dos políticos.

Marcos Coimbra não é patife, mas sua análise é de uma patifaria gigantesca. Os problemas de gestão que ele enumerou no segundo mandato de FHC não podem ser comparados com o segundo mandato de Lula, que a igor, nem começou, como o próprio Marcos reconheceu em artigo anterior. A crise cambial de 1999 é polêmica, mas não resta dúvida que fatores externos, fora do controle de qualquer governo, foram sua causa fundamental. Melhor uma crise dessa com FHC do que com Lula, não tenho dúvida!

"O pai de todos os apagões" foi reconhecido pelo próprio Fernando Henrique como um erro sério de seu governo, que só não foi mais grave porque o cidadão brasileiro provou que, se chamado com seriedade e confiando no governo, responde à altura. Não custa lembrar que o consumo médio foi reduzido não porque se passou a usar menos os equipamentos elétricos, mas porque se reduziu o desperdício.

O massacre de Eldorado foi uma mácula, não há dúvida. Nesse ponto, contudo, Lula perde feio. No pimeiro mandato de Lula, tanto os conflitos quanto as mortes no campo, superaram a média do governo de FHC. Se no governo FHC houve o problema de doentes renais em Caruaru, o Ministério da Saúde petista concentou uma das áreas mais corruptas do governo Lula (Máfia dos vampiros, sanguessugas), o que na ponta, vai provocar mortes no Sistema de Sáude (SUS). Não custa lembrar a epidemia de Dengue em Mato Grosso, governado por Zeca do PT, governo com nome e sobrenome, e que já foi reconhecido pelo ministro da saúde, o Temporão, como uma falha do ministério.

O presidente FHC declarou que havia alguns aposentados do serviço público, que têm por lei algumas regalias, como salário integral e rajuste integral com os servidores da ativa, que se aposentavam com menos de 45 anos, numa idade altamente produtiva. Esses são os vagabundos citados por FHC! Só que ganhando bem. Lula não pode chamar ninguém de vagabundo, falta-lhe uma certa autoridade moral para isso, mas já mandou o brasileiro levantar o traseiro da cadeira para procurar bancos que oferecessem juros mais baratos, chamando os brasileiros de acomodados, o que, é preciso reconhecer, não é mentira.

Algumas perguntas se impõe ao Marcos Coimbra: seria o acidente da GOL que vitimou 154 pessoas, um problema político ou de gestão do governo Lula? Seria o Caos nos aeropotos um problema político ou de gestão? A Crise na Agricultura no primeiro mandato de Lula, foi um problema político ou de gestão?

O segundo mandato de FHC foi ruim, como aliás, são ruins os segundos mandatos da maioria dos políticos que exercem cargo executivo. Se tivesse sido bom, Lula não teria ganho, é óbvio. Lula, mal começou o segundo mandato, muitos acreditam que ele ainda nem começou de fato, por isso, seria correto esperar o segundo mandato amadurecer, para compará-lo ao de FHC.


Marcos Coimbra entende de pesquisa. Diz o jornal que ele é sociólogo e presidente do Vox Populi, mas anda derrapando na sua carreira de articulista. Ele pode defender o governo Lula, é um direito, mas ele não pode criar confusão de conceitos, de números e de eventos, para justificar sua defesa. Que ele considere o governo Lula mais competente que o de Fernando Henrique Cardoso, tudo bem, cada qual com seus horizontes, mas para provar isso, comete uma desonestidade com a veracidade dos fatos.

Se Lula leu sua coluna hoje, Marcos, vai ficar feliz. Ele adora ganhar de Fernando Henrique, é uma obessão que ele tem, uma espécie de recalque. Quem sabe, com mais dois artigos como esse, você não é convidado para o trigésimo sétimo ministério de Lula?

Vox Populi, Vox Dei! Será?

Marcos Coimbra, Presidente do Vox Populi, instituto de pesquisa famoso, há algumas semanas escreve uma coluna aos domingos no Correio Braziliense. Quase nunca perco meu tempo com ele, sobretudo quando ele fala, sua voz e o ritmo que ele impõe a ela são insuportavéis, mas dessa vez li com atenção o que ele escreveu.

Ele analisa as razões da popularidade do presidente Lula, medida semanas atrás por dois importantes institutos de pesquisa, e começa dizendo que existem dois pólos que tentam, a seu ver, de forma errônea, entender o porquê da popularidade do maior criador de ministérios da república brasileira.

O primeiro pólo, diz Coimbra, reporta à popularidade do presidente, aos programas assistencialistas do governo, como o Bolsa Família. Dessa forma, o povo assistido por essas políticas, apóiam o presidente, a despeito de seus auxiliares diretos serem pegos com a mão na grana - ou para ser assim como um bom petista, isto é, chulo, com a mão na merda - o povo aceita o roubo desde que as migalhas cheguem até à massa.

O outro pólo, segundo Coimbra, procura entender a popularidade de Lula num certo carisma sobrenatural. Lula é popular, porque Lula é povo; tem a cara da gente sofrida do país, representa a patuléia no poder. Assim, identificado com o povo, Lula teria a simpatia e o apoio da massa.

Marcos Coimbra analisa os dois pólos a conclui que ambos estão errados. O primiero peca pelo simplismo, o outro, pelo misticismo. Ele, é claro, oferece outra explicação, supostamente mais técnica, e por isso, nem simples, nem mística.

Ele lembra que em 2004 e 2005 o presidente Lula obteve os piores índices de aprovação de seu primeiro mandato, o que, segundo Coimbra, desmonta a tese de que o povo aceita tudo o que o presidente faz, seja por causa das políticas assistencialistas, seja por causa do carisma de Lula. Ele lembra que foram preciso 6 meses para o presidente recuperar seu prestígio na população e isso só ocorreu por causa de uma coisa... Já, já. Antes uma digressão.

A oposição, em 2005, caiu na conversa de que Lula estava morto. Caiu na conversa de que as pesquisas indicavam que ele perderia a eleição, por isso, popuparam o presidente dos escândalos, dizendo com certa arrogância que derrotariam Lula nas urnas; vimos o que aconteceu. Em seguida, subestimou-se a capilaridade do PT, agora em conluio com as lideranças dos grotões, no Brasil. Lula, o chefe do assalto, passou incólume, tanto por culpa da oposição, que o poupou, quando não deveria e nem Lula merecia, quanto por uma rede de apoio ampla, que ia dos radicais de esquerda, até os fisiologistas do PMDB, PTB, PP,PL e por aí vai. Finalmente, o que a oposição não percebeu, e o que Marcos Coimbra esconde, é que uma pesquisa não é um cenário fixo, mas uma tendência que será mais ou menos favorável dependendo de como os formadores de opinião tratam o cenário político ou econômico. Se Lula, em 2005 estava mal das pernas, isso ocorreu por causa das constantes provas contra o PT. Quando a poeira baixou, ficou para o povo os indicadores econômicos - que o PT herdou e fez a sensatez de não perdê-los, ainda que muitos dentro do governo desejassem isso - e os progrmas assistencialistas.

Marcos Coimbra, contudo, é enfático ao explicar porque Lula é tão aprovado pelo povo: Lula é mais competente que Fernando Henrique Cardoso. Se, diz o analista, o mensalão, o Waldomiro Diniz foram problemas de crise política ne governo do governo; o Apagão de FHC e a crise cambial de 1999 foram um problema de gestão. Lula não pôde evitar a corrupção, que lhe trouxe problemas, mas FHC governou mal, porque permitiu o Apagão e a crise cambial.

A análise é filo-petista, até aí tudo bem, cada um paga seu almoço como pode, mas o que me incomodou foi um homem experiente e informado como Marcos Coimbra, ter simplificado eventos que são de natureza complexa. Além do mais, fechou os olhos para crises de gestão do Governo Lula, mas isso fica para outro post.

21 abril, 2007

Dez anos depois...

Tomás Oliveira de Almeida, Eros Chaves de Oliveira e Max Rogerio Alves: três dos quatro acusados.

Em abril de 1997, eu trabalhava na Brahma, hoje Ambev. Foi lá, numa tarde, que recebi a notícia de que um índio Pataxó havia sido queimado por jovens de Brasília num ponto de ônibus. A ação, selvagem por natureza, ganhou um efeito ainda mais bárbaro, quando os assassinos justificaram o ato como uma brincadeira que queriam fazer com um mendigo. Na época escrevi versos sobre a tragédia, mas perdi esses e outros versos. Só não consegui esquecer da primeira estrofe:

Bolsos cheios, cabeças vazias

Pais importantes, valores tacanhos,

idéias nefastas, pensamentos estranhos,

São discutidos por mentes sombrias.

Hoje, há exatos 10 anos do crime, todos os envolvidos estão em liberdade, gozando de um direito que negaram ao índio Galdino, o direito de viver. Em reportagem do Correio web desta sexta (clique aqui) , há uma matéria muito pertinente sobre a boa vida desses assassinos durante a reclusão, e, agora, na condicional.

Hoje moro em Brasília e já passei diversas vezes na parada de ônibus onde o índio foi queimado. É uma sensação esquisita, uma mistura de revolta e indignação. Já disse, mas não custa repetir: esses assassinos selvagens não pagaram pelo crime, a justiça não os puniu. A punição deverá vir de nós, repudiando a liberdade deles, mostrando a eles, o quanto são desprezíveis.

A matéria do Correio web traz vários trunfos. O maior deles, é informar onde esses 5 jovens trabalham ou trabalharam e o que estão fazendo agora. Um, o Tomás Oliveira de Almeida, trabalha no hospital Santa Helena, no setor de marcação de consultas, na Asa Norte e cursa Administração, à noite, 5° Período, no IESB. Se os encontrarmos, se tivermos esse desprazer, que vejam nossa ojeriza à figura deles e que saibam: se a justiça os perdoou, a sociedade, os cidadãos de bem, não aceitam a impunidade e repudiam a liberdade que injustamente desfrutam.

20 abril, 2007

O mais novo aloprado.

Lula e seu mais novo aloprado, Mangabeira Unger, secretário do ALOPRA (Assunto de longo prazo)


Já é público e notório que Mangabeira Unger aceitou ser o trigéssimo sexto ministro, seria comparsa?, do presidente Lula. Todos que frequentam o blog do Reinaldo Azevedo sabe das palavras doces que Mangabeira escreveu sobre o presidente em 2005, no auge do Mensalão. Mangabeira é um perfeito representante da estirpe esquerdopata. Todo esquerdista, e nesse caso, os petistas muito mais, gostam de se dar bem, de preferência com o dinheiro dos outros. Unger falou mal de Lula, pediu seu impeachment, mas depois da turbulência, fez as pazes com o apedeuta. Não esqueçam que recentemente, Lula chamou para junto de si personalidades que até pouco tempo ele achincalhava e denegria, Lula é um homem sem rancor e gosta de pessoas de valor, de preferência pagas pelo BMG.

Clique aqui e leiam uma piada publicada no dia 17 de março. Divirtam-se!

16 abril, 2007

Células - Tronco adultas.


Fazia tempo que eu não participava de uma blogagem coletiva. Contudo, instado por amigos queridos, como o David, o Cejunior e o Rayol, lá vou eu me meter numa seara perigosa.

Hoje, por coincidência, conversei sobre o assunto com o professor de Biologia João Martins, falávamos sobre a eugenia. Durante o papo ele me alertou sobre estudos feito nos Estados Unidos com células-tronco adultas que vêm obtendo resultados muito satisfatórios e que acaba com a polêmica entre cientistas e religiosos. É importante lembrar que as células-tronco umbilicais (do cordão umbilical) também apresentam um grau de confiabilidade muito maior que as chamadas células-tronco embrionárias, estas, são as combatidas pela Igreja e por outras religiões, cristãs ou não.

"Phil Coelho é o principal executivo e presidente do Conselho de Administração da Thermogenesis Corp., que presta serviços de processamento e de preservação criogênica para os principais bancos de células-tronco de cordões umbilicais. Coelho afirma que as células-tronco adultas "foram usadas cerca de 30.000 vezes" em procedimentos clínicos nos Estados Unidos, e diz que as células-tronco de cordões umbilicais, tema de uma das propostas que o Congresso dos Estados Unidos discutirá, "apresenta vantagens dramáticas".

