31 julho, 2006

O Hizbollah conquistou a opinião pública

O massacre dos inocentes de Fra Angelico

O ataque de Israel à cidade libanesa de Qana reforçou ainda mais a oposição da opinião pública mundial contra a chamada Força Desproporcional de Israel contra o Líbano. Na Tv e na Internet as cenas de corpos de crianças embrulhados em sacos plásticos chocou a todos. A repercussão foi tão negativa que o governo israelense, pressionado, decidiu conceder um cessar-fogo de 48 horas ao Líbano.

A cada dia a batalha da opinião pública vem sendo vencida pelos terroristas do Hizbollah. A imprensa como um todo destaca a morte de civis no Líbano, gente inocente que nada tem a ver com essa guerra, mas não destaca igualmente que essa população civil inocente vem sendo usada como escudo humano pelos terroristas do Hizbollah. Sobre o bombardeio de Qana por exemplo, Israel comunicou que a cidade seria bombardeada, dando tempo para os civis abandonarem suas casas, muitos ou preferiram ficar ou não puderam sair...

Infelizmente a cada ataque israelense onde morrem civis e principalmente crianças, o Hizbollah se fortalece dentro do Líbano e fora, pois a pressão internacional sobre Israel aumenta. O governo israelense precisa encontrar uma saída para a armadilha do Hizbollah que se esconde e se justifica nas mortes da população civil do Líbano.

30 julho, 2006

Palocci: "Meu problema é a economia"

O ex-ministro da fazenda Antônio Palocci revelou que está preparando um livro sobre o período em que comandou a pasta da fazenda no governo Lula, vem aí talvez um intrigante romance policial, com direito à várias máfias e mistérios dignos do Alfred Hitchcok, como por exemplo: Quem matou Celso Daniel? O que o ministro fazia na mansão do Lago Sul em Brasília? afccionados por filmes policiais e de mafiosos não podem deixar de comprar o livro de Palocci, ele sabe o que escreve.

O ex-ministro está se candidatando novamente à Câmara dos deputados. O principal objetivo do seu programa é conseguir o foro privilegiado que como deputado tem direito, assim seus crimes serão julgados no STF. 15 kg mais magros, falando de gripe aviária, (alguém mais lembra disso?) o ex-ministro confessou que seu maior problema é a economia, modesto esse Palocci, tá querendo elogio. O ministro certamente ficou com pejo de admitir que seu maior problema foi e será por um bom tempo o caseiro Nildo, o mesmo que a investigação da Polícia Federal concluiu que recebeu de forma legal 20 mil reais em sua conta corrente e que o coaf, aquele órgão subordinado a Palocci quando ele era minstro, exagerou quando fez a denúncia contra o caseiro. Ah se o coaf investigasse o Marcos Valério, mais acho que esse órgão só tem tempo de investigar caseiros; os banqueiros e trambiqueiros não devem se preocupar com o coaf.

29 julho, 2006

Cala a boca Lula!

De Ulisses para Collor: "Velho sim, Velhaco Não!"













Às vezes é preciso deixar a urbanidade de lado e falar as coisas nuas e cruas. Para certos interlocutores a sutileza é inútil pois eles não a entendem. No ínicio dos anos 90 o ex-presidente Collor, cujo governo foi marcado por atos de corrupção, mas nada que se compare com a do atual governo, chamou Ulisses de velho gagá. De pronto, Ulisses, um dos poucos parlamentares sérios da história de nosso Congresso respondeu: "Velho sim! Velhaco Não!".

Quinze anos depois, Lula responde, com aquela ironia aprendida no sindicatos dos metalúrgicos de São Bernardo, o que achou do apoio do ex-presidente Itamar Franco a candidatura de Geraldo Alckimim,. Diz ele: "As pessoas quando chegam aos 75 anos devem ter no mínimo, sabe, liberdade para dizer o que pensam..." De pronto Itamar responde:“Posso ser velho, mas não sou velhaco”, e prossegue: " É muito bom poder chegar à minha idade desfrutando de um conceito de ética e moral no trato da coisa pública, o que mantenho desde a juventude."

28 julho, 2006

ENTREVISTA: PERGUNTA 1


NP: Professor Cristovam, o senhor tem dito que a reeleição de Lula representa um risco totalitário para o Brasil. O senhor poderia explicar que risco é esse?

CRISTOVAM BUARQUE: Eu temo, sim, que o Lula, uma vez eleito, sobretudo no primeiro turno, com uma grande votação, possa instaurar um governo autoritário no país. Ele vai ter uma minoria no Congresso, vai ficar deslumbrado com o voto popular e vai querer governar diretamente com o povo, sem o Congresso. Eu temo pelas instituições democráticas.

ENTREVISTA: PERGUNTA 2

NP : Em seu livro, a Revolução nas Prioridades, o senhor elenca 10 erros cometidos pelo Brasil que produziram as desigualdades que marcam nosso país. Entre esses 10 erros estava o Corporativismo. Vimos nas reformas da previdência, tributária e nas tentativas de reforma política e trabalhista, que o corporativismo continua forte. Como o senhor pretende fazer as mudanças na educação, na economia, no agronegócio, enfim, no país, com esse obstáculo do corporativismo?

CRISTOVAM BUARQUE: Atraindo as corporações para um grande pacto nacional e mostrando que não há futuro para nenhum segmento da sociedade se não mudarmos o Brasil inteiro.


ENTREVISTA: PERGUNTA 3

NP: Quando ministro da educação, o senhor acabou com o Provão. Em quê o senhor discordava desse objeto de avaliação do ensino superior?

CRISTOVAM BUARQUE: Não acabei com o Provão, complementei o Provão, que avaliava apenas os alunos, fazendo também a avaliação dos professores, das instalações e do compromisso social que as faculdades desempenham. O resultado do Provão, somado ao resultado das outras três avaliações que formavam um índice, criou o Índice de Desenvolvimento do Ensino Superior (IDES). Essa foi a proposta que fiz. A única mudança no provão é que defendi que, se o objetivo do Provão era avaliar um curso através dos alunos bastava uma avaliação por amostragem, com uma amostra representativa de alunos. Não acabei o Provão, ampliei e melhorei.

ENTREVISTA: PERGUNTA 4

NP: Em seu blog, foram reproduzidas algumas perguntas feitas ao senhor no Chat da IG. Numa de suas respostas o senhor usou a expressão "cabeça de paulista", propondo uma mudança no paradigma do desenvolvimento regional. Qual sua política para o desenvolvimento do nordeste?

CRISTOVAM BUARQUE: Os problemas do Nordeste são um desafio nacional, não regional, e só podem ser enfrentados com uma estratégia de desenvolvimento nacional que incorpore uma política para a região. A criação de um órgão regional de desenvolvimento contribuirá para essa mudança. Para isto ela receberá força política e capacidade técnica. A temática incorporará diversos ministérios, obrigando-os a distribuir projetos e ações com base em metas de longo prazo que promovam a convergência dos indicadores econômicos e sociais das regiões. As regiões com os mais baixos indicadores de educação e inovação, como o Nordeste, devem receber uma parcela mais significativa dos investimentos federais, acelerando a melhoria regional num ritmo superior ao da média nacional. A federalização da educação contemplará um olhar regional, enfrentando as deficiências onde elas são mais agudas.

A gestão dos recursos hídricos numa região de escassez e irregularidade de água é fundamental, e a integração de bacias pode contribuir para o desenvolvimento regional, desde que respeite cinco condições básicas: a moderação dos impactos ambientais, a revitalização das bacias, a desapropriação das terras nas margens das adutoras para reorganização fundiária, e um sistema qualificado de gestão dos usos da água e dos conflitos decorrentes e uma análise séria de alternativas mais eficientes, econômica, social e culturalmente.

O Nordeste precisa mesmo é de uma grande “transposição de conhecimento”, como bem definiu o professor Lynaldo Cavalcanti: uma estratégia de desenvolvimento do Nordeste deve priorizar a elevação do nível de escolaridade e a capacidade científica e tecnológica da região.

ENTREVISTA: PERGUNTA 5

NP: No livro, o que é apartação, o senhor chamava atenção para o risco que estávamos correndo como sociedade ao aumentarmos a cada dia as desigualdades sociais. Não está na hora de chamar bandido de bandido e não de filhos da miséria, como se fossem vítimas, e aplicar penas mais duras?

CRISTOVAM BUARQUE: A violência de hoje só é combatida com cadeia. Mas, a violência daqui a 20 anos só será combatida com a criação de escolas hoje, escolas de qualidade. Grande parte do banditismo de hoje é porque faltou oportunidade a esses bandidos quando eram crianças e jovens. Nós formamos o Brasil por meio de uma violência social: investimos no crescimento da economia sem cuidar da saúde da população, sem cuidar da educação das crianças. E isso foi feito para uma minoria em detrimento da maioria. O Brasil vive uma guerra civil. Guerra civil significa que o problema tem que ser enfrentado pela República, pela Nação, pelo presidente da República. Não dá para enfrentar uma guerra civil apenas pelas polícias estaduais. É preciso transformar as polícias que existem hoje em uma polícia para o País, sem que elas percam suas especificidades. Esse assunto não pode ser tratado pelos Estados, tem de ser trazido para o nível federal. É possível, os recursos existem, falta apenas trazer para o chefe da Nação o compromisso e a obrigação de cuidar desse assunto. Também é preciso pensar a segurança pública em outras cinco dimensões: a) a prevenção, sobretudo para que a violência não seduza jovens, principalmente os jovens pobres que vivem nas periferias das grandes cidades; b) Agilizar o Fundo Nacional de Segurança Pública e a criação de uma agência coordenadora para as polícias; c) Ampliar as ações da Polícia Federal com as polícias locais no combate a crimes como contrabando de armas e drogas; Prisões temáticas, alocando cada preso segundo seu crime em prisões diferentes e menores, não misturando os diferentes tipos de crime na mesma cadeia, pois isso transforma nossas prisões em centrais do crime; d) Fortalecer os mecanismos de auditoria autônoma da polícia, ouvidorias e manuais de conduta; e) Estimular a formação universitária das polícias e as ações de aproximação e prestação de serviços à comunidade como as experiências de polícias comunitárias.


Oito medidas para combater a violência no Brasil:
1. Criar uma Agência Federal de Segurança Interna, ligada à Presidência da República, para coordenar a ação de todas as polícias;

2. Construir um sistema de informação e inteligência para se antecipar ao que o crime planeja fazer;
3. Não deixar que um policial ganhe apenas um salário mínimo. Diminuir o nível salarial entre o topo e a base da corporação. Aumentar recursos para formular uma nova política de salários e melhores condições de trabalho;

4. Não misturar os diferentes tipos de crime na mesma cadeia, pois isso transforma nossas prisões em centrais do crime;

5. Permitir que o presidente da República possa, quando necessário, interferir em qualquer Estado;
6. Proibir que as verbas para a segurança sejam contingenciadas. “Contingenciar o dinheiro da segurança pública é colaborar com o crime”, afirmou Cristovam;

7. Estimular penas alternativas como prestação de serviços comunitários, trabalhos educacionais para os pequenos criminosos;

8. Criar prisões regionalizadas e pequenas.

27 julho, 2006

O jeito PT de se defender...

Até o Mensalão, o PT se arvorava com o monopólio da ética, da honestidade e da moralidade com a coisa pública. Depois que Roberto Jefferson desnudou o partido, o PT confessou: Erramos, mas todo mundo erra. E quem disse isso? o próprio presidente, naquela entrevista em Paris. Na época, a versão do partido para os escâdalos, versão que prosperou, é que foi tudo Caixa 2. Assim o PT repetia erros que os outros também cometeram. O discurso: "somos os únicos honestos" mudou para "saõ todos desonestos, inclusive nós".

A CGU (Controladoria Geral da União) foi à mídia, divulgar quatro nomes que ainda não tinham sido citados pelos Vendoim nem pela CPI dos Sanguessugas, como suspeitos de pertencerem à máfia das ambulâncias. O curioso é que desses 4 deputados três são da oposição. Está claro o interesse do governo: dizer que a oposição também está no jogo. Nem precisava disso, na lista investigada ou denunciada pelos Vedoim já havia parlamentares da oposição, 4 a mais não fariam diferença, nem tiraria da base aliada ao governo a marca, até agora, de 82% de envolvimento com a máfia.

O cômico nessa denúncia é que o próprio Controlador Geral da União, ressalta que não existem provas que confirme a participação dos refereidos deputados no esquema, mas apenas a existência de emendas feitas por eles para a área da saúde em alguns municípios. Ora se não há provas, para quê divulgar os nomes? elementar...




Seriam os libaneses brasileiros?

Toda hora chegam em média 100 brasileiros da zona de guerra no Líbano. Chego a imaginar que na região há mais brasileiros que libaneses. A imprensa continua apelando para imagens de crianças (brasileiras ou libanesas?) que lamentam a morte de parentes ou mesmo a separação provocada pelo conflito. Tudo muito triste, não há dúvida, mas desvirtua o debate.

Israel está lutando contra um grupo que declara oficialmente que quer varrê-lo do mapa. Isso não justificaria um ataque? Que valores pacíficos podem ser defendidos se eles ameaçam a minha existência? Vejam no Estadão de Hoje, www.estadao.com.br, duas entrevistas reveladoras: a primeira de um militar israelense explicando e justificando a ofensiva e a outra de um deputado do Hisbollah e vejam se há como negociar com terroristas.

Voltando ao título do post, a impressão que dá é que existem no Líbano mais brasileiros que libaneses, e uma pergunta fica no ar... essa região nunca foi pacífica, e mesmo assim muitos brasileiros decidiram viver lá. Seria o Líbano mais seguro que São Paulo, Rio de Janeiro, Recife ou Brasilia? até o início do conflito parecia que sim.

Lula não desiste nunca!

Tento explicar aos meus alunos de História que não existe uma verdade absoluta em se tratando de ciência histórica. Na verdade o que o historiador faz é oferecer sua interpratação sobre o acontecimento, e essa "versão" depende de uma série de coisas: das fontes que trabalhou, da época que escreveu, do filtro ideológico do pesquisador etc. Mas Lula extrapola e não desiste nunca!

