29 janeiro, 2007

Meninos, eu vi!

Um velho Timbira, coberto de glória,
Guardou a memória
Do moço guerreiro, do velho Tupi!
E à noite, nas tabas, se alguém duvidava
Do que ele contava,
Dizia prudente: — "Meninos, eu vi!

I-Juca Pirama - Gonçalves Dias



Esse blog, Notícias do Planalto, só tem um defeito: É pouco lido. Se fosse mais frequentado as pessoas diriam que aqui se vê antecipados muitos dos fatos que vão virar notícia. Não sou profeta, nem tenho ligações com o poder político no Distrito Federal, sem modéstia, como Lula, eu escrevo: Eu tô por dentro das coisas (hehehe)

Aldo Rebelo, com seu jeito manso de falar, expôs em debate com os outros dois postulantes à presidência da câmara, a ferida que machuca a base aliada: a concentração do poder nas mãos do PT. Num post de 17 de janeiro escrevi: "Para muitos deputados, muitos mesmo, o que está interessando é derrotar essa ânsia de poder hegemônico que o DNA bolchevique do PT não consegue esconder." Pois então, leiam o que Aldo declarou no debate: "Não creio que se deva dar mais força a um único partido. Não julgo prudente para o próprio PT a concentração de poder". Viram? É nesta frase que estará a derrota de Chinaglia e da canalha que o apóia. Os petistas sentiram o golpe e reagiram duro, na posição que eles mais gostam, a de vítima. Arlindo, o Chinaglia, respondeu: "O Aldo não fez essa avaliação quando o PT retirou a candidatura para apoiá-lo [em 2005]. O PT sabe abrir mão" Hum... vamos aos fatos: Em 2005 o PT tinha dois candidatos: Virgilio Guimarães do PT de Minas e o advogado Luiz Eduardo Greenhalgh do PT de São Paulo, os petistas estavam assanhados, mas quem acabou levando foi Severino Cavalcanti, e claro, foi um desastre. Diante da fragilidade política do PT com os casos de ladroagem que muitos membros do partido estavam envolvidos, Aldo Rebelo foi uma solução de conciliação, portanto, o PT não abriu mão, O PT engoliu Aldo para não ser engolido pelos adversários políticos. Essa resposta de Chinaglia é puro vitimismo, é rancor. A verdade queridos é que Aldo sinaliza para os partidos da base do governo que querem repelir a ameaça bolchevique que o PT representa. Os petistas, sentindo o golpe da declaração de Aldo, continuaram reverberando a declaração do atual presidente da casa. Henrique Fonatana, um chinaglia do Rio Grande do Sul e líder do PT disse: "Na minha opinião foi a frase mais infeliz do presidente Aldo." Observe que o petista diz que a referida frase foi a mais infeliz, ele quer dizer que houve outras, esses petistas...

Arlindo Chinaglia vem dizendo que existe muito preconceito e ódio contra o PT. Ele tem razão. Por que será? Esse ódio está nos gabinetes dos parlamentares que se sentem alijados da mamata do poder pela sede petista e não na sociedade ou na imprensa, pelo contrário, muitos jornalistas até vêem com simpatia a missão redentora do PT, mesmo com corrupção e inépcia.

Como dizia no inicio do Post, o blog Notícias do Planalto antecipou o perrengue, sua causa e ainda fez uma aposta: Aldo vence - embora as pesquisas com os parlamentares indiquem vitória de Chinaglia- dá para acreditar em pesquisa que entrevista político? não dá! Por isso repito: Aldo vence, não que eu esteja torcendo pelo comunista, Deus me livre desse pecado, mas na conjuntura é o menos ruim como escrevi em 17 de janeiro: "Hoje apostaria em Aldo. O governo vence? vence. Mas será aquela vitória amarga, constrangedora, cuja comemoração será tímida. O que importa é o PT perder, é a canalha enfiar o rabo entre as pernas, é Dirceu não vislumbrar qualquer chance de anistia, é enfim, que o PT seja derrotado pelos valores democráticos que ele finge defender, mas que na verdade tem ojeriza por eles.