De acordo com Coelho, as células-tronco adultas "podem se transformar em muitos - e talvez em todos - diferentes tipos de tecido; elas possuem a capacidade de suportarem muitas divisões celulares e exigem menos enxertos para uma mesma doença".

Ainda segundo Coelho, o primeiro paciente tratado com células-tronco adultas, em 1988, não apresenta nenhum sinal da Anemia de Fanconi da qual sofria quando criança. Desde então, mais de 6.000 pacientes, com 66 diferentes moléstias foram tratados nos Estados Unidos com sucesso, utilizando células-tronco adultas.

Ele complementa que são espetaculares os resultados com células-tronco adultas. "Um estudo recente aponto um índice de sobrevivência de cerca de 70% entre adultos portadores de alto risco que foram tratados com células-tronco umbilicais. Os resultados são ainda mais promissores entre crianças, com índices de sobrevivência de 80% para as que apresentam síndromes de imunodeficiência".

Comparando os resultados sobre células-tronco embrionárias com células-tronco adultas o mesmo especialista revela: "Células-tronco adultas e, em particular, células-tronco umbilicais, estão destinadas a serem as fontes da medicina regenerativa e miraculosa no futuro", disse ele. "A pesquisa com células-tronco embrionárias não está obtendo resultados tão bons".

Por outro lado, a pesquisa com células-tronco embrionárias ainda está por curar um único paciente. Nenhum tratamento aprovado nos Estados Unidos está sendo aplicado em pacientes, como resultado da pesquisa com células-tronco embrionárias, e não há experimentação clínica com pessoas. Depois de 20 anos de pesquisa em laboratório, com cobaias, os resultados alcançados não são seguros.

Nos laboratórios, as células-tronco embrionárias produziram tumores, provocaram rejeição quando transplantadas, e apenas resultaram no tipo errado de células necessárias para substituição das células comprometidas de pacientes. (clique aqui)

Para informações mais técnicas clique aqui
Por isso, se passarmos a discutir a pesquisa em células-tronco adultas, acho que o problema ético, levantado pela Igreja - e digo de antemão, concordo com esse posicionamento - deixa de ser relevante. Não será preciso formar embriões, logo, a polêmica sobre a origem da vida perde sentido. Todos saem felizes e salvos!


15 abril, 2007

Corrupção é frieira.




—— Severino, retirante,
o mar de nossa conversa
precisa ser combatido,
sempre, de qualquer maneira,
porque senão ele alarga
e devasta a terra inteira.

—— Seu José, mestre carpina,
e em que nos faz diferença
que como frieira se alastre,
ou como rio na cheia,
se acabamos naufragados
num braço do mar miséria?

(Morte e Vida Severina, João cabral de Melo Neto)

Frieira, para quem não sabe, é a velha micose causada por diversos fungos e que sem um tratamento rápido e adequado, espalha-se rapidamente por entre os dedos, geralmente dos pés, causando coceira e feridas na região atingida. A Corrupção é uma frieira que acomete, de uma forma ou de outra, muitos brasileiros, sobretudo aqueles que lidam com os recursos públicos. Vamos ao caso.

O Correio Braziliense deste domingo traz uma matéria sobre uma mega-fraude na Assembléia Legislativa do Distrito Federal. Se você leitor pensa de que se trata de mais uma das inúmeras falcatruas de deputados, dessa vez se enganou. Os ladrões de nosso dinheiro, nesse caso, não foram eleitos, muitos passaram em concurso ou foram nomeados para cargos de confiança. São os funcionários da Câmara Legislativa.

A fraude.