Ontem em Minas, ele chegou a dizer que Santos Dumont tinha lá um quê de socialista, pois dividiu o prêmio do 14 bis com os operários e os pobres de Paris. Talvez as empresas privadas que tenham programa de participação nos lucros para seus funcionários sejam na verdade empresas socialistas. Tirando o erro da versão presidencial, a divisão ocorreu pelo modelo no 06 de 1901 e não do 14 bis, a pior gafe foi a frase: 'Santos Dumont era brasileiro e não desistia nunca..." tsc, tsc, tsc, pelo menos de viver ele desistiu, matando-se em 1932.

Na versão presidencial, ele morreu triste por seu invento ter virado arma de guerra... hum, se fossemos nos matar por decepção, teríamos agora o maior suícidio coletivo da História!

Já falei nesse blog que nosso presidente não precisa da História do Brasil, ele tem suas próprias versões sobre o passado e isso lhe basta.

Heloísa, Cristovam, Lula e a máquina pública

Essa semana tivemos uma mostra do falso moralismo da senadora Heloísa Helena. Ela demitiu um assessor seu que divulgava sua agenda de candidata pelos computadores do senado. É óbvio que a senadora sabia da operação, o que não estava no script era o vazamento da ação para a imprensa, tirando da senadora sua aura de pura. O jeito Heloísa foi demitir e propagar a demissão desse seu assessor, dando um exemplo de moralidade no trato da coisa pública! Tenho informação que esse assessor continua recebendo seu salário normalmente, ou seja, foi só pirotecnia!

Ontem o senador Cristovam, que faz uma das campanhas mais modestas, teve que explicar à imprensa ávida de sensacionalismo, porque sua assessora Maria Neblina usou o computador do senado para divulgar a agenda do candidato. Explicou, mas reclamou que gostaria de falar de propostas sobre o Brasil, e não dessas coisas... palavras dele.
O presidente Lula em mais de uma ocasião, fez coisa muito pior: usou, por exemplo, o avião da FAB para fazer o comício de abertura de sua campanha em Recife, depois, e só depois da pressão da imprensa, o PT comunicou que pagará o "frete presidencial." Quem acredita? eu não.
A atitude do senador Cristovam foi mais ponderada, e no meu ver correta. Vai conversar com os advogados sobre o caso e depois tomar uma decisão, por isso não caiu no falso moralismo da beata das Alagoas, que demite o assessor para a imprensa, mas o mantém junto a si, e parece que com salário e tudo.

26 julho, 2006

Democracia... cada qual com suas metáforas!

Eis Mário Quintana.

PRESENÇA

É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,
teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento...
das horas ponha um frêmito em teus cabelos...
É preciso que tua ausência trescale
sutilmente, no ar, a trevo machucado,
a folhas de alecrim desde há muito guardadas
não se sabe por quem nalgum móvel antigo...
Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela.


e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
É preciso a saudade para eu te sentir
como sinto - em mim - presença misteriosa da vida...

Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista
que nunca te pareces com o teu retrato...
e eu tenho de fechar meus olhos para ver-te!

Democracia no Brasil... estamos longe!

O cientista político, José Maria Jr, membro do núcleo de estudos de instituições coercitivas, (NIC), da Universidade Federal de Pernambuco, defende em artigo enviado a esse blog que nossa democracia ainda precisa ser consolidada, vejam um trecho do artigo.

"Será que consolidamos a democracia plena em nosso país, será que consolidamos a própria democracia?
Para a existência desta são necessários critérios mais substantivos do que eleições, que são importantes , mas insuficientes para a concretização do Estado de Direito e da democracia. Direitos civis garantidos para todos e responsabilidade dos que foram eleitos pelo povo na condução do regime político, além de eleições limpas, pluripartidárias, periódicas e com a possobilidade de alternância no poder político, são critérios mínimos para a afirmação de que vivemos em uma democracia consolidada(...)
Hoje percebemos a crise istitucional pela qual passa o Estado brasileiro em garantir um direito básico da cidadania, ouseja, o direito à segurança (...)"

Quem se interessar, bastar fazer um comentário que eu envio por e-mail a íntegra do artigo.

Esse blog tem uma premissa: a defesa intrasigente dos valores liberais, dos direitos individuais e civis, além é claro, da democracia plena; por isso, nele sempre haverá espaço para os que tratam desse tema, ainda que o blog não concorde com as análises.

Quando assistimos que um simples caseiro teve seu sigilo fiscal e bancário quebrados a mando do ex- ministro da fazenda Antônio Palocci, por causas das denúncias feitas pelo caseiro, a lentidão que a Polícia Federal levou para descobrir o óbvio, que autoridades do governo quebraram o sigilo, a morosidade da justiça para punir os responsáveis por essa quebra ilegal do sigilo, vemos que ainda falta muito para consolidarmos a democracia em nosso país.

Epitáfio do Legislativo

O poder legislativo no Brasil, independente do nível, seja ele municipal, estadual ou federal; está moribundo e cheirando mal. Por isso um trecho de um soneto de Augusto dos Anjos, refletiria bem, um epitáfio para esse poder no Brasil. O soneto se chama Idealização da Humanidade Futura, do livro, Eu e outras poesias. Abaixo o trecho do soneto:

"Como quem esmigalha protozoários
Meti todos os dedos mercenários
Na consciência daquela multidão...

E, em vez de achar a luz que os Céus inflama,
Somente achei moléculas de lama
E a mosca alegre da putrefação"

Referendo para as cotas!

Cá estou eu novamente falando das cotas nas universidades públicas. Dessa vez tentarei expor algumas razões, baseadas em números, para que defendamos uma maior discussão sobre esse tema. Por isso defendo um referendo para o ano de 2006, explico porquê:

Em 2005 tivemos o referendo sobre a proibição da fabricação e da comercialização de armas de fogo e munição no Brasil. Pois bem, em agosto de 2003, cerca de 2 anos antes do referendo, 80% da população brasileira, segundo pesquisa Ibope, era a favor da proibição. O instituto Data Folha apurou em abril de 2005, que 82% dos paulistanos se disseram contra a fabricação e venda de armas de fogo no Brasil. Em agosto, ou seja, três meses antes do referendo, o mesmo instituto, dessa vez em pesquisa nacional, apurou que 80% dos brasileiros votariam SIM, proibindo a fabricação e o comércio de armas no Brasil. Aí começou a campanha na TV...

Com mais informação sobre o referendo e os riscos que ele representava para os direitos individuais e a segurança, o resultado oficial foi de 63,94% a favor do NÃO e 36,06% a favor do SIM.

Recorro a esses números para refultar a tese de que porque 65% dos brasileiros se dizem a favor da cotas nas universidades públicas, como noticiou a Folha em 23 de julho, as cotas são um desejo da sociedade brasileira. Dissecando os números da pesquisa feita pelo instituto Data Folha, percebe-se que da mesma forma que aconteceu com o estatuto do desarmamento, antes da campanha de TV explicar melhor o assunto, esse grupo é formado principalmente por gente desinformada que não sabe o impacto que essa medida, caso aprovada, terá. O próprio instituto confirma que apenas 46% dos entrevistados já ouviram falar do estatuto da (des) igualdade racial e desses, apenas 9% declararam conhecer bem o estatuto.