5 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Zé Paulo, infelizmente estou tão puto que não vou comentar teu texto agora. Tu sabes que sou um indignado por natureza. Por isso, peço desculpas para ocupar teu tempo com um assunto bem cretino. A Sônia anda espalhando um monte de merda lamurienta a respeito do movimento evolução. Para uma pessoa que se diz idosa o faz de um jeito bem desagradável. Gostaria de pedir que entendesse o outro lado da estória. Aturar "fogo amigo" é foda.

Patricia M. disse...

Costa, estou com voce e nao abro. Eu nao gosto do Rebelo comunista, mas prefiro que ele ganhe do que ter que aturar o Ze Dirceu entrando triunfante na Camara, com anistia e tudo mais. Contra o Ze, qualquer coisa, mas qualquer coisa mesmo! Ate o Severino de novo!!!!

Saramar disse...

ZéPaulo, deixe de modéstia. Você é meu guru preferido.

Entre os 3 candidatos, o Diabo deve estar gargalhando de felicidade. Os dois lados podres do mesmo limão que nos azeda os dias disputam entre si e o povão olha como um burro contemplando o palácio.
Mas, como você disse, o importante é impedir que o vassalo de José Dirceu presida aquela casa de horrores porque aí....


beijos

jandira disse...

Imprensa insiste em falar na divisão profunda e praticamente ireeconciliável da base aliada do Governo Lula por causa da disputa entre Aldo Rebelo e Arlindo Chinaglia pela Presidência da Câmara dos Deputados. Não deixa de fazer sentido, porque, afinal, de um lado ficaram PCdoB, PSB e parte do PMDB; de outro, ficaram o PT, a outra parte do PMDB, PP, PR, PTB e outros. A vitória do petista Chinaglia pode atrapalhar as relações com os aliados tradicionais, além de certamente atrair a ira do presidenciável aliado Ciro Gomes. A vitória de Aldo, por outro lado, deixa a Oposição com alguma força na direção da Câmara. Nisso, todos concordamos. Mas a Imprensa oculta o grande estrago que já está feito na Oposição. O primeiro racha começou com o inteligente apoio do PFL a Aldo Rebelo. Foi ao mesmo tempo uma estocada no Governo Lula e no (ex-) aliado PSDB. Os tucanos, por sua vez, às voltas com problemas internos, precisando acertar um novo rumo e sem grandes alternativas, decidiram pragmaticamente apoiar Chinaglia. Mas aí houve a grita geral da ala conservadora lacerdista e seu principal braço político, a Imprensa. Os tucanos recuaram para uma candidatura da "terceira via" salvadora e agora se preparam para o voto secreto de um segundo turno, quando poderão quase certamente votar em Arlindo Chinaglia. A eleição é um marco na divisão maior entre PFL e PSDB e também na divisão dentro do próprio PSDB: de um lado, os progressistas e pragmáticos (Serra, Jutahy, etc.); de outro, os lacerdistas (Fernando Henrique, Tasso - que por sua vez apóia Ciro - e Alckmin). Aécio está dividido, mas tende mais para a oposição a Serra. No final da eleição da Câmara, vença um ou vença outro (mais provavelmente Chinaglia), o Governo Lula vai sorrir feliz: terá um aliado na direção da Câmara e terá uma Oposição desarvorada.

martins disse...

E AGORA DIRCEU GANHOU, COMO FICAMOS?
Satisfeitos pois ao ganhar o 1 e 2 turno, o governo, mais uma ez venceu com merito o 3 turno.
Quando será o 4 turno? Quando iremos aceitar que a democravia vence quem tem maioria e a oposição que deve fazer: se são patriotas devem colaborar até porque os preços no supermercado estavel, o menor indice de risco pais, inflação controlada, o maior indice de popularidade do presidente, plano de aceleração de crescimento, auto suficiencia de petroleo, o maior superavit de exportações, bolsa familia para os pobres ......o que se pode fazer para agradar a oposição? .Reflita!