Os funcionários da Assembléia têm direito ao que eles chamam de “auxílio pré-escolar” que se trata de uma ajuda no valor de R$428,37 por criança com idade de até 6 anos para gastos com educação. Não vou nem tocar no fato de que muitos desses funcionários recebem um salário muito acima da média da iniciativa privada o que tornou o concurso para a Câmara, ano passado, um dos mais concorridos do Brasil. Prossigamos: muitos funcionários fraudavam as informações sobre filhos ou dependentes para engordarem os próprios salários. A Assembléia do DF fazia vista grossa às irregularidades, tudo para que todos tivessem o seu quinhão na corrupção. Um, por exemplo, declarou ter 10 dependentes com idade de até 6 anos, engordando em 4 mil reais o seu salário. Além do crime de peculato, esses funcionários também cometeram crime de sonegação e de falsidade ideológica. Para dar um ar de legalidade ao roubo de recursos públicos, muitos desses bandidos que desfilam em Brasília com seus carros de luxo e moram nos lugares mais caros da cidade, declararam ao Fisco dependentes que não têm ou nunca tiveram. Filhos de empregados, parentes distantes, crianças fantasmas, eram relacionadas como dependentes do funcionário para ele roubar o nosso dinheiro.

As desculpas.

Curiosas foram as desculpas dos envolvidos no escândalo. A maioria, conforme noticia a matéria, diz que cometeu a fraude porque os outros funcionários recomendavam. É mais ou menos assim: os deputados roubam, nós roubamos, e você, Mané? Vai ficar dando uma de honesto? Como nesse país ninguém quer ser chamado de otário por ser honesto, lá iam eles, roubar também.

O diretor do sindicato do poder legislativo do DF e do TCU do DF, Valquírio Cavalcante, que em tese deveria zelar pelos direitos dos funcionários, decidiu, na mesma moral, locupletar-se também. Colocou como dependentes filhos de um sobrinho que sequer moravam em sua casa, apenas para aumentar o já gordo salário.Como justificativa ele declarou à sindicância aberta na Câmara para apurar a fraude: “Fiquei sabendo que não haveria problema de pôr os filhos do meu sobrinho como dependentes, por isso coloquei”. Mais cínico impossível.

O chefe da área de benefício da Assembléia, Júlio Eduardo Lassance de Albuquerque, que concede o auxílio e recebe a documentação exigida para liberar a mamata, justificou a vista grossa de sua área dizendo que a lei confere a presunção de inocência e de veracidade das informações dadas pelos cidadãos. Homem correto, esse Júlio. Sabia, porque nos corredores da Câmara todo mundo sabia da fraude, mas ele, de forma omissa, acreditava nos bandidos porque a lei, a priori, considera todos inocentes.

Conclusão

Pois bem, assim como a frieira, a corrupção se alastra na esfera pública. Roubar dinheiro público não é privilégio dos ocupantes de cargos eletivos. Os funcionários públicos acham natural receber indevidamente, fraudando documentos e mentindo descaradamente, apenas para aumentar o próprio salário. Casos como esse me enojam e me tiram a esperança de que algum dia seremos decentes com o dinheiro público. A velha máxima de Rui Barbosa continua valendo: é tanto roubo, cinismo, desfaçatez, que o homem honesto passa a ter vergonha de sê-lo.

13 abril, 2007

Um jovem militante petista.

Uma das primeira lições de um jovem petista, lá pelo fim da década de 1980 e nos anos posteriores, era odiar, achincalhar, proferir apupos contra políticos que se locupletavam nos governos "deles", fosse nas esferas municipal, estadual ou federal. Orestes Quércia, Jáder Babalho, Paulo Maluf, Fernando Collor, xiii! a lista é imensa. E onde estão hoje esses inimigos número 1 do jovem militante petista? Na cadeia? No ostracismo político? Zé Paulo, a vitória do Lula e do PT não jogou para o lixo da história essa gente torpe, vil, como é mesmo, Lula? "Esses ladrões do povo?"

O jovem militante deve ter ficado aturdido esta manhã quando soube que o seu Líder máximo, o Guia Genial dos Cegos, não só trouxe para o seu lado, creiam-me, todos esses meliantes citados acima, como decidiu inocentá-los! Lula é mais que presidente, ele é um deus! A Justiça ainda analisa as provas levantadas contra Jáder Barbalho, mas Lula já declarou que ele foi um homem progressista, notável, um injustiçado na política. Jáder, cujas rãs de sua mulher levaram bilhões de nossos impostos através da SUDAM, para Lula, é um inocente.

Outra pérola foi dizer que de todos os ex-presidentes, o único que se comportava como tal era José Sarney. Itamar já rezou na cartilha de Lula, foi embaixador em Roma, lembram? Collor é o mais novo amigo do presidente, logo, o recado de Lula foi para Fernando Henrique. Lula, ainda que fique 100 anos no poder, jamais vencerá seu complexo de inferioridade em relação a FHC. Sempre que pode, compara-se com o ex-presidente, e claro, sempre se acha, sob todos os aspectos, melhor que ele, e jacta-se: "sou apenas um operário"

Lula é mesmo notável! Se rezam pela sua cartilha, os ex-presidentes se comportam como pessoas sérias e responsáveis. Se o criticam, os ex-presidentes não agem como ex-presidentes. Incrível!

O jovem petista, que hoje deve ter uns 30 anos, se for sério e inteligente, abandona esse partido e essa ideologia de boteco que o fez acreditar no PT e em Lula, mas infelizmente, essa gente segue o PT como uma seita, e a Lula, como um messias; por isso, é muito provável que hoje, esse jovem militante do PT esteja brigando em nome da honra de um Jáder, de um Maluf e de um Quércia, porque afinal, o Grande Líder já disse que são homens inocentes e de moral ilibada.

06 abril, 2007

... tem cem anos perdão!

Na terra dos altos coqueiros, deputados petistas andaram, nesta semana que se finda, destilando fel contra o PP, partido de homens honrados, como Paulo Maluf, Severino Cavalcanti e José Janene. Primeiro foi o deputado Paulo Rubem Santiago que chamou o PP de Partido Podre. Agora foi o sempre decente Fernando Ferro que fez uma metáfora santa sobre o imbroglio. Expliquemos.

A bronca desses deputados com o PP é fisiologismo em estado puro. O deputado Paulo Rubem estava certo de que seria nomeado relator da LDO de 2008 (Leis de Diretrizes Orçamentária), mas o presidente "Burla", carinhoso que é com os aliados, decidiu, veja só, entregar o cargo ao PP. Paulo Rubem, que estava sentindo o cheirinho de nossos impostos no ar, ficou só no cheiro. O nobre parlamentar, tão preocupado com seus eleitores de Pernambuco, chiou. Como bom petista que é e não é, ao mesmo tempo, mandou bala nos aliados:
"Pelo visto, com a atual composição da executiva eleita por esse partido, será necessário manter o Ministério das Cidades sob fiscalização permanente da CGU, do TCU e da Polícia Federal, evitando, como mecanismo preventivo e a bem do interesse público e do respeito às normas do artigo 37 da Constituição Federal, que os fatos que levaram Janene a ser denunciado, Severino a renunciar, Pedro Correia e ser cassado e Maluf a responder a diversos processos não se repitam na execução do orçamento do Ministério das Cidades.

Fernando Ferro, em solidariedade ao seu companheiro de partido, veio, em plena SEMANA SANTA, contribuir com mais uma das metáforas que caracterizam o chefe do bando. Disse: " Jesus tinha dois ladrões ao seu lado na cruz. Imagina nós". E continuou: "Estamos cercados de ladrões". Eu sei, leitor, parece, mas não é piada.

O PT ainda acredita que tem o monopólio da Ética? Não ocorreu ao nobre Ferro que seu partido financiou essa gente e tantos outros no caso do Mensalão? Não ocorreu ao deputado o pecado da blasfêmia, ao comparar o Partido da Tramóia a Jesus Cristo? É sempre muito hilariante quando um petista faz um discurso em nome da decência. Paulo Rubem, Fernando Ferro, essas coisas - decência e honestidade - isso não lhes pertence mais... (Pertenceu alguma vez?)

O PT sempre quis roubar sozinho. Bob Jef só denunciou a fraude nos Correios porque Zé Dirceu quis acabar com o roubo do PTB, queria apenas o PT afanando. O dossiê fajuto foi outra ação made in PT. Cercado por ladrões, Fernando Ferro? Vocês são os meliantes! E não esqueça do adágio, em tempos de páscoa não custa lembrar, "... tem cem anos de perdão".

03 abril, 2007

D Matilde venceu!

Renan pede desculpas em nome do povo brasileiro!

Pronto! O politicamente correto triunfa novamente! Os senadores da República fizeram hoje uma audiência pública, (clique aqui) para discutir o racismo na UNB. Os africanos, esses coitados, filhos da elite em seus países, alguns, ditaduras declaradas, participaram do desagravo público. Em plenário, os africanos ouviram da Casa mais importante da república, um pedido de perdão.

Gostaria de lembrar aos senadores que esses coitados desrespeitam as regras da Casa do Estudante, agridem estudantes brasileiros, são conhecidos pelos atos violentos e estão longe de serem esses cordeirinhos que muitas autoridades engravatadas estão imaginando. Vocês, estudantes da CEU, foram abandonados pelo senado, eles preferem bajular um grupo, reconhecidamente encrequeiro, a exigir o cumprimento da lei na Casa do Estudante da UNB.

Ah Zé Paulo, mas nada justifica o incêndio! Claro que não! Mas por que fazer essa pantomima? Por que considerar, a priori, racismo, quando fica cada vez mais claro que se trata de uma briga de estudantes? Por que não esperar a conclusão das investigações? Não! Querem, os senadores, posar de bonzinhos, fazer cena para o exterior. E os estudantes brasileiros que foram agredidos pelos africanos? ah... ser agredido com socos, pontapés, garrafas, tudo bem, afinal, eles são negros, e como diria a ministra do ódio racial " é natural que eles odeiem os brancos"

Por que os senadores não reagiram às declarações da ministra? por que ficaram calados quando um crime ainda mais grave, o incitamento do racismo por uma autoridade do governo, foi dito às claras? A tese da ministra do ódio triunfou! Nós, os brancos de pele, porque na genética ninguém no Brasil é branco, estamos reféns desse racismo fabricado pelo governo, difundido pelos esquerdofrênicos e corroborado agora pelos senadores.

Sabe o que me deixa mais triste? Se os estudantes brasileiros da UNB fizessem uma manisfestação dizendo que não são racistas, denunciando os privilégios e as arruaças dos africanos na CEU, talvez alguém acordasse para o absurdo que se está perpetrando na UNB. Não, acho que eles não farão, sabe por quê? Porque esses estudantes que formam a maioria silenciosa, quer se formar, está ali para estudar e teria vergonha de dizer que está há dez anos na UNB e ainda não se formou.

D Matilde e seu racismo venceram!

02 abril, 2007

Esse Ministério Público...

Vejam como são as coisas em tempos de Lula e de PT. A ministra do ódio racial, Matilde Ribeiro, deu uma declaração racista, mas como foi dito aqui, ninguém vai processar a ministra, afinal, ela é negra e mulher, por isso pode ser racista. Como eu sou branco - apenas na pele, porque na genética tenho os dois pés na África - se eu desse uma declaração como deu a ministra, estaria na cadeia.

Leiam esse trecho do Correio WEB:

02/04/2007
19h41-O Ministério Público resolveu interferir nas investigações sobre o ataque contra as moradias de estudantes africanos da Universidade de Brasília (UnB), ocorrido na madrugada da última quarta-feira (28) na Casa do Estudante Universitário (CEU).

Preocupada com a possibilidade de a Polícia Federal não investigar o caso como um crime racial, a promotora do Núcleo de Enfrentamento à Discriminação, Laís Cerqueira da Silva, solicitou as cópias dos inquéritos às polícias Civil e Federal. A promotora diz que a medida tem como objetivo evitar que o caso seja analisado como um atentado sem cunho racial e colaborar nos levantamentos.

“Precisamos saber se há qualquer referência de natureza racista nos inquéritos e na ocorrência policial. A investigação tem buscado descartar ao máximo essa questão. Isso pode comprometer drasticamente a investigação e seria um grande equívoco”, observa a promotora.

O Ministério Público do DF ficou calado diante do clamoroso racismo da ministra, mas já se mexeu com o incêndio da CEU. A promotora Laís já sabe que o crime foi racial, ela não precisa das investigações, já decidiu sobre o ocorrido. As provas? para quê? É chique dizer que somos racistas, xenófobos, intolerantes. Transformar o ocorrido numa briga de estudantes, ainda que seja verdade, não combina com os propósitos de justiça e igualdade que essa gente defende. Cuidado, aluno da UNB, se você for branco, amarelo ou meio marrom, e não defender os africanos, pode ser chamado de racista, e por uma promotora, o que é mais grave!


01 abril, 2007

SPORT CAMPEÃO!

O herói do bi!
A torcida do bi.
o gol do bi

Hino do Sport Club do Recife

Com o Sport
Eternamente estarei
Pois rubro-negras são
As cores que abracei
E o abraço, de tão forte,
Não tem separação
Pra mim, o meu Sport
É religião

A vida a gente vive
Pra vencer
Sport, Sport
Uma razão para viver

O glorioso, o maior do todos os clubes rubro-negros, sagrou-se nesse domingo, bi-campeão de Pernambuco. Meu Sport derrotou o timinho do Náutico por 2XO e por antecipação conquistou o título.

Recife está em festa e daqui de Brasília comemoro como posso. Fiquem com as fotos da epópeia.


A taça do bi-campeonato!

Os Neros da África!

O incêndio na Casa do Estudante na UNB ainda rende. Os organizadores de uma manifestação contra o "racismo" produziram um vídeo que está no youtube onde uma música de hip hop - ou seria rap? - divide espaço com gritos de protesto e olhares furiosos dos manifestantes. Lá pelas tantas um africano declara, sem pejo, que chegou na UNB em 1996, está há dez anos na universidade. Desconheço qualquer curso de graduação que dure uma década. O que existe nesse declaração é que esse estudante africano é apenas um militante da causa! Não está ali para se formar, mas para fazer passeatas, proferir discursos indignados, aparecer para um "publicozinho" pequeno-burguês que acha que estará redimido de pecados se defender a causa dos oprimidos. Vamos aos detalhes:

Muitos africanos que moram na CEU estão longe de serem excluídos economicamente. Muitos ostentam riqueza nas roupas que vestem e isso parece incomodar algumas pessoas. Além do mais, os africanos, com algumas exceções, vivem promovendo festas barulhentas que perturbam o ambiente da Casa do Estudante, e não raras vezes, entram em luta corporal com outros integrantes da casa. O que eles chamam de racismo ou de xenofobia, é apenas briga de estudantes. O mais grave vem agora. Uma fonte segura, morador da Casa do Estudante, revelou a este blog que os africaos têm rixa entre eles. As nações africanas não são assim tão unidas. Angolanos, moçambicanos, nigerianos etc vivem brigando entre si e os motivos são vários. Repito: O atentado é um absurdo! Mas está cada vez mais evidente que não foi racista.

Voltando ao vídeo que eles produziram e que lançaram na rede, há outra cena curiosa. O reitor da UNB, cujo biotipo serve bem para encarnar o "branco opressor e racista", é provocado e constrangido a pedir desculpas aos africanos. São dezenas de estudantes gritando, exigindo desculpas, vociferando seus mantras esquerdofrênicos e no final quem é acusado de intimidação é o reitor, por que? porque quer saber a identidade do estudante que está fazendo a gravação de suas imagens. Eles, os do bem, que querem justiça, não sabem que a lei obriga a todos que gravam imagens e sons de outros que se identifiquem? Pois obriga sim.

O vídeo precisa ser visto, insisto. É uma aula de atuação dos esquerdofrênicos. Gritos, violência, insesatez, estultície, tudo em nome da justiça e dos negros.

Aos meus amigos negros, que graças a Deus são muitos e são alfabetizados, aviso: lembrem-se de Revolução dos Bichos do George Orwell. Aquele porco que seduziu os outros animais da fazenda com promessas de liberdade e de uma vida melhor, transformou a vida dos animais no inferno ainda pior do que eles viviam. Cuidado! Não se deixem envenenar por essa gente, que como disse sua porta voz, D. Matilde Ribeiro, aceitam o ódio racial, desde que seja dos negros contra os brancos. Somos um povo mestiço e eles querem segregar racialmente um povo que tem como característica a miscigenação.

Se eu fosse o reitor da UNB, jubilava o estudante profissinal e fazia cumprir a lei na Casa do Estudante da universidade. Querem fazer bagunça, façam em seus países!

PS: Continuo desconfiando que foram os próprios africanos os autores do incêndio.