11 setembro, 2006

"Sobra Moral a Alckmim e falta à Lula"

A Carta de FHC, publicada no dia 07 de setembro, incomodou os petistas, os petistas se incomodam com tudo que o ex-presidente fale ou escreva, mas a carta foi um documento dirigido muito mais ao seu partido, o PSDB. O ex-presidente chamou à responsabilidade política e histórica, o seu partido. “- Atravessamos um momento paradoxal: de aparente desconexão entre o que é o sentimento da opinião pública e o discurso eleitoral rotineiro; de tanta desfaçatez dos que ocupam o poder e de tanta informação sobre a corrupção e os desmandos de quem deveria dar as pautas de comportamento pensando mais na Nação que em seus umbigos e nada mais faz do que se jactar de grandezas inexistentes. Diante disso, resolvi me dirigir aos militantes, simpatizantes e eleitores do meu partido, e mesmo às pessoas de boa fé que olham a política com atenção”

Todos que têm compromisso com a democracia e com a república não podem baixar às armas ao projeto autoritário e corrupto do PT e do Governo Lula. Os políticos nem os partidos são iguais, mas mesmo que fossem, não podemos aceitar com passividade a corrupção, a desfaçatez e até mesmo o cinismo, como sendo próprio do Sistema. Não aceito mentira, desonestidade e irresponsabilidade com a coisa pública e cobro dos meus representantes, postura ética e moral para exercer cargo público. Nesse espírito o ex-presidente falou as coisas como devem ser faladas, não usou subterfúgios, foi direto ao ponto. Nosso candidato à Presidência tem as mãos limpas. Tem história de seriedade. Por que não bradar isso com força ? Por que não fazer o contraponto com o outro lado. Nada a temer nem a esconder. Geraldo Alckmim pode dizer o que Lula não pode porque sua história não passa por acusações de suborno a prefeituras. Ele não tem que explicar, como Lula, por que tendo tanto dinheiro vivo (e quanto!), não paga dívidas. Por que ora diz nunca ter ouvido falar de sua dívida no partido, ora que a discutiu, mas não a reconhece. Enfim: faltam condições morais a um e sobram a outro. Em outro trecho da carta essa distinção fica mais evidente:Pagar mensalão é crime e como crime deve ser tratado. Pagar mensalão para deputados, comprar seus votos, não é igual sequer a outra transgressão, a de não declarar dinheiro obtido para a campanha eleitoral, o "caixa dois". A razão é simples: no caso do caixa dois, a fonte do dinheiro usado geralmente é privada, embora nem sempre o seja, e o objetivo é ajudar algum candidato individual em sua eleição. O candidato e seus financiadores devem responder por essa ilicitude eleitoral. No caso do mensalão a fonte foi pública; é roubo do dinheiro do povo, ainda que empréstimos fictícios de bancos privados tenham sido usados para encobrir esse fato. Os arrecadadores obedeciam a diretrizes de um partido, com a cumplicidade de partes da administração. A prática deu-se sob o olhar benevolente de ministros e mesmo com a cumplicidade de alguns deles (refiro-me à acusação do Procurador Geral da República). O próprio Presidente, que é responsável pelos ministros, não tendo atuado para demiti-los nem depois do fato sabido, é passível de crime de responsabilidade. E, mais do que simplesmente corromper pessoas, corrompeu-se uma instituição, o Congresso Nacional”

Por que os petistas odeiam tanto Fernando Henrique? Já escrevi em outros posts, petista odeia intelectual de verdade. Não suportam alguém que já leu mais de três livros na vida. Além do mais comparando os 8 anos de FHC com os 4 anos de Lula, o Brasil avançou mais com aquele do que com esse. SIM! Qual o marco de Lula no Brasil? O fim da inflação? O sucesso da privatização nas comunicações,(saibam que a popularização do sistema de telefonia móvel e fixa, além da Internet foi graças à privatização), arrumou as contas públicas! Isso mesmo! A herança maldita, o surto inflacionário de 2002 foi mais pelo risco Lula do que pela ingerência do governo. Aliás, herança maldita nunca houve. É mais uma das retóricas do PT, herança maldita Lula deixará, agora ou em 2010, com o aparelhamento do estado, gastos ineficientes e uma política econômica tímida e conservadora. Lula usa os mesmo remédios dos anos FHC, cuja conjuntura econômica internacional foi turbulenta, vide crise do México, Rússia e Ásia, numa conjuntura internacional muito mais favorável. Nem imitando FHC Lula é eficiente. O marco de Lula foi o Caso Waldomiro, o Mensalão, os Sanguessugas, foi o assalto ao Estado e o ataque à democracia.

Link da carta de FHC: http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u82171.shtml

Nenhum comentário: