22 agosto, 2006

O Velho Bakunin já tinha alertado.


Esse Não é Marx, mas Mikhail Bakunin, russo e mais realista que seu colega barbudo.






Vou postar na íntegra um comentário de uma leitora do blog do Reinaldo Azevedo chamada Eliana Maria. Não consegui mandar um e-mail para ela, mas em seu perfil ela diz ter 43 anos, é leonina e mora no Paraná. Antes porém, permitam-me uma pequena digressão: No século XIX as idéias socialistas ganhavam forma na Europa diante das desigualdades provocadas pela expansão industrial. As primeiras foram a dos utópicos, depois vieram a dos marxistas, anarquistas e socialistas cristãos. Todas elas tinham um mesmo objetivo: Diminuir ou acabar com as desigualdades sociais. A marxista ficou famosa e pregava o fim da burguesia e do capitalismo através de uma revolução proletária. Os anarquistas que odiavam com a mesma força os capitalistas e os marxistas, acreditavam que o Estado deveria também ser destruído. Enquanto existisse o Estado existiriam opressores e oprimidos. Seu principal teórico foi o russo Bakunin. veja o que ele alertou sobre os marxistas. ( eis o comentário da Eliana)

Do anarquista russo do século 19, Mikhail Bakunin (1814-1876): "Assim, sob qualquer ângulo que se esteja situado para considerar esta questão, chega-se ao mesmo resultado execrável: o governo da imensa maioria das massas populares se faz por uma minoria privilegiada. Esta minoria, porém, dizem os marxistas, compor-se-á de operários. Sim, com certeza, de antigos operários, mas que, tão logo se tornem governantes ou representantes do povo, cessarão de ser operários e pôr-se-ão a observar o mundo proletário de cima do Estado; não mais representarão o povo, mas a si mesmos e suas pretensões de governá-lo. Quem duvida disso, não conhece a natureza humana."
Alguma semelhança com os petistas e com o governo Lula?

Nenhum comentário: