31 março, 2007

Agressão no aeroporto


O caos aéreo é o assunto do momento. Há pouco foi informado pelos telejornais que os controladores suspenderam a greve e que a partir das 5 horas deste sábado, eles voltarão ao trabalho. A greve acaba, mas o problema persiste.

Das cenas de revolta, desespero, indiganação e descontrole que tomaram conta dos aeroportos do país, uma me causou profunda repulsa (clique aqui). Um passageiro, no aeroporto Tom Jobim, no Rio, agrediu uma funcionária da BRA, quando esta, também nervosa, falou aos gritos que o passageiro pagaria por ter quebrado o guichê da Companhia. Descompensado, mas também com muita covardia, o passageiro deu um tapa na funcionária da BRA. Não fosse um homem que deu um sanfanão no covarde passageiro, a mulher agredida teria ficado ainda mais humilhada e indefesa.

Nesse país ninguém respeita mesmo a lei. A ministra do ódio racial continua serelepe a defender os negros e acusar os brancos, não irá sequer responder processo por racismo. Os administradores da Infraero roubam milhões e continuam impunes, enquanto os aeroportos se transformam no caos que vemos hoje. Lula, o prepotente, afirmou que os mais pobres deveriam se mirar no exemplo dele. Não estudar? mentir? não saber de nada? quais as outras virtudes do presidente?

O caos nos aeroportos é o reflexo de um caos maior: o do país governado por gente inepta e corrupta.

28 março, 2007

Secretaria do Ódio Racial.

A ministra Matilde Ribeiro, você não sabe quem é? Não importa, ela é irrelevante mesmo. Tão irrelevante que precisou cometer um crime, do qual não será punida, para virar manchete aqui e no mundo. Qual o crime dela? Leiam com atenção:

BBC Brasil - E no Brasil tem racismo também de negro contra branco, como nos Estados Unidos?
Matilde Ribeiro -
Eu acho natural que tenha. Mas não é na mesma dimensão que nos Estados Unidos. Não é racismo quando um negro se insurge contra um branco. Racismo é quando uma maioria econômica, política ou numérica coíbe ou veta direitos de outros. A reação de um negro de não querer conviver com um branco, ou não gostar de um branco, eu acho uma reação natural, embora eu não esteja incitando isso. Não acho que seja uma coisa boa. Mas é natural que aconteça, porque quem foi açoitado a vida inteira não tem obrigação de gostar de quem o açoitou.

A ministra disfarça, diz que não está incitando o ódio dos negros contra os brancos, apenas reconhecendo que um negro TEM O DIREITO de odiar um branco. É mais ou menos assim: Eu, de pele branca, de mãe índia e com um monte de mestiços na família, se dissesse o que a ministra disse ao avesso, estaria demitido, preso e achincalhados pelos sociólogos de um livro só. Mas como foi uma ministra, mulher e negra, ela tem o direito de ser racista, embora nossa constituição ateste que racismo é crime. Para essa senhora, que ganha o dinheiro mais fácil do mundo, porque não faz nada e ainda posa de autoridade, o racismo é uma via de mão única, ou seja, só existe do branco para o negro, nunca do negro para o branco.

Curiosamente, hoje, a UNB viveu um dia de protestos. Estudantes africanos que moram no CEU (Casa do Estudante Universitário) tiveram as portas de seus apartamentos queimadas, num suposto atentado racista. Se o atentado foi realmente racista, não sei, tenho dúvidas e depois explico por que, os criminosos devem ser presos e mostrados à sociedade, todos devem saber quem são esses racistas e mais, todos devem exigir sua punição. Contudo, seguindo o raciocínio dessa ministra, se fossem os estudantes africanos que ateassem fogo nos apartamentos de estudantes brancos, não seria uma coisa boa. Mas seria natural que acontecesse.

Esse atentando tem me incomodado em alguns pontos: foi realizado após a péssima repercussão da entrevista da ministra à BBC, nada me demove da suspeita de um falso atentado, uma espécie de profecia que se auto-cumpre; outra coisa: estudantes ligados a partidos de esquerda que passam mais tempo trabalhando para o partido do que estudando de verdade, lideraram passeatas, vociferaram palavras de ordem, achincalharam o reitor da UNB, fizeram enfim o número a que eles se prestam nesses ambientes, sempre repetindo o mantra: “Há racismo na UNB” Era como se esse ato reforçasse a idéia da ministra, afinal, os brancos maus querem matar os negros bons, por isso, a reação de um negro vítima de uma injustiça pode ser naturalmente odiar um branco. Outro estudante, negro, declarou que esse atentando reforça e confirma que existe racismo no Brasil! Vá lá, admitamos que houve atentado, no máximo seria um ato de xonofobia, haja vista que as vítima foram estrangeiros e não os negros brasileiros, mas para o estudante, o ato prova o racismo de nossa gente.

Tomara que o caso seja resolvido logo e que se puna os autores do crime. Se foi racista, punição severa, mas se foi uma manipulação suja de gente que é bem capaz desse tipo de coisa, que se puna com igual rigidez. Afinal ministra, embora a senhora admita o ódio do negro contra o branco, nossa Carta Magna ainda considera isso, o ódio baseado na raça, um crime, e, inafiançável! A senhora não será demitida, afinal cometer crime nesse governo é antes uma insígnia do que uma mácula, mas saiba que sua máscara caiu. Saiba que sua secretaria não é a da Igualdade Racial, mas a do Ódio Racial.

25 março, 2007

"Se nessa casa tem goteira..."

Todos sabem que não gosto do presidente Lula, menos ainda de seu partido que vem se especializando em falcatruas. Aliás, a ficha corrida do PT já se aproxima da extensão de uma Estrada Real, aquela do imperador Dario, da Pérsia. Mas tenho que admitir: O homem é uma simptia, mesmo que burlesca.

Ainda não foi noticiado, mas o blog do JC publicou o principal acordo comercial firmado entre Lula e Bush quando este esteve aqui. Quando se trata de álcool nosso presidente é insuperável. Vejam a foto e o post na íntegra.



Circula na internet o que seria supostamente o novo comercial da Caninha 51.

Não bastasse a audácia dos chargistas nacionais, quase todos os dias, agora também com fotos?

Mais respeito com o presidente, gente.

O homem não leva jeito de garoto-propaganda para esse tipo de produto.

24 março, 2007

Aux Armes Citoyens!

O parlamento em geral e alguns deputados em particular, sobretudo do PT, embora nesse caso haja, até agora, também o silêncio da oposição; flerta com o perigo ou acreditam que o cidadão comum que não depende das benesses do governo, vai se calar e aceitar passivamente a manobra perpetrada pelo deputado mineiro do PT - que tem fama de comer pelas beiradas e em silêncio - Virgílio Guimarães, de aumentar os próprios vencimentos e de seus pares para 21 mil reais.

A imoralidade dessa gente recua, jamais se finda. Essa gente se especializou em privilegiar a si mesma e a sociedade que eles porcamente representam, que se dane.

No século XVIII, lá pela década de 1780, a França ia mal da pernas. As contas despesas/receita não fechavam e o governo de Luís XVI se afundava em dívidas. Nas ruas, o povo, essa categoria que o PT tanto gosta, passava fome; no campo os camponeses passavam maus bocados por conta dos privilégios feudais, enfim, naquela época, mesmo em crise, apenas a nobreza e o Alto Clero viviam no que Tayllerand afirmava: "Quem nunca conheceu o Antigo Regime, não sabe o que é viver bem".

A única solução viável seria mexer nos privilégios dos nobres, mas a nobreza, alheia ao sofrimento do povo, preferia jogar fora as muitas sobras de seus banquetes faustosos a ter que alimentar o povo faminto da França. resultado: Revolução Francesa!

Nós temos que protestar e nesse caso, acho que seria interessante chamar o Bruno Maranhão e oferecer-lhe algum dinheiro ou algum poder, pois sabe como é, esquerdista tem três características: adora criar confusão, quebra-quebra; adora ganhar dinheiro dos outros e o único princípio que não traem é o principio de se dar bem. Pois bem, chamemos esse homem honrado para quebrar a Câmara, afinal ele nem será punido mesmo. mas não podemos recuar, aceitar mais essa marmota do Parlamento. Acho inclusive que já está na hora de se abolir com os privilégios desses meliantes que se auto-intitulam deputados. Já que falei da Revolução Francesa, que tal um Grande Medo? Foi assim que naFrança revolucionária, os deputados assustados, aboliram os privilégios feudais que massacravam os camponeses.

19 março, 2007

Um pouco sobre mim.

O presidente Lula não consegue achar no PMDB um político que não tenha problemas na justiça. Dos nomes aventados pelo partido ou pelo presidente Michel Temer, todos são réus em processo de evasão fiscal, apenas para ficar nos crimes... Digamos... Ao sistema financeiro. O preço que se paga para ter o PMDB no governo só não é maior do que o peso de se ter petista em secretarias, ministérios, escolas, no prédio ou mesmo numa casinha de sapê.

Mas não quero falar de política, isso é muito chato e previsível. Quero falar um pouco de mim, porque além de chato e previsível, também é irrelevante.

Estava eu voltado para casa, ali na altura do Parque da Cidade, entre o Sudoeste e a Octogonal, e me peguei lembrando de quando tinha 12 ou 14 anos. Lembrei que meu pai, numa das várias vezes que enfrentou problemas com o emprego formal, tomou-me pelo braço e disse:

--- Tu vai vender bermuda na feira comigo meu filho. Eu serei o “veio” mineiro e você será o menino da bermuda. (Meu pai nunca foi à Minas Gerais)

Durante 1 ano vendemos bermudas nas feiras-livres de Recife: Cordeiro, Afogados, Casa Amarela, Ceasa e adjacências. Foram tempos difíceis, mas confesso que sentia uma certa animação quando conseguia vender mais bermudas que meu pai. A Spalu Line, grife de fundo de quintal, cujo garoto propaganda era o bom Carlitos, fez tanto sucesso que em pouco tempo ninguém queria mais comprar nossa bermuda, e o negócio precisou acabar por falta de compradores e por um déficit crescente na balança de pagamentos. Ficamos descapitalizados. Eu fui estudar na ETFPE, meu pai continuou em sua saga por um emprego, minha mãe ajudando o quanto podia, meus irmãos... Bem, por essa época não pertenciam à PEA familiar.

Quatro anos depois eu me formava como Técnico em Química pela ETFPE e trabalhava na Brahma, ganhava bem para um operário, embora não tão bem quanto Lula, ainda que eu tivesse mais estudo que ele, o que claro, não era tão difícil assim. Foram 4 anos na Cia Cervejaria Brahma - Filial Nordeste. Quatro anos de horror!

17 março, 2007

É melhor rir do que chorar



Recebi por e-mail uma dessas piadas que circulam pela internet. Achei-a tão boa que decidi publicar aqui. Espero que gostem.

Quando o Papa João Paulo II veio ao Brasil, pela primeira vez, nós estávamos em transição do regime militar para a democracia. O presidente era João Batista Figueiredo. O Papa perguntou a ele: "Para quê tantos ministros?" E ele disse: "O Senhor Jesus tinha 12 apóstolos, e eu tenho 12 ministros."

Em 2007, quando o Papa Bento XVI chegar ao Brasil, e perguntar ao Lula para quê 34 ministros, o "molusco" certamente responderá: "Bem cumpanheiro santidade, Ali Babá tinha 40..."

16 março, 2007

O discurso de Collor

Em agosto de 1992 eu tinha 15 anos e acabava de entrar na Escola Técnica Federal de Pernambuco, cursando Química Industrial. Nos primeiros meses dessa escola - talvez por vaidade, talvez por necessidade juvenil de ser aceito - participei do Movimento Estudantil. Naquele mesmo mês, a Rede Globo exibia a mini-série Anos Rebeldes de Gilberto Braga, e que contava a saga do Movimento Estudantil entre 1968 e 1974. Muita gente acreditou, eu também, que os estudantes em 1992, tinham voltado a ter algum tipo de participação na vida política do país.

Não, meus queridos 6 leitores fiéis, eu não pintei a cara, sempre tive pejo de certos arroubos, mas fiz pior: fui na linha de frente em passeatas Fora Collor! subi em carro de som, discursei contra os "tubarões da educação", quanta vergonha me causa essa lembrança. Tivesse eu mais idade e menos sangue indígena na família, eu seria um desses barbudos classe média, com uma boina na cabeça e defendendo o PT como uma religião qualquer. Já disse a vocês, meu passado não foi bonito.

O que me salvou não foi a Faculdade de História, que cursei na UFPE, lá também fui doutrinado nas idéias universais de justiça, liberdade, igualdade e fraternidade. Também fui convecido que a foice e o martelo era o símbolo da justiça contra o capitalismo mal. O que me salvou foram os livros que passei a ler depois que me formei. O que me salvou foi eu passar a ler por conta própria e não reproduzir o que os mestres diziam. O que me salvou foi entender que por trás de toda ideologia universal e humanitária haverá sempre um diabo totalitário, seja esse diabo um Hitler ou um Stálin!

Collor fez um discurso hoje. Não tive tempo de ler o discurso na íntegra, mas sei que a idéia central foi dizer que sua punição deccoreu de um golpe parlamentar. Reconheceu erros políticos, jamais crimes! O PT e o presidente Lula de fato, deram aos crimes de Collor um caráter amadorístico. O PT se relacionou bem com o congresso, o mensalão confirma isso. Collor, ao posar de vítima, apóia-se sobretudo nas falcatruas do governo Lula para dar à sua versão dos fatos, ares de julgamento político. É verdade que ouvir Collor não é tão chato quanto ouvir Lula, embora mal caráter, mentiroso, vaidoso e mentecapto, ao menos ele sabe escrever e falar; Lula é tudo isso, e ainda por cima, ouvi-lo exige um esforço sobre-humano, é quase uma auto-flagelação.

Escrevi esse post apenas para dizer o seguinte: Ainda que Collor fosse mesmo inocente de todos os crimes que cometeu. Ainda que tivesse sido vítima de uma vingança parlamentar. Ainda que seus inimigos no congresso, que o depuseram, fossem mais canalhas do que ele - basta lembrar que na CPI do PC Farias, o deputado José Dirceu e o "faz tudo" Waldomiro Diniz, tiveram ação decisiva nas investigações - mesmo assim Collor, você foi um fiasco! Seu maior crime não foi a corrupção, o peculato, o permitir a amigos a locupletação; seu maior crime foi num plano maluco e cruel, ter confiscado a poupança e a conta corrente de trabalhadores e aposentados. Pais e mães de família que viram seus sonhos enterrados por uma decisão criminosa e inútil de um governo incompetente e de um presidente parvo.

Seu discurso de hoje, ou qualquer outro que você venha a fazer daqui para frente, não apagará da memória nacional essa violência! Concordo que o senhor foi eleito por Alagoas, a democracia não é perfeita, mas é melhor que a ditadura, mas não imagine que em 2010 ou em 2020 o senhor subirá mais uma vez aquela rampa do Palácio do Planalto!

15 março, 2007

Capim novo

Ainda no assunto chato, mas agora com um pouco mais de humor, vou postar uma úsica de velho Gonzagão. Minha singela homenagem ao presidente Lula!




09 março, 2007

Lula e o Ponto G


Do blog do JC publico esta charge que ilustra bem a fixação de nosso priápico presidente nos últimos dias. Lembram de D Bela, aquela figura horrenda da Escolinha do Professor Raimundo? seu bordão era: "Ele só pensa naquilo". Nos ultimos dias o bordão de Lula é: "Eu só falo naquilo".

Leitora me repreende, com estilo.

Um petralha anônimo me esculhambou feio, basta ler os comentários. Revelou a mim uma obviedade sem tamanho, a saber, sou pouco lido, quase ninguém perde seu tempo comigo. Contudo, há alguns leitores que me estimulam a continuar escrevendo, ainda que faça isso tão mal. Abaixo, publico na íntegra um comentário de uma anônima, que pelo estilo e pela sagacidade não é petralha, tenho certeza. E para não dizerem que sou misógino, homofóbico, chauvinista, essas coisas, publico esse comentário que de alguma maneira me contesta. O texto é bom , vale a pena ser lido.

"Caro Costa Jr, meus cumprimentos.
Nunca fui feminista, acho até que sou um pouquinho machista, porque esculhambo mulher no trânsito, gosto que carreguem o peso das sacolinhas de supermercado e me deixem só com o pão e o papel higiênico, e - ai - considero a invasão do mercado de trabalho pelas mulheres um retrocesso cultural, uma anomalia que tirou as mães de dentro de casa e está criando um bando de doidos. Pior, um caminho sem volta, pois estamos todos cada vez mais pobres, e aí todo mundo tem que trabalhar, mesmo.
Uma vez tive que passar um jantar inteirinho lado a lado com uma dessas feministas. A figura trabalha em uma ONG e é namorada, ou sei lá como elas chamam, de um conhecido. A noite foi chata, muito chata, eu preferia ter uma amiguinha mais divertida pra passar uma rara noite de lazer falando um pouco de bobagem...
Só teve um pedacinho do seu post que me desanimou, até me tirou um pouquinho do sono, veja só como sua opinião me é relevante.
Eu fiquei muito aperreada, com aquela descrição de mulher de verdade. Gostei não.
Submeto à sua apreciação alguns pontos, por puro desabafo.
Vamos por partes...
"Mulher de verdade, daquelas que gostam de gentileza e carinho, que adora comprar vestidos, sapatos, jóias..."

Ai de mim, Costa Jr! De gentileza e carinho, tudo bem, até um cão gosta, mas o resto...eu aborreço as compras, compro roupas no último caso, porque tenho que andar vestida, não me divirto nessa atividade. Sapatos, então, nossa mãe, não há nada neste mundo pior do que um vendedor de sapataria...você chega olhando e ele já vai te cercando, literalmente pegando no pé. Pra mim, ir a shopping é um tormento.
Jóias, puxa vida! A única coisa confeccionada em ouro que já entrei numa joalheria pra comprar foi a minha aliança de casamento. Nunca me esqueço, foi na Vivara do Shopping Recife! O modelo mais simples e discreto, pois sempre achei aqueles "pneus" horríveis. Jóias caras são coisa tão distante da minha realidade, que nem vou comentar muito.
"...que passa horas discutindo sobre a diferença entre a cor salmon e a cor de telha..."

Tem que ser muito desocupada, Costa Jr, pra passar horas discutindo uma leseira dessas!

"...que vive dizendo que está gorda, mesmo tendo um IMC abaixo do padrão e você só para concordar com ela aquiesce e então ela briga dizendo que você a está achando feia..."

Agora eu me lasquei mesmo, pois NUNCA desde o dia do meu nascimento tive um IMC abaixo do padrão. Já esteve no padrão, pouquinho acima, moderadamente acima ou muito acima, mas abaixo, nunca... mulher ideal tem que ter IMC abaixo do padrão, é? Ô, Costa Jr, você, heterossexual pernambucano como eu, diga isso não, vá!!!

"... mulher que adora um elogio à sua beleza, mais do que a sua inteligência..."

Aquele típico "não esquente essa cabecinha linda pensando tanto", é?
Hmmm...

Depois que li essa parte do post me senti meio fora de qualquer padrão. Essa mulher ideal do Costa Jr certamente não fez uma graduação e duas pós, ela não passa noites em claro trabalhando - as olheiras!-, não engorda, não escolheu seu homem por amor mas sim pelas jóias ou presentes que recebeu, e finalmente não seria capaz de acabar a leitura uma obra de Dostoievski, nem mesmo pra se exibir depois. E pra piorar não sabe a diferença entre salmão e cor de telha. Eu não gostei dela. Mas vou continuar gostando do blog do Costa Jr, os homens nem sempre acertam, mas eu gosto é deles.
Beijinhos."

Tinha que postar.

Bruno Maranhão na versão aristocrática.

Nessas imagens temos o Bruno trabalhando para o PT !
















Eu não ia publicar mais nada hoje, mas passando no blog do JC não resisti à imagem que vocês no início do post.

Vocês não lembram desse senhor distinto? Não? É ele mesmo, Bruno Pancadão, quer dizer, Maranhão, o tal líder do MLST que promoveu o quebra-quebra no Congresso, ano passado. Nessa foto ele está acompanhado de sua senhora, D. Susana , que tem por profissão defender as mulheres da violência. Olha como ele está engomado e sorridente, um senhor acima de qualquer suspeita.

O PT decidiu não puni-lo. Não seria justo punir apenas o Bruno por quebrar a Câmara, quando Palocci não foi punido por ter quebrado o sigilo do caseiro, nem João Paulo Cunha por ter quebrado a palavra de que era inocente no caso de Mensalão.

Assim são os tempos atuais: Lula, esse gênio da inculta e bela que declarou: "massa encefálica dentro do cérebro"; Bruno Maranhão que atenta contra o patrimônio público e participa de homenagem à mulher no Palácio do Campo das Princesas, em Recife; e os deputados do PT que tanto gostavam de CPI vetando mais uma essa semana.

08 março, 2007

Minha homenagem às mulheres!

Abaixo vou postar o que para mim é a maior homenagem que um homem, desses de verdade, pode fazer a uma mulher, dessas de verdade, não as feministas que são umas chatas!

Trata-se de uns versos do poeta popular Otacílio Batista que foaram musicados por Zé Ramalho e ficaram conhecidos na voz de Amelinha. Espero que gostem!


Mulher Nova, Bonita e Carinhosa

Faz o Homem Gemer Sem Sentir Dor







Numa luta de gregos e troianos
Por Helena, a mulher de Menelau
Conta a história de um cavalo de pau
Terminava uma guerra de dez anos
Menelau, o maior dos espartanos
Venceu Páris, o grande sedutor
Humilhando a família de Heitor
Em defesa da honra caprichosa
Mulher nova, bonita e carinhosa
Faz o homem gemer sem sentir dor

Alexandre figura desumana
Fundador da famosa Alexandria
Conquistava na Grécia e destruía
Quase toda a população Tebana
A beleza atrativa de Roxana
Dominava o maior conquistador
E depois de vencê-la, o vencedor
Entregou-se à pagã mais que formosa
Mulher nova bonita e carinhosa
Faz um homem gemer sem sentir dor

A mulher tem na face dois brilhantes
Condutores fiéis do seu destino
Quem não ama o sorriso feminino
Desconhece a poesia de Cervantes
A bravura dos grandes navegantes
Enfrentando a procela em seu furor
Se não fosse a mulher mimosa flor
A história seria mentirosa
Mulher nova, bonita e carinhosa
Faz o homem gemer sem sentir dor

Virgulino Ferreira, o Lampião
Bandoleiro das selvas nordestinas
Sem temer a perigo nem ruínas
Foi o rei do cangaço no sertão
Mas um dia sentiu no coração
O feitiço atrativo do amor
A mulata da terra do condor
Dominava uma fera perigosa
Mulher nova, bonita e carinhosa
Faz o homem gemer sem sentir dor

Mulher sim! Feminista não.

Vocês já repararam numa coisa? O Dia Internacional da Mulher é uma data em que as feministas ou o pensamento feminista mais se mostam e mais expõem suas indignações incotidas. O estranho é que as feministas nem mulheres são! Uma por exemplo, americana, chegou a escrever um livro em que pergunta: Os homens são necessários? ela mesmo responde: são! Até certo ponto e com muita boa vontade, apenas para nos - elas leitor, entenda bem - divertir. Essas moças que desprezam o macho, talvez sonhem com o dia em que o mundo se transforme numa grande ilha de Lesbos.

Ano após ano, os jornais batem na mesma tecla: as mulheres ganham menos que os homens. Isso por pouco tempo, tenho certeza. Essa diferença vem caindo, hoje é de 10%, mas esse não é o ponto. Quero saber se uma mulher exercendo a mesma função que um homem, recebe menos só porque é mulher! Sou professor, e apesar das frustrações, gosto de ser professor e gosto porque seria mesmo se não gostasse, como diria Fernando Pessoa, e duvido que minhas colegas de licenciatura, que trabalham na mesma escola lecionando no mesmo nível de ensino que eu, recebam um contracheque menor porque são mulheres.

Em breve, as moças que estão estudando mais que os moços, estarão superando os homens, na média, na faixa salarial; e aí eu quero ver se vão lançar o Dia Internacional do Homem!

Mulher de verdade, daquelas que gostam de gentileza e carinho, que adora comprar vestidos, sapatos, jóias; que passa horas discutindo sobre a diferença entre a cor salmon e a cor de telha, que vive dizendo que está gorda, mesmo tendo um IMC abaixo do padrão e você só para concordar com ela aquiesce e então ela briga dizendo que você a está achando feia; mulher que adora um elogio à sua beleza, mais do que a sua inteligência, como diria Dostoievski - " A inteligência aliada a beleza não aborrece" - essas merecem, mais do que merecem, é uma obrigação nossa, dos heterosexuais cada vez mais raros, a maioria hoje é total flex, satisafazê-las, deixá-las felizes e aborrecê-las o menos possível, não apenas hoje, mas todos os dias...

04 março, 2007

Banzo...

Quando estudei nessa instituição, lá pelos idos de 1992 até 1996, ela ainda se chamava ETFPE. A imagem é a entrada principal, que ninguém usava na época, preferiam uma entrada lateral, próxima a um dos três lagos que ficava dentro da escola. Lembro que os veteranos costumavan atirar nos lagos o aniversariante do dia.


O Liceu de Artes e Ofícios de Pernambuco que ficava na Praça da República no bairro de Santo Antônio no Recife( soube que a escola foi transferida para a rua do Príncipe, onde ficava o Colégio Nóbrega) foi meu primeiro alumbramento. Pela primeira vez deixava a periferia - Monsenhor Fabrício, isso com 11 anos - pegava um ônibus e me dirigia ao centro do Recife. Muitos colegas faziam um percurso mais longo, como Mário e sua irmã Cristiane que vinham da Muribeca. foram 4 anos nessa escola, da 5a a 8a série e um pedaço do 1° ano. (1988 a 1992)


A música postada abaixo dispensa letra e comentário. A imagem acima é do rio Capibaribe na altura da rua da Aurora... "Ai que saudades que tenho..."