04 dezembro, 2006

COMENTÁRIOS DO PAS - ETAPA I

Olá meus queridos alunos! Viram? A prova do PAS não é esse bicho de sete cabeças que tantos imaginavam momentos antes do fechamento dos portões. Até as mudanças, aguardadas com certa apreensão por mim, foram muito positivas. No espaço abaixo vou comentar os itens de História. Não é o gabarito oficial, mas acreditem, é muito próximo.

Vou fazer dois Posts. O primeiro com 6 itens e o segundo com 7 itens. Espero que apreciem e comentem.

ITEM 10: Se você marcou a letra C acertou! As Grandes Navegações e a Expansão Marítima dos séculos XV e XVI mudaram o eixo econômico europeu do mar Mediterrâneo para o Oceano Atlântico. Não esqueça que um dos motivos dessa expansão era o de encontrar um novo caminho para as Índias e esse novo caminho teria de ser pelo Oceano Atlântico. À medida que a colonização européia na América vai se consolidando, o Atlântico passa a ser o grande eixo econômico da economia mercantilista.

ITEM 11: Esse item apresenta alguns problemas: Em primeiro lugar o item faz uma referência ao Liberalismo Econômico, conteúdo que será visto no Segundo Ano, ao se estudar o Iluminismo. Embora alguns gabaritos por aí tenham marcado o item como certo, acredito que ele esteja ERRADO, esperemos o gabarito oficial. Por que está errado? Vejamos: Na Idade Moderna o sistema mercantil se baseia nas práticas mercantilistas de Balança Comercial Favorável, Monopólio, Intervenção do Estado na Economia etc. Além do mais o sistema de Produção se baseia na Grande Propriedade Monocultora e escravista. Tudo muito distante do que se chamará no século XVIII e XIX de Liberalismo econômico. Enfim, os princípios clássicos do Liberalismo Econômico criado por Adam Smith se opunham por definição às práticas mercantilistas. Por isso, para mim o item está errado.

ITEM 14: O item foi muito bem pensado. O primeiro mapa oferece ao aluno e a aluna um referencial importante para traçar a rota que o item pede: saindo de Portugal até chegar a África do Sul. As correntes marítimas comprovam uma necessidade que os navegadores lusitanos tinham de navegar mais para o oeste quando atingisse certo ponto da costa africana. Essa manobra recebeu o nome de “Volta do Mar”. Sabe-se que foi através dessa manobra, indispensável para se chegar na ponta sul da África, que a esquadra comandada por Cabral acabou indo mais do que o necessário para o oeste, o que ocasionou a “descoberta” do Brasil. A velha discussão se foi de propósito ou não neste caso é irrelevante.

ITEM 24: Se você marcou CERTO, acertou! No sistema de Plantation não havia espaço para a pequena propriedade, era preciso a existência de latifúndios o que necessariamente concentra poder e riqueza nas mãos de uns poucos. Assim como as capitanias era uma doação real a um particular, as sesmarias eram lotes imensos dentro da capitania entregues pelo donatário aos sesmeiros que deveriam fazer seu lote prosperar.

ITEM 25: Se você marcou CERTO, acertou! Nas grandes propriedades, por exemplo nos engenhos, a Casa Grande era a residência do grande proprietário (Senhor de Engenho) e de seus familiares. Representava o poder e a riqueza na propriedade. Já os escravos, indispensáveis para a geração da riqueza na colônia, ficavam na senzala que normalmente estava próxima à Casa Grande. O modelo de colonização na América ibérica foi o de EXPLORAÇÃO, ou seja, se assentava na desigualdade entre Senhores e escravos.

ITEM 26: Esse item também apresentou para mim um certo problema. O que define a questão, é o aluno saber que mesmo após a independência do Brasil em 1822, o sistema escravista, herdado da época de colônia, se manteve inalterado. O Problema é que só no Segundo Ano esse tema: Manutenção da estrutura escravista no Brasil, será visto. De qualquer forma, se você marcou ERRADO, você acertou! A escravidão só termina em 1888 quando fazia ao menos 66 anos que o Brasil estava independente de Portugal.

Um comentário:

David disse...

Costajr,
Se vc quiser diminuir a sua lista de arquivos ao lado, colocando tudo em uma linha atraves de menu, me passe e-mail que te mando o código.

Um abraço.