Analisando as resposta por nível de escolaridade, percebe-se o tamanho da desinformação. 71% dos entrevistados que têm apenas o nível fundamental de ensino se declaram a favor das cotas, mas 55% dos que têm nível superior são contra. A principio, quem tem mais informação sobre o assunto se coloca contra o projeto de reservas de 1/5 das vagas para negros e afrodescendentes nas universidades públicas. E por quê? Porque não resolve o problema do racismo, traz um risco para a academia no sentido de aprovar estudantes com deficiência de formação, além de infrigir a constituição que garante tratamento igual para todos os brasileiros.

A melhor política para o fim da desigualdade social e racial no Brasil é o investimento na educação básica, dando a todos os brasileiros a chance de disputar em condiçãoes de igualdade uma vaga na universidade, além é claro, de aumentar o número de vagas no ensino superior no Brasil, mas isso é outro assunto.

O professor de antropologia da UNB, José Jorge Carvalho, idealizador do sistema de cotas da UNB, utiliza a retórica esquerdista afirmando que a"a elite não quer perder o poder. A elite não quer concorrentes negros" A velha satanização da elite. A questão não é se o concorrente é negro ou branco, mas se eles serão admitos por méritos e não pela cor da pele.

Se houver maior discussão sobre esse assunto, um referendo mesmo, tenho certeza que como aconteceu com o referendo das armas, a opinião pública se colocará contra as cotas, pois enxergará nelas uma ameaça aos direitos fundamentais do cidadão.

25 julho, 2006

Ministério da Saúde Adverte: Não vendam ambulâncias antes de falar com a gente.

Esse negócio dos Sanguesugas está ficando um saco, reconheço. Quanto mais se mexe, mas sujeira aparece. Além do ex-ministro Humberto Costa, seu substituto na esplanada, Saraiva Felipe, deputado pelo PMDB de Minas, também aparece como suspeito em participar do esquema, conforme noticiou a Folha de São Paulo. Aqui faço questão de uma digressão.

Eu estava lá, em julho de 2005, na solenidade no Palácio do Planalto, onde hoje, os ministros Hélio Costa, Silas Rondeau e Saraiva Felipe estavam tomando posse no lugar de ministros que deixavam o governo para se candidatarem nas eleições. No discurso, Lula fez rasgados elogios ao ministro Humberto que entregava a pasta da sáude, e outros tantos, a Saraiva Felipe, que assumia a referida pasta. Ah o que se deve passar na cabeça deles numa hora dessa? a família assistindo a posse, parlamentares prestigiando a trasmissão do cargo, e Humberto e Saraiva pensando... nas ambulâncias.

Também já publiquei no blog, se investigar mais, juntar os deputados sanguessugas e os deputados mensaleiros, dá 2/3 do congresso não tenham dúvida!

O que mais chama a atenção nesse caso dos sanguessugas é a quantidade de ex-parlamentares, o que me levar a supor que roubar vicia... até agora 15 ex-parlamentares estão envolvidos no esquema, deve ter mais sim.

Puliça! Otoridade!

Escrevi alguns posts atrás, porque havia tanta corrupção no Brasil. (Basta só procurar nos posts abaixo.) Eis que hoje mais uma vez a razão de tanta corrupção vem à luz. Um delegado em São Paulo, André de Rissio, foi preso, acusado de chefiar uma quadrilha que atuava no aeroporto de vira-copos, em Campinas. A prisão ocorreu depois que gravações telefônicas flagraram o delegado intercedendo a favor de bandidos nas delegacias paulistas.
Outro indício que põe o delegado um suspeição, é o patrimônio incompatível com seus proventos, cerca de 6 mil reais por mês. Ele circulava em carros importados, vive num apartamento de mais de 1 milhão de reais, e estava procurando outro, maior, mais confortável, pela bagatela de 2 milhões.

O mais grave. Tem mais grave? tem sim. Esse delegado, confome noticia o blog do Reinaldo Azevedo, era um dos maiores críticos do governo de São Paulo na área de segurança. Vociferava que as autoridades do governo paulista que deveriam combater o crime eram desorganizadas, afirmava que os promotores de Santo André estavam vendo crime político, quando só havia crime comum, no caso da morte do prefeito Celso Daniel, do PT. Esse delegado sabe o que está falando.

A lição se repete: Enquanto quem deve reprimir, previnir e punir, se torna cúmplice da bandidagem, não haverá esperança. Reitero a campanha: Corrupção como crime hediondo, confisco dos bens, perda dos direitos políticos para sempre até a 3a geração.


Lula, de operário a milionário

Nosso presidente merece mesmo ser chamado de magnífico. Vejam que em apenas 4 anos o patrimônio pessoal do presidente, o que ele declara oficialmente, saiu de R $ 422.939,32 para R$ 839.033,52 . e ainda tem gente que diz que o Brasil deve ser orgulhar de ter um operário na presidência. Eu que fui operário por quatro anos, saí com um patrimônio de um carro popular, corsa, usado, cujo valor foi de 9.500 reais. Nosso operário presidente além de ganhar quase 9 mil reais por mês para fazer metáforas e discursos extravagantes, também ganha uma pensão vitalícia de 4.294 reais, como perseguido pelo regime militar. Logo ele, o maior beneficiário do regime.

Mais isso de aumentar o patrimônio em mais de 100 % é talento de família. Seu filho, aquele que usou o avião da FAB para fazer turismo e a piscina do Palácio da Alvorada para se divertir com os amigos; que antes do pai virar presidente era um mero monitor de um zoológico, hoje, ostenta um título de sócio de uma empresa, a GAMECORP, cujo patrimônio é de 5 milhões de reais, portanto mais de 5 vezes o patrimônio do papai.

O candidato dos pobres deixou de ser pobre a muito tempo, pelo contrário, vem aumentado ao longo dos anos, e principalmente depois que chegou a presidência, o seu patrimônio pessoal e dando uma ajudadazinha no patrimônio do filho mais velho.

problemas no blog

Algum problema no blog, ainda não identifiquei... mas vamos ver.

Um pouco de Descartes não faz mal a ninguém

"O bom senso é, das coisas do mundo, a mais bem dividida, pois cada qual julga estar tão bem dotado dele, que mesmo os mais díficeis de contentar-se em outras coisas não costumam desejat tê-lo mais do que já têm. (...) o poder de bem julgar e distinguir o verdadeiro do falso, isto é, o que se denomina o bom senso ou a razão, é naturalmente igual em todos os homens. A diversidade de nossas opiniões não provém do fato de uns serem mais racionais do que outros, mas tão- somente em razão de conduzirmos o nosso pensamento por diferentes caminhos e não considerarmos as mesmas coisas. Pois não basta ter o espírito bom: o essencial é aplicá-lo bem. As maiores almas são capazes dos maiores vícios(...)" - Discurso do Método

Nessas eleições se discutirá talvez quem foi menos ou mais corruptos. Quem foi ou será menos ou mais incompetente na condução da economia, quem tem mais ou menos "bondades" para o povo. Ler Descartes talvez nos previna dessa lorota.

O debate político está assim tão deturpado, tão viciado em corrupção, que assistiremos mais troca de acusações e menos discussões sobre o Brasil.

Todos falam em baixar juros, em fazer investimentos gigantescos em determinadas áreas, em gerar milhões de empregos, mas de onde virá o dinheiro? do orçamento? aumentado-se a carga tributária? não pagando a dívida externa? eles, os candidatos, não dizem claramente, e não falam porque ou estariam mentindo ou seriam desmentidos pelos números.

Quanto dinheiro dos Sanguessugas poderia ter melhorado o atendimento da saúde no Brasil? Quantos milhões previstos para serem gastos nessa campanha não melhorariam a educação pública no Brasil? Quantas mordomias, os parlamentares desfrutam e abusam com nosso dinheiro,( lembram do escândalo dos combustíveis?) Não poderia ser usado em investimentos que gerassem empregos?

Todos falam, munidos de bom senso e seguindo caminhos diferentes, que baixarão juros, promoverão o desenvolvimento e produzirão empregos, como se essas coisas fossem obtidas apenas pela ação da vontade. Se assim fosse, que governo já não teria feito tudo isso? Será que a direita, liberal ou conservadora; e a esquerda, totalitária ou sonhadora, jão não teriam produzido esses frutos se dependessem apenas delas?

Mudar o Brasil precisa de um trabalho lento, persistente, seguindo um caminho reto, onde governos, a despeito de suas ambições pessoais, não possam desviar-se , sejam mesmo impedidos de se desviarem , do objetivo final. Essa idéia de refundar tudo, de começar do zero é tacanha e destinada ao fracasso.



24 julho, 2006

Salve a terra dos altos coqueiros...

Ah meu Pernambuco imortal... segundo o blog do Jornal do Comércio sobre as eleições, acesse o endereço: http://jc2.uol.com.br/blogs/eleicoes/, a ex- de Jarbas, candidato ao senado pela aliança PFL-PSDB, decidiu se candidar ao cargo de deputada. Uma vez que o poder legislativo está uma zona mesmo, essa candidatura veio a calhar. O referido blog traz fotos ousadas da candidata pelo PSB, partido de oposição a Jarbas, além de uma entrevista onde a moça revela seus posicionamentos políticos.
O dono do blog não perguntou, mas tenho certeza que essa nova liderança feminina em Pernambuco já leu o Pequeno Príncipe e deseja a paz mundial. Quem sabe ela não aparecerá no horário gratuito da TV de combinação, protestando contra a Guerra no Líbano? vai dar ibope.
Por que se candidatar por um partido que faz oposição ao seu ex? bem... "ciúme de homem e ressentimento de mulher não são fáceis." - Nelson Rodrigues

Só uma última observação: ela foi miss Pernambuco aos 16 anos, o que era uma ilegalidade no concurso. Ganhou! veja que ela já tem experiência para assumir uma vaga no parlamento.

Lula, o Magnífico.

Dizem que Lula não lê nada, apenas o caderno de esportes para se inteirar da performance do Timão. Como o Timão está em crise, nem esse caderno Lula deve estar lendo.
Desconfio que nosso presidente decidiu sim, começar a ler. Acho até que ele começou bem. tudo indica que ele esteja se interessando por História Geral, mesmo porque a história do Brasil é ele quem faz.

Depois de ler, suponho, as realizações de Alexandre, o Magno; de Átila, o flagelo de Deus; de Carlos, o Magno e de Pepino, o breve, além de Cipião, o africano; Lula começou a cultivar a idéia de que merece uma alcunha digna de seu governo. Em Olinda se queixou aos participantes de um seminário de que gostaria de ter sido reitor, para ser chamado de Magnífico. Imaginem, daqui a 10 anos, nossos filhos abrindo os livros de História vão ler: o presidente Lula, o magnífico, presidiu o país com os maiores casos de corrupção do história republicana e não sabia de nada. Eis porque ele é magnífico!

Ainda em Olinda o presidente prometeu mais uma vez fazer uma reforma política, caso seja reeleito, dizendo que só assim o povo recuperaria o respeito pelos políticos. Sugiro ao presidente, que se é para recuperar o prestígio dos políticos com o povo, a reforma não é política, mas moral.

Humberto Costa seguindo o Script

Não conhecêssemos a reação dos líderes petistas quando confrontados por casos de corrupção, jurarímaos de pés juntos que o ex-ministro e candidato ao governo de Pernambuco, Humberto Costa, está sendo vítima de calúnias.
Rememoremos alguns fatos: José Genoíno, quando surgiram as primeiras denúncias do esquema Marcos Valério, foi incisivo ao negar as denúncias, falou que queria o aprofundamento das investigações, lembrou que o governo também estava investigando, mostrou-se indignado com o que chamou de "ataque a sua honra e a sua história", mas bastou as provas aparecerem, ele pediu o boné e inaugurou a desculpa universal de todo culpado: "Eu não sabia".
O presidente Lula, como fez em 2004 e repete agora, afirmou que o governo quer a apuração dos fatos, que o governo e a Polícia Federal já estavam investigando, que tem todo o interesse de punir os culpados e que vai colaborar. Também como em 2004, a base governista no congresso (PP, PL, PTB, PSB,PRB, PT) tentou imperrar a CPI dos Sanguessugas, agora já se sabe porquê.

Meses depois foi a vez de outro José, dessa vez o Dirceu, apontado como o chefe e idealizador do esquema do mensalão, ser confrontado com aquele outro deputado, o Roberto Jefferson, negar, se dizer vítima de perseguição... o fim de ambos foi a cassação.

Pois bem, Humberto segue o Script. Ameaça processar todos, ainda bem que esse blog é pouco conhecido, que afirmem e imputem a ele participação no esquema das ambulâncias que desviava dinheiro do ministério da saúde. Humberto, que se vocês repararem bem tem cara de vampiro mesmo, não permitirá que abalem sua moral. É a fase da negação e da indignação. O relator da CPI do Sanguessugas, ex-ministro da previdência, senador Amir Lando deu uma trégua para seu antigo companheiro de esplanada. Afirmou que só investigará as ações dos ex-ministro após as eleições. Mesmo assim, a candidatura de Humberto, que não era lá grande coisa, já está comprometida. A parte final do Script... vide Genoíno e Dirceu.

23 julho, 2006

Parlamentar: To be or no To be

O Correio Braziliense noticia em sua página na internet que 15 dos 513 deputados não disputarão as eleições esse ano. A principal razão, segundo o jornal, é a falta de dinheiro. A notícia boa é que desses 15, pelo menos 5 estão envolvidos em casos de corrupção, menos mal.

Aliás, a grande brecha para a corrupção de nossos paralamentares é justamente o financiamento da campanha. Quem paga a campanha do candidato a deputado não o faz sem interesse, o que é legítimo, desde que esses interesses não sejam escusos. O que vemos infelizmente são os deputados se corrompendo ou sendo corrompidos para garantir verba nas eleições. Como as prestações de contas dos gastos de campanha é um conto da carochinha, os candidatos infrigem a lei sem qualquer temor.

Há esperança de um parlamento melhor na próxima legislação? bem.. depende. Se a maioria desses bandidos não for reeleita, se o PTB, PL, PP e PT diminuírem bastante suas bancadas, o número de corruptos será bem menor na próxima legislatura.

Inferimos dessa notícia o quanto é difícil se tornar um parlamentar nesse país. Você que é uma pessoa séria, honesta, que pensa no bem do Brasil, não tem perfil para participar de nosso parlamento. Se além de tudo isso você for pobre e não aceita a tutela dessas ONG's que "lutam" pelos perseguidos e faturam milhões do governo, aí você não terá chances mesmo.

Já coloquei no blog o meu critério para as eleições desses ano, se vocês acharem conveniente, podem usá-lo.

Lula e a boca suja

O presidente Lula disse em Brasilia Teimosa, (Recife), que as oposições deveriam lavar a boca para falar dele. Já que estamos na seção de limpeza é oportuno lembrar de um ditado de Recife: "é o sujo falando do mal lavado".

Nosso presidente não deve ter ego. Vá lá que ele ache as oposições um antro de bandidos, ainda que a maioria dos parlamentares corruptos no esquema do Mensalão e da Máfia dos Sanguessugas, sejam de partidos aliados ao presidente, e mesmo do PT; mas dizer que elas devem lavar a boca ou medir a língua para falar do governo dele, é um delírio!

Esse comício foi histórico! O presidente, que só não foi professor porque não quis estudar, disse que os candidatos ao governo de Pernambuco, Humberto Costa, vocês ainda ouvirão muito esse nome na CPI dos Sanguessugas, e Eduardo Campos, o neto de Arraes e até outro dia ministro do governo Lula, deram uma aula de democracia porque dividiram o mesmo palanque que o presidente. Eles,(Humberto e Eduardo), disse o presidente, estão me dando a maior aula de democracia, e ao Brasil também. Vai sem aspas, mas o sentido é esse mesmo.
Humberto e Eduardo estão apenas faturando na até agora boa performance do presidente nas pesquisas, eles deram aula sim, mas de senso de oportunismo e Eduardo mais que Humberto, pois é de outo partido, o PSB.

O vice do candidato Humberto é do PTB, partido que já o credencia como um provável corrupto, mas digamos que ele seja honesto, decente, dividir chapa com o ministro dos Sanguessugas tira dele qualquer credibilidade.

Ah! o Bruno Maranhão, pernambucano, louco, totalitário, que liderou o quebra-quebra na Cãmara dos Deputados, mas até que prove o contrário, não é ladrão, foi proibido de subir no palanque em Brasilia Teimosa. Ficou claro, constrageria o partido e os candidatos, afinal de contas, ele é louco, mas é honesto, e isso o PT não tolera!

Cotas e o politicamente correto

O brasileiro é bonzinho, cordial, sabe receber o turista. O brasileiro é um povo caloroso, alegre, receptivo. E o Brasil? bem... o Brasil é uma brincadeira.
Analisando os Big Brothers, vejam o quanto me interesso por coisas importantes, percebe-se a natureza caridosa do brasileiro. Basta algum participante se declarar pobre, homosexual, torcedor do íbis, enfim, pertencer a alguma minoria perseguida, o público cai de amores, e trabalha para fazer justiça social. Temos o desejo de fazer o bem, e se uma ligação pode mudar a vida de uma doméstica, de uma pescadora, de um professor de literatura do interior da Bahia, então lá vamos nós fazer justiça social.

Sou contra cotas raciais nas universidades públicas! Antes de me acusarem de branco racista, explico que devo ter mais genes africanos em meu DNA que Pelé no dele. Antes de me acusarem de filhinho de papai, explico que os meus não terminaram sequer o Ensino Fundamental, atualmente minha mãe, que é india, voltou a estudar, e vivem modestamente em Monsehor Fabrício, suburbio de Recife. Sou contra porque isso aumentará o racismo.

Tenho orgulho de vários amigos, negros, não falo os nomes porque não pedi autorização a eles, que estudaram em escola pública e hoje estão fazendo doutorado na França, Alemanha e Inglaterra. Conseguiram, não porque eram negros, mas porque tiveram méritos!

Criar reservas, cotas, é um reconhecimento cabal de que nossa escola básica é um fracasso. Pior, é afastar para sempre as tentativas de melhorar a qualidade da escola pública, afinal, alunos ruins, com formação inadequada, desde que sejam negros, terão 20% das vagas nas universidades públicas.

No curso de ciência política, fui apresentado a uma moça, britânica, chamada Nancy Fraser, ela defendia a idéia de que devíamos superar essas coisas de gênero e raça. Respeitando as diferenças, não devíamos esquecer nossa maior igualadade, a condição humana.

Essa pesquisa que afirma ser a maioria dos brasileiro a favor da cotas, é esse exemplo da bondade social do brasileiro, analisando os números da pesquisa, e não apenas aqueles que saem na TV ou nos jornais, percebe-se que os grupos de maior renda e com maior nível de instrução, são contra as cotas. Essa maioria não é só boazinha, mas também desinformada. Lembram do referendo das armas? a maioria era a fovaor do Sim, quando começou a campanha para o plebiscito e a população passou a conhecer mais o problema, o que ganhou? Afirmo que aqui as coisas são semelhantes.

22 julho, 2006

Operação Cerol

Vimos ontem porque existe tanta corrupção no Brasil e porque os corruptos não têm medo da cadeia. Superintendentes da Polícia Federal do Rio de Janeiro, deve acontecer o mesmo em outros estados, faziam vista grossa, depois de receberem vultuosas propinas, a crimes contra a previdência e ao sistema tributário. Num país, onde o parlamento é em geral corrupto, o governo federal, também, juízes idem, e a polícia participa das tramóias contra a sociedade, que esperança haverá?
Zé Paulo fará mais uma campanha: Corrupção como crime hediondo. Sem direito à fiança, confisco dos bens e perda dos direitos políticos para sempre até a 3a geração.


Fidel e o Mercosul

Enquanto o Mercosul for tratado como um fórum político, onde os presidentes de cada um dos países que formam o bloco tentam chamar mais atenção do que o outro, teremos um bloco frágil e que não sairá do lugar.
Convidar Fidel Castro ( seria ele da esquerda democrática?), para participar de uma reunião do bloco, mostra bem o que se tornou o Mercosul. A declaração mais estapafúrdia não poderia deixar de ser de nosso presidente. disse ele mais ou menos assim: Não se pode discutir ideologia num encontro como esse, aqui se discute políticas de estado. (Ah como alguns livros fariam bem ao nosso presidente), é importante lembrar que um bloco econômico não é uma casa da mãe Joana, onde qualquer um, desde que queira, pode ingressar; é preciso cumprir alguns pré-requisitos, e um deles, são as liberdades democráticas. Se um governo democrático, que respeita as liberdades individuais, faz negócio, acordo, com países que não têm o mínimo dessas garantias, das duas uma: Ou não tem apreço pela democracia e espera uma chance de solapá-la em seu próprio país ou considera que a falta de democracia nesses países é problema deles, o que interessa é fazer negócio.

O Mercosul não é a UE, nem o Nafta, o Mercosul nem bloco econômico está sendo, é apenas um picadeiro, onde os palhaços fazem suas pantomimas para arrancar risos das crianças e lágrimas dos adultos.

21 julho, 2006

Cinco Anos

A maior tolice dos amantes
é não expressar o que o coração sente.
é não dizer, mesmo displiscentemente
que ama, ainda que de forma estressante.

