01 janeiro, 2007

Uma posse ou um funeral?

Não meus amigos, eu não estou preso. Toda a minha indignação e os meus planos de jogar bosta na Geni esmoreceram diante do quadro que vi na Esplanada dos Ministérios. Um céu cinzento, uma chuva intermitente e um comboio de carros pretos deram à posse do apedeuta um ar de funeral. Os romeiros petistas que tentaram emprestar à festa ares de efusividade, mal conseguiam disfarçar uma certa decepção com a natureza. Melhor do que o meu protesto foi o protesto da São Pedro.

Os romeiros do PT e afins estavam lá, como disse. Nos rostos que mirei e nas conversas que ouvi, percebi aquele aspecto e constatei aquele discurso que bem caracterizam esses fiéis do PT. Nos rostos, as marcas de uma vida sofrida e nos olhos aquele êxtase religioso de se estar perto de um mensageiro dos céus! Essa gente simples que tanto se indentifica com o presidente, seja pela história, seja pela gramática; suportou a chuva, os raios; enfrentou as dificuldades de se chegar a Brasília sempre imbuídos do espírito de sacríficio e da confissão de fé no apedeuta.

Dentro do planário da Câmara outro símbolo desse novo mandato: o vazio político. Um plenário esvaziado, apenas com ministros e parlamentares da base governista, ouviram as diatribes de Lula. Foi enfim, uma posse discreta, sem aquele ar de epópeia que marcou a posse em 2003.

Depois de fazer o juramento da Constituição e de assinar o termo de posse, Lula nos brindou, com a competência de sempre, a de no fazer rir, com seu discurso. Prometendo conjugar os verbos acelerar, crescer e incluir, o presidente voltou, com mais cautela é verdade, a prometer amanhãs que cantam. A verdade, aquela nua e crua, é que tudo o que o presidente falou e prometeu, não passa de parolagem. O famoso PAC (Programa de aceleração do crescimento) terá para esse segundo mandato o mesmo efeito que o Fome Zero teve no primeiro, efeito publicitário e alcance prático inócuo. As pré-condições para o crescimento não existem sequer a médio prazo, que dirá a curto prazo. Serão mais 4 anos de muito discurso, muita retórica, de outras tantas pobres metáforas e de nenhuma ação concreta. Oh Zé paulo, diriam os otimistas, você é um daqueles que apostam no fracasso? Não! Respondo. Sou um daqueles que não cai na conversa mole de Lula e que sabe que dentro do governo existe muita sede pelo poder, muito projeto pessoal, e nenhum plano consistente para mudar o Brasil.

Um governo que promete acelerar o crescimento, foi incapaz de fazer a reforma ministerial para esse novo mandato. Eis o maior exemplo dessa parolagem do presidente. Mudar ministros nunca foi o forte de um presidente hesitante, que demonstra ser néscio em tantas coisas, como vai propor, mais, como tem a hipocrisia de prometer acelerar o crescimento, se é incapaz de mudar seus ministros?


10 comentários:

Ricardo Rayol disse...

estarão passando os meses inevntando desculpas para os fracassos...

Anônimo disse...

sem desculpas...estarão é metendo a mão na grana, de novo...

Anônimo disse...

Puxa vida, eu vim aqui antes de postar um mine roteiro no meu blog e vc anda não tinha postado essa obra prima... vou ficar te devendo!
Adorei essa postagem!
Dizem q só tinha claque paga na posse, não consigo entender

thyago disse...

havia adicionado este blog aos meus feeds RSS... mas obviamente se trata de uma pretendente ao cargo de "Veja", mas, embora acreditasse eu ser impossível, consegue ser mais descarado!

O nome do blog engana, meu caro: ponha algum nome que anuncia que aqui não se dá as notícias do planalto, mas sim, se fala mal. Pra carcterizar uma mídia de Internet, sugiro o nome "Ctrl+C, Ctrl+V da Veja"

Deixo apenas minha honesta crítica
Passar bem.

Costajr disse...

Aos amigos que frequentam esse modesto blog esclareço:

O Thyago é um petralha que se decepcionou com meu blog, puxa que bela notícia de início de ano! Para ele, Planalto se refere APENAS ao palácio e não a Brasília. Talvez ele quisesse um site que cantasse loas a Lula e a sua quadrilha, não aqui. Sugiro o blog do Mino, do Dirceu, do PH Amorim, quem sabe do Josias, o meu não. Não como na mão do governo, ainda bem!

No melhor estilo petralha ele escreve de forma confusa e pouco inteligível e, claro, acusa-me de plágio ao dizer que copio e colo as matéria "DA" Veja. Oh Thyago não se combina preposição e artigo antes de nomes de obras ou publicações, o certo seria "de" Veja.

Ele me chama de descarado porque critico o governo. Ele nem me conhece e me ofende. ele diz que faz uma critica honesta, sei. Então ele quando me critica é honesto e eu quando critico o governo sou descarado. Eis a metafísica petralha.

Anônimo disse...

Pô Zé...vc perdeu um link na blogosfera. Não chore. Dias melhores virão.

Sabe o que me incomoda, na realidade? Nós, anti-petistas, postamos com nossos nomes, com a url do blog e etc. Quando é alguém associado dessa corja petralhista, é sempre anônimo ou sob "pseudônimo". Eita povinho bovino...

Anônimo disse...

Ei Costa, eu achei linda a posse do Apedeuta pela teve... Realmente, Sao Pedro ajudou, hahahaha.

Programa de Aceleracao do Crescimento: ACELLLLEEEEEERA RUBINHO!!!! Hahahahaha, estamos sendo passados por metade do mundo. A outra metade que nao nos passa esta tendo guerra civil... INCRIVEL!

Quanto ao Thiago com Y, ele deve ler a Cartilha Capital, e deve ser eleitor do Apedeuta. Deixa quieto. Por isso escrevi no blog do Wernner que merecemos sim essa nhaca de pais. Merecemos porque somos estupidos, porque somos otarios. Merecemos ser pilhados, vilipendiados, assaltados, carbonizados. Merecemos, ah como merecemos...

Anônimo disse...

Uma posse melancólica. Li que os jornalistas que cobriam a solenidade no Congresso foram convidados pelo Aldo Rebelo a entrar e sentar no plenário para dar a impressão de que estava cheio. Que coisa ?!

Anônimo disse...

Amigo, é impressionante a falta de classe dos PTralhas.
Criticar sem ofender, é algo q desconhecem.
Qt ao desgoverno, nada de novo no front!
A posse foi xinfrim, apesar dos milhões investidos em caravans de PTralhas.
Foi desprestigiada internacionalmente, o cara está queimado.
Só restou mesmo a roubalheira, agora o planalto viverá 4 anos na base do "quem rouba mais"

andre wernner disse...

CostaJr.,
Excelente análise. E tive visões profundas quando você citou os romeiros: “nos rostos, a marca de uma vida sofrida e nos olhos aquele êxtase religioso”. Você captou bem essa imagem e foi muito feliz na sua expressão. Rostos sofridos, corpos cansados que ainda se deixam levar sim, por esse êxtase.
Mas me preocupo muito mais, meu caro Costa, quando essa gente voltar a si, desse êxtase ‘infernal’ e cair na realidade da falta de emprego, comida, moradia etc.
Mas aí já se passaram quatro, oito anos e a falácia estará consumada e o povo usado como massa de manobra. Porque sem emprego não há vida digna com Bolsa Populismo de manobras afins.

SUGESTÃO: inclua no seu roteiro de poemas, um com essa frase que você citou e eu repeti. Ela tem um impacto muito forte! E imediatamente cria quadros mentais interessantes...
Abs
P.S1: respondi seu comentário lá no blogue, ok?
P.S2: não ligue para as críticas do Thyago. Um dia ele cresce e aparece...
P.S3: já respondi para a Patrícia lá no blogue