08 dezembro, 2006

"Acharam o Paulo", não eu, o mais famoso!

































Não importa a idade. De 10 a 100 anos, qualquer um se encanta com um achado arqueológico. A magia de se deparar com uma prova material do passado é inexplicável, mas se esse passado se relaciona com a fé, a sensação é ainda mais fantástica. Pois bem, acabo de receber por e-mail, enviado pelo meu sogro, uma noticia veiculada pela BBC-BRASIL, que arqueólogos em Roma encontraram um caixão, que ao que tudo indica, guarda os restos mortais do apóstolo Paulo, o contundente São Paulo. Vejam a notícia:

ROMA - Arqueólogos anunciaram nesta quinta-feira, 7, que descobriram em Roma um caixão que contém o que acreditam ser os restos mortais de São Paulo. O caixão, que seria pelo menos do ano 390 depois de Cristo, foi encontrado em uma cripta embaixo da Basílica de São Paulo Extramuros, a maior igreja de Roma depois da Basílica de São Pedro, no Vaticano. Escavações vinham sendo feitas no local desde 2002, e foram completadas apenas no mês passado. Há muito se acreditava que a tumba de Paulo estava na catedral, mas só agora, após as escavações, foi encontrado o caixão. Os arqueólogos tiveram que remover duas grandes placas de mármore para encontrar o caixão, que contém a inscrição "Paolo Apostolo Martyr" (Paulo, apóstolo e mártir). Buracos O esquife também tem buracos claramente visíveis, pelos quais os fiéis antigamente colocavam pedaços de pano para tocar os restos do santo. O padre Edmund Power, abade de um mosteiro beneditino que teve acesso ao caixão, disse que ele é branco e parece ser feito de um material semelhante ao mármore. Quando vivo, São Paulo viajou pela Ásia Menor, Grécia e Roma no século 1º d.C., e suas epístolas, incluídas no Novo Testamento, são consideradas por teólogos alguns dos mais influentes documentos da doutrina cristã. O santo teria sido decapitado em 65 d.C, no reinado do imperador romano Nero. O esquife deve ser colocado em exposição ao público em geral, mas o Vaticano ainda não anunciou se irá permitir, um dia, que seu interior seja examinado.

9 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Genial, acho que tem razao, nada mais interessante do que descobertas que podem mudar o rumo do nosso entendimento das coisas

David disse...

Acho que já deu para perceber que gosto e muito de história né não?
Mas quando existe a somatória Igreja Católica + novas descobertas, sempre fico com os dois pés atrás.

Anônimo disse...

O Vaticano "esconde" riquezas inimagináveis, principalmente em sua biblioteca...

Anônimo disse...

Se isto for comprovado será uma das mais importantes descobertas arqueológicas de nossa época, sem dúvida.

Costajr disse...

Meus amigos

A descoberta, se comprovada, será de suma importância para a história da Igreja e do cristianismo. David, quando falo da Igreja, assim com i maiúsculo não me refiro á Igreja Católica apenas, mas a todas as Igrejas cristãs

um abraço a todos vocês

Catellius disse...

Espero que ele seja mais verdadeiro do que o Sudário de Turim...
A descoberta arqueológica mais importante do século, para mim, aconteceu em Qunram, próximo ao Mar Morto. A singularidade de Cristo foi seriamente atingida quando encontraram em textos essênios menção a outros messias mortos como hereges antes de Jesus. Um deles pregava a paz e a não violência e foi morto por volta de 60 a.C.
Sem falar em Filos de Alexandria, que dizia coisas como "Deus é o verbo" muito antes de João Evangelista.
Mas é isso aí!
Quando o catolicismo dá uma esfriada na Europa, ainda mais agora tendo como Papa a pouco carismática figura de B16, eles logo tratam de achar o túmulo de um santo, de ver a Virgem Maria em alguma gruta, de descobrir que o tipo sangüíneo do sangue de Lanciano é o mesmo do que está impregnado no linho de Turim...
Se o túmulo de São Paulo ficasse em alguma cripta da nossa cidade de São Paulo já teria sido arrastado por algum dilúvio universal...

Ane Brasil disse...

puxa, que legal!!!
Cara, o Paulão era amigaço do tal cabeludo chamado Jésus né? aquele que tinha um rolo com a Madá...
Sorte e saúde pra todos!

Costajr disse...

Minha cara Ane, vejo que o Dan Brown e o Código da Vinci fizeram mal a você e a tanta gente.

E primeiro lugar Paulo, que antes se chamava Saulo e perseguia os cristãos, jamais se encontrou com Jesus, a não ser naquela estrada de Damasco, mas aí Jesus já havia sido crucificado. Portanto, a amizade deles não foi na terra, mas na fidelidade de Paulo aos ensinamentos cristãos e na sua propagação.

Ter um rolo com Madá é uma das ficções de Dan Brown que mais prosperaram. Talvez você seja adolescente o que torna sua ignorância e leviandade desculpaveis.

°o.O Anna O.o° disse...

Zé Paulo,

Em primeiro lugar quero parabenizá-lo pela qualidade dos assuntos tratados em seu blog! Vejo, que ele anda bastante frequentado, o que leva a uma produtiva troca de opiniões, e isso é ótimo!

Quanto à questão de Paulo e essa possível "descoberta" (mais para reencontro), recomendo a todos (não para você, que já o fez) a leitura do livro "Paulo e Estevão" de Francisco Xavier. Não, em absoluto, pelo seu caráter espírita, pois acredito que religião é uma questão indiscutivelmente de foro íntimo. Mas sim pelo seu caráter histórico, por contar sobre a vida de Saulo de Tarso (o Paulo de quem estamos falando). Sem dúvida é uma bela e interessantíssima leitura!

Um abraço!!