Mas, a maior de todas as tolices,
é esquecer, ainda que por um minuto,
o dia em que o relativo virou absoluto,
o dia que conheci os lábios de Clarisse.

Esse post é em homenagem a minha esposa. Os versos acima, foram escritos quando completamos cinco anos de namoro, hoje estamos completando cinco anos de casados. O que talvez para ela possa representar 50, não é fácil viver comigo.

Respondendo um e-mail

Um amigo de Recife me mandou um e-mail estranhando minhas novas posições políticas. Chegou, de forma educada e polida, a insunuar que eu estava trabalhando para algum político da '"Direita" em Brasília, ou seja, para ele, minhas novas idéias foram compradas. Entendo bem esse amigo, ele acha que todo morador de Brasília é assim chegado a uma maracutaia, a uma falcatrua, é propenso a corrupção.

Bem... respondendo ao amigo que lamenta minha conversão ao lado negro da Força, tentarei o argumento de um outro Paulo, bem mais talentoso "Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino" I Coríntios, 13 -11



20 julho, 2006

Votar... fundamental, mas como é díficil!

O que nos move a votar em um deputado ou em um senador esse ano? Sei que estou sendo injusto, existem alguns, muito poucos, que são sérios, esses geralmente têm poucos votos. Por isso lanço a campanha: Vote nas legendas que não estão envolvidas nesses casos de corrupção! Duas vantagens: A chance de você colocar um bandido no congresso é menor, e vc não precisa digitar tantos números na urna eletrônica, basta o número da legenda. Mas para senador, não dá! eu sei, para senador... bem, é preciso pensar. Aqui no DF, o eterno governador de Brasília, Joaquim Roriz, deve ganhar, não com o meu voto, pode até usar meu dinheiro, mas contra a minha vontade. Então em quem votar? use o critério radical: se tiver alguma sombra de corrupção no partido ou no candidato, não dê o seu voto de confiança a ele.

Guerra do Líbano: Inocentes e Culpados.

A guerra no Líbano vem sendo tratada pela imprensa no Brasil com um viés perigoso. As matérias se concentram na sofrimento da população civil libanesa, destaca os brasileiros mortos que viviam no Líbano, e quase não menciona os mortos civis em Israel, em menor número é claro, (o poder de fogo do Hizbolhah não se compara com o de Israel, a vantagem que eles levam é no covarde ataque terrorista que eles executam e que morrem principalmente quem? civis israelenses.) Aliás, os terroristas não se acanham de usar a população civil, tanto no sul do Líbano quanto na Faixa de Gaza, como escudos humanos. Não sou a favor de uma análise simplista que procura sempre num conflito ou numa disputa o lado do bem e o lado do mal. Não acredito que exista isso na História, numa guerra, numa disputa. Causas justas? para quem?

Israel atacou, e parece que continuará atacando, a infra-estrutura terrorista, mesmo que isso cause danos a população civil. O argumento do governo israelense me parece imbatível! Defender a segurança de Israel e de sua população. O governo libanês é mais responsável pela morte de seus civis do que as bombas de Israel, na medida que apóia os terroristas do Hizbolhah.

Série Presidenciáveis

Caríssimos!
Este blog vai publicar em breve uma entrevista com o candidato a presidência pelo PDT, senador Cristovam Buarque. serão feitas 5 perguntas ao candidato que já confirmou aceitar a entrevista. Estou tentando o contato com outros candidatos, vamos ver...

19 julho, 2006

Desculpe Bruno Maranhão

Acabou de sair uma decisão judicial sobre a invasão da câmara em junho. Nela a sua excelência o juiz substituto da 10a vara, Ricardo Leite, considera a Câmara Legislativa a rsponsável pela baderna que depredou a casa e quase matou um servidor. Segundo o magistrado, não houve indício de planejamento do quebra-quebra, e sim, menoscabo por parte das autoridades do congresso de não atuarem para evitar o conflito, que parecia inevitável! Pois bem, os militantes-baderneiros do MLST, que recebe dinheiro do governo, e segundo consta nos autos do processo, foram assessorados por órgãos do governo, o que é ilegal, nesse processo, estão soltos e felizes, prontos para mais uma ação com o beneplácito da União e agora também da justiça!

Ah! a Roma republicana! primeiro os Gracos desrespeitaram as leis da república, em seguida foram os senadores que flexibilizaram o entendimento da lei, depois a corrupção das autoridades da república, aí vieram as guerras civis e as revoltas de escravos e, finalmente... a república romana acaba, e nasce o império, que a exceção do primeiro, Caio Otaviano, o augusto, não foi pródigo em bons imperadores.

Heloísa Helena? Vixe!

A senadora e candidata a presidente, Heloísa Helena, defenestrada do PT por cobrar coerência do partido, se diz defensora e divulgadora de um projeto de esquerda libertária e democrática. Fico aqui pensando... quando a esquerda, na História, foi libertária e democrática?
Bem, lá pelos idos de 1793, os jacobinos, os esquerdistas da Revolução Francesa, criaram um programa digamos libertário: instituíram o ensino gratuito e obrigatório, o voto universal e uma lição para os economistas, a Lei do Preço Máximo. Medida que gongelava os preços e também os salários para conter a inflação. Essas medidas, nunca foram postas em prática, afinal a França estava em guerra. O principal legado político desses primeiros esquerdistas foi o Terror Jacobino, aquele período de plena democracia onde quem usasse a cabeça contra os jacobinos, a perderia na guilhotina. É fato que o Terror Jacobino foi apenas um ensaio do que seriam os governos de esquerda do século XX, afinal o que são 35 mil execuções diante do extermínio promovido por Stálin e Mao Tsé Tung? Onde está mesmo a esquerda democrática e libertária? só nos discursos da senadora alagoana.

Se gritar pega ladrão...

Quando pensamos que os parlamentares alcançaram o limite das falcatruas, eis que eles nos mostram o quanto não tem limites. Agora já são 105 os envolvidos com a Máfia dos Sanguessugas, se investigar mais, teremos aquele número mágico: 256 deputados, número que impediria a cassassão de qualquer companheiro.

O nome da vez será do ex-ministro Humberto Costa, candidato ao governo de Pernambuco e segundo a última pesquisa, estava em segundo lugar com 22% das intenções de voto, em primeiro está o deputado Mendonça Filho, o mesmo que propôs a emenda da reeleição. Não sei, mas o médico, ex-ministro, e desinformado candidato (alguém acredita que ele confirmará que sabia das falcatruas?) terá que esperar mais, bem mais, para assumir o Palácio do Campo das Princesas.

18 julho, 2006

Partido ou quadrilha?

Analisando a bancada dos Sanguessugas, que pode chegar a 90 parlamentares, abaixo estão os nomes de 57, vemos que o PTB, do Roberto Jeferson, e o PP do Paulo Maluf, se especializaram em digamos... liberar emendas para a compra de ambulâncias, afinal de contas os donos da Planan precisavam de nosso dinheiro.
Quais os critérios para se pertencer a um desses partidos? talvez cinismo, descaramento, desfaçatez, "qualidades" que sobram em nossos parlamentares.

Por outro lado, os parlamentares de Jesus, parecem acreditar que na hora final receberão do salvador a anistia que o ladrão, aquele pregado na cruz, recebeu, e foi com o cristo para o reino dos céus. Afinal de contas a bancada evangélica também fez farra com o dinheiro público. Para quê? para comprar ambulâncias.
Os eleitores do Rio de Janeiro e de Mato Grosso devem estar se sentindo mais trouxas que nós, que somos trouxas, pois são desses estados, embora São Paulo não fique muito atrás, a maioria dos parlamentares envolvidos na Máfia dos Sanguessugas.

'Nunca na História desse país", diria Lula, houve tanto canalha no congrsso, digo eu.

Mãos ao Alto! Eu sou um parlamentar!

Eis os pilantras que receberam nossos votos para nos roubar.

Paulo Feijó (PSDB - RJ)
Paulo Baltazar (PSB - RJ)
João Caldas (PL - AL)
Cabo Júlio (PMDB - MG)
Pedro Henry (PP - MT)
Bispo Wanderval (PL - SP)
Iris Simões (PTB -PR)
Benedito Dias (PP - AP)
Lino Rosso (PP - MT)
Edir de Oliveira (PTB -RS)
Teté Bezerra (PMDB - MT)
Fernando Gonçalves (PTB - RJ)
Almeida de Jesus (PL - CE)
Pastor Amarildo (PSC - TO)
Nilton Capixaba (PTB - RO)

Esses parlamentares já sabiam que estavam sendo investigados, isto é, foram notificados para apresentarem suas defesas. Os que vão abaixo ficaram sabendo hoje que a batata deles também está assando.

Reinaldo Betão (PL - RJ)
Isaías Silvestre (PSB - MG)
José Militão (PTB - MG)
Wellignton Fagundes (PL - MT)
Mário Negromonte (PP - BA)
Laura Carneiro (PFL - RJ)
Zelinda Novaes (PFL -BA)
Vieira Reis (PRB - RJ)
Junior Betão (PFL - AC)
Ribamar Alves (PSB - MA)
Eduardo Gomes (PSDB - TO)
Eduardo Seabra (PTB - AP)
Osmanio Pereira (PTB - MG)
Jefferson Campos (PTB - SP)
João Batsita (PP -SP)
Vanderlei Assis (PP - SP)
João Mendes de Jesus (PSB - RJ)
Dr. Heleno (PSB -RJ)
Reinaldo Gripp (PL - RJ)
José Divino (PTB - RR)
Alceste Almeida (PTB - RR)
Marcos Abramo (PP - SP)
Nélio Dias (PP - RN)
Ricarte de Freitas (PTB - MT)
Cleonâncio Fonseca (PP - SE)
Benedito de Lira (PP - AL)
Reginaldo Germano (PP - BA)
Ricardo Estima (PPS - SP)
Neuton Lima (PTB - SP)
João CorreIa (PMDB - AC)
Amuari Gasques (PL - SP)
Maurício Rabelo (PL - TO)
Coroliano Sales (PFL - BA)
Almir Moura (PFL - RJ)
Marcelino Fraga (PMDB - ES)
Ney Suassuna (PMDB - PB)
Raimundo Santos (PL -PA)
Edna Macedo (PTB - SP)
Irapuan Teixeira (PP - SP)
Itamar Serpa (PSDB - RJ)
Enivaldo Ribeiro (PP - PB)
Elaine Costa (PTB - RJ)

Em breve haverá uma análise desses nomes. Aguardem.

Presidenciáveis

O que assistiremos nessa campanha presidencial? Possivelmente um rosário de acusações de um lado e do outro. A verborragia de Heloísa Helena julgando e condenando tudo e todos; O estoicismo de Geraldo Alckimim que até na hora de atacar ém sem graça. As frases de efeito do senador Cristovam com tom professoral e as parábolas de Lula, comparando seu governo com futebol, música, qualquer coisa que sem esforço de raciocínio, sirva aos propósitos da reeleição.

Como gerar empregos? Como baixar os juros, como melhorar a educação? bem, isso tudo é muito chato. A campanha deve prometer amanhãs que cantam, milhões de empregos, uma vida feliz, dias melhores. São promessas que não podem ser cumpridas que ganham eleição. Que o diga o presidente Lula.

Caso Richthofen

Muita gente já falou sobre o caso Richthofen, mas o maior absurdo foi a de uma "pesquisadora de corações apaixonados que cometem crimes". Em matéria do Jornal Hoje, a dita pesquisadora afirmou que o caso Daniel-Suzane não foge ao padrão de pessoas que estão apaixonadas e que após cometerem o crime, tornam-se dois estranhos. As declarações de amor eterno são esquecidas e passam a utilizar a estratégia do cada um por si. Onde está o absurdo? O absurdo está na frase de efeito dita pela pesquisadora: "Romeu e Julieta só aconteceu em Shakespeare". Quem leu a mais famosa obra do dramaturgo inglês, mesmo na versão infanto-juvenil, percebeu o tamanho da bobagem: os amantes da peça não tramaram a morte dos capuletos, pais de Julieta, que eram contra o namoro, mas tentaram usar de um estratagema para se casarem à revelia dos pais. A moça bebeu uma poção que lhe dava ares de defunta, o rapaz desavisado acreditou que sua amada morrera e então se mata. O que isso tem haver com o caso Richthofen? Nada! A pesquisadora certamente nunca leu Shakespeare.

Os Sanguessugas

Por que não divulgar os nomes dos deputados envolvidos e já investigados pelo STF, na máfia das ambulâncias? A quem interessa o segredo de justiça? Só aos bandidos. Talvez os mais tímidos e precavidos alertem: e se essas pessoas investigadas forem inocentes? suas reputações teriam sido achincalhadas injustamente. Não acredito. Os investigados devem ser os primeiros a se empenharem na busca de sua inocência. Se querem o sigilo, devem ter uma forte razão para isso.

Em 2002 elegemos uma boa parte de criminosos para legislar, 3 foram cassados, outros, absolvidos por outros criminosos, claro, faziam todos parte do mesmo bloco: os locupletadores. Até agora a justiça não se pronunciou sobre a divulgação dos nomes, mas a pressão deve continuar, e nós temos a responsabilidade cívica de extirpar da vida pública essas pessoas que enlamearam o mais democrático dos poderes: o parlamento.

Nosso presidente quando acorda com espírito fundador do Brasil, costuma iniciar seus discursos com a frase: "nunca antes nesse país..." pois bem, nunca antes nesse país tivemos um parlamento tão corrupto, tão desligado dos interesses daqueles a quem a eleição tornou representantes. É uma lástima, mas a única solução democrática para esse crise de valores, é o voto com responsabilidade. Saiba quem são os corruptos, ou pelos menos aqueles a quem nos deixaram saber que são corruptos, e lute para que não sejam reeleitos.

Democracia em risco

A todos que defendem os valores democráticos, a saber, liberdade de expressão; respeito às instituições e ao Estado como garantias desses valores; o mérito como condição sine qua non de ascenção social; foi feito esse blog. Aqui os leitores terão uma opinião fora dos manuais do bom mocismo ou do politicamente correto. Quem não concordar, não precisa ler, não perca tempo comigo.